sábado, 6 de fevereiro de 2010

A CARTA E OS IDIOTAS

Edison da Silva Jardim Filho

A carta que o vice-governador Leonel Pavan protocolou na Assembléia Legislativa do Estado, concitando os deputados a votarem favoravelmente ao pedido de autorização para processá-lo, formulado pelo Tribunal de Justiça, é, certamente, o maior monumento ao cinismo erigido na política catarinense em todos os tempos! Quem a ler, inevitavelmente vai se lembrar de Goebbels, o ministro da propaganda da Alemanha nazista de Adolf Hitler, e de sua célebre frase: “Uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade”.

O vice-governador Leonel Pavan a inicia, afirmando que “ao homem público o que mais engrandece é a honra.” Linhas depois, escreveu: “Porém, mais do que tudo, preocupa-me a minha imagem pessoal, a minha moral...” Certos conceitos, como “honra”, “moral” e “imagem pessoal”, tiveram os conteúdos destorcidos, senão completamente esvaziados, nestes tempos sem eira nem beira em que vivemos. Defende a honra, a moral e a imagem pessoal- com os velhos significados, é claro-, quem as tem; quem as soube e sabe cultivar, a cada dia de sua vida. É o que deveria vigorar e a Justiça garantir!

Em outro trecho, ele assevera: “No entanto, em novembro de 2009, fui surpreendido com a divulgação de um Inquérito que pôs em dúvida ações administrativas.” “Ações administrativas”?... Foram, isso sim, interferências absolutamente indecorosas na gestão da Secretaria da Fazenda! Incontinênti, conseguiu pespegar duas asserções falsas numa única frase: “Nele (inquérito), aparecem conversas de terceiros e imagens que não retratam qualquer atitude ilícita...” Quem não leu ou ouviu as gravações de conversas telefônicas do próprio vice-governador Leonel Pavan?... E evidentemente que a propina no valor de R$ 100 mil reais não lhe foi entregue no desembarque do aeroporto Hercílio Luz, pois isso seria desarrazoado, vez que o vice-governador Leonel Pavan, acompanhado de Eugênio Silva- segundo a Polícia Federal, é o dono oculto da Arrows Petróleo do Brasil Ltda.-, e do representante da empresa em Santa Catarina, Marcos Pegoraro, viajariam juntos, naquela noite, de Florianópolis até Balneário Camboriú.

E prosseguiu, tal qual um macaco numa loja de louças, a quebrar todos os cristais da razão e do bom senso: “Compareço..., para reafirmar que não pratiquei nenhum ato ilícito e não causei ao Estado de Santa Catarina qualquer tipo de prejuízo.” Para o vice-governador Leonel Pavan, passar ao sonegador de impostos informações sigilosas relativas a investigações em andamento nos órgãos públicos, de que teve conhecimento em razão do seu elevado cargo, não se constitui em crime. Muito menos, receber propina em troca desse tráfico de influência nefando. E o Estado de Santa Catarina, vice-governador Leonel Pavan, não sofreu prejuízos financeiros porque ainda existem funcionários honestos na Secretaria da Fazenda, que não aceitaram as suas absurdas investidas. Não se esperava, mesmo, que nas contas dele fossem computados os prejuízos morais consistentes no aviltamento do cargo de vice-governador, no descrédito do funcionalismo público em geral e da Secretaria da Fazenda em especial, no desalento dos agentes estatais honestos e dos contribuintes bons pagadores...

Finaliza-a, para não deixar nada a desejar ao “mensalão do DEM”, cujo principal protagonista foi o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda- que teve a reza da propina-, “invocando a proteção de Deus”, além de fazer a insinuação sempre recorrente, das “forças ocultas” do ex-presidente da República, Jânio Quadros- agora: “a verdade, momentaneamente oculta por circunstâncias e interesses não sei de que ordem...”

Pelo teor da carta, o vice-governador Leonel Pavan só pode pensar que todos nós somos uns perfeitos idiotas.

OBS.: Publicado no jornal “Diário do Litoral” ( “Diarinho” ), nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2.010 ( sábado e domingo )

Um comentário:

Anônimo disse...

Pelo visto o Goebbels, hoje, seria um mero aprendiz desta dupla Luiz Henrique/Pavan. Em Santa Catarina nao temos governo ha 7 anos, a nao ser, que se considere como real o que e meramente virtual. O Hitler, com a ajuda de Goebbels, enganou o povo alemão e cometeu o maior crime contra a humanidade,a 2a guerra e o holocausto, porem, no inicio de seu governo os alemães tiveram uma melhora considerável em seu padrão de vida real, portanto, os alemães foram enganados por algo, que no inicio era real. Aqui em Santa Catarina este governo LHS/Pavan, simplesmente nao nos ofereceu nada, do inicio ao fim deste famigerado governo. Nem pão e nem circo, mesmo assim, conseguiu se reeleger (o LHS), e esta dando (o LHS) como favas contadas a sua eleição ao Senado. Para fechar com chave de ouro, o LHS, vai deixar o Pavan (a raposa) tomando conta do galinheiro. Nem Goebbels conseguiria uma façanha desta.

Alberto