quinta-feira, 21 de abril de 2011

Briga no DEM vira guerra de bugio

A ameaça que o ex-presidente Lula fez em Joinville dizendo que o DEM deveria ser estirpado da política brasileira na verdade era um vaticínio. Nem precisou fazer força. Os demos estão se estropiando tudo.
 Saiu no Josias de Souza
Ronaldo Caiado (GO), vice-líder do DEM na Câmara, fez duros ataques ao presidente de honra de seu partido, o ex-senador Jorge Bornhausen (SC).
O deputado pendurou no seu microblog um lote de 12 notas. Redigiu-as em termos ácidos.Abriu a bateria com uma estocada nos ex-colegas de bancada que migraram para o PSD de Gilberto Kassab. Mirou abaixo da linha da cintura: "É claro que existem os fracos de caráter e postura, que já abandonaram a oposição com menos de três meses de mandato”.
Enalteceu os remanescentes: “Os que ficaram têm a chance de consolidar a imagem de políticos de fibra, conteúdo. Não desistimos da luta, por mais difícil que ela seja!”
Refugou a hipótese de fusão do DEM com o PSDB. Ao contabilizar a reduzida tropa oposicionista, lembrou a votação obtida por José Serra em 2010: “A fusão com o PSDB não favorece a oposição. Temos hoje um cenário positivo. São 96 deputados em defesa de 44 milhões de votos recebidos”.
Em seguida, voltou-se para Jorge Bornhausen. Atribuiu a ele a idéia de rebatizar o PFL, que considerou equivocada: “Essa história de mudar para DEM foi ideia de Jorge Bornhausen, [Antonio] Lavareda e Saulo Queiroz. Criaram uma tese que quase afundou o partido”. Leia tudo. Beba na fonte.

Nenhum comentário: