sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A volta de Laurita na web

    Por Laurita Mourão

    Querido Sergio, grande Canga ! 

 
    Não no brilhantismo senão na ausência estou como o Veríssimo e o Zuenir Ventura que não publicam uma linha há mais de um mês: as sagradas férias com as viagens internacionais incluídas !
     Também estive dando um tempo depois do triste desaparecimento físico do Steve Jobs para escrever um pouquinho sobre ele. Tem sido tanta a literatura sobre este homem-cérebro que mudou o mundo, que fiquei, e ainda estou, perplexa de como se pode morrer tão cedo pelos parâmetros do século XXI ! Além do mais, ele era norte-americano embora, dizem, filho de pai sírio, mas vivia no país que tem a consabida melhor Medicina do mundo, os aparelhos e os exames e os testes mais avançados, e muito dinheiro para se tratar com os melhores especialistas, tinha família, filhos, e mesmo assim, com tantos esforços, pessoais e medicais, lá se foi ... É para pensar, não é mesmo? Não somos realmente donos do nosso destino.
     "Os Sinos Dobram Por Ti" publicou o jornal "O Globo" curiosamente na primeira página do Caderno de Economia ! Não na normal folha dos "Obituários" !!! Claro, ele não era Santo. Tampouco foi dos que fez caridade com o próprio dinheiro e, de jovem, não quis reconhecer a paternidade de uma filha penitenciando-se ao colocar o nome dela "LISA" num de seus melhores produtos.
     Sua missão não foi a da Madre Tereza de Calcultá, foi sim de modificar o mundo através da tecnologia usando quase somente o cérebro. Nada de força física. Tudo cada vez mais leve e portátil ! Hoje, como é de ordem, já quase não existe no mundo quem não fale ou se comunique que não seja com as invenções e aperfeiçoamentos de Steve Jobs "o herói da maçã mordida" como o classifica uma simplória amiga minha. E somente agora fiquei sabendo que o primeiro computador pessoal que ele inventou se chamou "Macintosh" porque é uma das tantas espécies de maçãs.
     Uns dizem que ele lembra, de certo modo, o Ayrton Senna, porque resgatou grandes valores para seu país com seu compromisso com a excelência. Outros o compararam com Alexander Graham Bell (1847-1922), inglês que, em 1876, inventou o telefone. Uma das curiosidades é que este gênio era professor de surdos-mudos assim como Steve Jobs puxava as idéias pela cabeça de dentro da garage da casa dos pais adotivos que o criaram. Foi comparado também com o genial Henry Ford (1863-1947), cidadão norteamericano pioneiro na indústria automotriz lançando a construção em série o que estandartizou as principais peças que compõem os veículos que fabricava vendendo-os inclusive aos próprios operários a quem ele aumentou o pagamento da hora-trabalho para incentivar o consumo em massa do que produzia. Ou seja, alguns dos poucos seres humanos que modificaram para sempre a nossa vida e o nosso modo de fazer-e-viver as coisas !
     Nessa ordem de idéias e quase de um polo ao outro, assisti no Teatro do Centro Cultural Correios, aqui no Rio, a excelentíssima obra que leva o nome da grande Médica Psiquiatra NISE DA SILVEIRA que, no século passado, mudou completamente os conceitos e métodos nos tratamentos dados aos loucos nos horrendos "Hospícios": mandou queimar para sempre as "camisas de força" e condenou para sempre os "choques elétricos". Se Florianópolis receber a visita dessa obra na qual atua uma única figura, a excelente atriz Mariana Terra, linda, graciosa bailarina, completa na sua arte dramática na Coreografia de Ana Botafogo, não deixe de assistir porque é verdadeiramente uma maravilha sob a música original de Assis Brasil.
Estimado amigo, tudo anda mudado, inclusive o clima do Rio de Janeiro que nos está fazendo usar casacos, meias, botas e saco-de-água-quente-na-cama em pleno mês de outubro quando sempre tivemos antes calor desde setembro.

 
     Respeitosamente muito sua, sou a amiga e admiradora,

Laurita(Linhares Mourão de Irazabal).

Nenhum comentário: