domingo, 6 de novembro de 2011

Blogueiro participa de debate na Estácio de Sá

Jerônimo (dir.), Scarduelli, Cavallazzi e Canga
         Participei, na noite de quinta-feira (3), de uma rodada de conversas sobre novas mídias e jornalismo investigativo. O papo foi na faculdade Estácio de Sá. Fazia parte de um trabalho da cadeira de Rádio do curso de Jornalismo, coordenado pelo amigo jornalista Ricardo Medeiros.

    Ao meu lado dois grandes profissionais do jornalismo, João Cavallazzi e Paulinho Scarduelli. As entrevistas foram conduzidas pelo aluno de jornalismo Jerônimo Rubim com a participação de colegas de curso.
     O meio universitário é um dos lugares que mais gosto de estar. É vivo, pujante e cheio de curiosidade. Falar para jovens interessados me rejuvenece, me deixa feliz, vivo. Nada supera a juventude!

    João Cavallazzi relatou suas experiências como repórter investigativo na mídia impressa, abordou vários aspectos do jornalismo, desde o dia-a-dia de um repórter a até a relação jornalista/empresa. Censura, salário e o prazer de praticar o bom jornalismo.

    Relatou uma de suas grandes reportagens que ficou conhecida como o 'Escândalo Marlene Rica", quando altas autoridades do governo Luiz Henrique (PMDB) foram flagradas em uma festa, com presença de menores, em uma casa noturna de Joinville.

    Paulo Scarduelli, muito à vontade - foi coordenador do curso durante anos - também falou das suas experiências como repórter investigativo e citando uma grande reportagem que fez para o Diário Catarinense sobre o golpe das Letras do Tesouro de SC, governo Paulo Afonso (PMDB), e o envolvimento de Paulo Prisco Paraíso e do Figueirense. 

    A interação entre os debatedores e os estudantes criou um clima interessante e falamos sobre as influências das novas mídias hoje, sobre o futuro dos jornais frente ao atropelamento dos blogs, enfim, sobre jornalismo.

   Diante da preocupação de alguns estudantes com o futuro do jornalismo impresso, falei que não acredito no fim dos jornais em consequência da hegemonia dos blogs e sua instantaniedade dominando a informação factual. Acredito que os jornais impressos continuarão existindo, mas de forma diferente. É a chance de voltarem às sua origem de grandes reportagens, matérias reflexivas e de opinião. 

    Em relação ao dia-a-dia estão mortos.

    O meu pequeno blog, hoje, pauta o grande DC e seus congêneres. Fura-os a todo o momento. É como o slogan sugerido por um leitor do Cangablog outro dia:
Leia hoje no Cangablog o que vai sair amanhã no DC!
    A "conversa" com a rapaziada do jornalismo foi fantástica. Achava que 1:30h de bate papo seria muito tempo e fiquei surpreso quando terminou. Faltou tempo para mais conversa. E tinha. Os alunos concordaram que o tempo foi escasso e gostariam que o programa Estação Estácio fosse feito com mais frequência.
    Parabéns ao professor Ricardo Medeiros pela iniciativa e aos alunos pelo interesse e pelo acolhimento que nos deram.

Um comentário:

William Wollinger Brenuvida disse...

1. Eu estava presente. Parabenizo o Rubim, o Cavallazzi, e o Scarduelli pela atuação na entrevista conduzida pelo colega de Jornalismo Jerônimo;
2. Abraço,