quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Antibes e Picasso

Vista de Antibes com os Alpes Marítimos nevados ao fundo

Enquanto a minha neta não chega, tá passadinha já, aproveitamos para passear pela região da Provença. Ontem visitamos Antibes, Juan le Pins e Cannes. A estrada a beira mar pela Baie des Anges é maravilhosa. A partir de Antibes começam aparecer as mansões debruçadas sobre o Mediterrâneo. Coisa de cinema.

Antibes teria sido fundada no século V ou IV a.C. pelos fenícios de Marcelha. Os Grimaldi (Mônaco) eram os senhores de Antibes, o mais belo e importante porto da região. Dominaram até 1384.
A família Grimaldi, de origem genovesa, não é fraca. Dominou várias regiões no Mediterrâneo e hoje mantém o poder do Principado de Mônaco. São os donos.

Em Antibes Pablo Picasso teve um periodo de grande produção artística. No Museu Picasso tem mais de 200 obras realizadas durante a sua estadia no Outono de 1946 no Castelo Grimaldi, que é hoje o coração da coleção do museu de Antibes. O museu está no Castelo Grimaldi, mais tarde rebatizado de Museu Picasso.

Hoje vou a Vallauris (indicação do colega Moacir Pereira) e a Grasse, cidade dos perfumes.
Em 1948, Picasso se apaixona pelo artesanato da olaria e decide instalar-se na cidade de Vallauris. Graças ao pintor, a cidade renasce e atinge uma notoriedade extraordinária. Lá fica até 1955. Vallauris mantém a sua tradição de olaria e cerâmica.

Nenhum comentário: