sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Abrindo a Caixa de Pandora

É grande a espectativa da liberação, por parte do juiz Antônio Luiz Fornerolli, da Unidade da Fazenda Pública da Capital, das gravações telefônicas entre Leonel Pavan e seus cúmplices de corrupção. Tudo que vazou até agora não é nada em relação ao que está guardado pela Polícia Federal.

Nos meios políticos da capital existe grande apreensão sobre a abertura desta Caixa de Pandora. Políticos de vários partidos vinham conversando "assiduamente" com Pavan assuntos que não passavam só por coligações políticas.

As gravações envolvem corrupção, tráfico de influência, negociação de votos na Assembléia Legislativa e até confidências sexuais. Com nomes, sobrenomes, datas de chegadas e partidas. Uma bomba!

Atualizando 10:08h: Leio agora no Moa que "o magistrado manteve restrição apenas em relação aos áudios dos grampos contidos em 13 CDs juntados pelo Ministério Publico".

Bah! Mas tão logo nestes 13 CDs magistrado? Aí é que tá o bom!

Porque quando se trata de salafra político é tudo em segredo, tudo escondido do público. Se o cara desempenha um cargo público tem que ser transparente, oras!

Luiz C. Schneider deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Abrindo a Caixa de Pandora": Ainda tenho esperanças de que uma cópia desses CDs "apareça" por aí... Aliás, agora seria o momento oportuno. Se esse comnteúdo não vier a público, absolvem todo mundo e jogam no lixo o trabalho da Polícia Federal.
Temos o direito de ouvir essas gravações, pois envolvem a coisa pública e agentes públicos. Que caiam as máscaras...

Um comentário:

Luiz C. Schneider disse...

Ainda tenho esperanças de que uma cópia desses CDs "apareça" por aí... Aliás, agora seria o momento oportuno. Se esse comnteúdo não vier a público, absolvem todo mundo e jogam no lixo o trabalho da Polícia Federal.
Temos o direito de ouvir essas gravações, pois envolvem a coisa pública e agentes públicos. Que caiam as máscaras....