sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Caro Mosquito,

Tu deves ter algumas falhas. Todos nós humanos as temos.
Mas, mesmo que tua dor seja intensa, qualquer que seja a razão, ela é mais digna porque reflete tua luta.

Imagine a fraqueza dos omissos, muitos, que veem todas as formas de abuso e calam impotentes. Como não sofrem...
Imagine a vergonha dos ladrões, especialmente os que roubam o que é público e mentem aos filhos dizendo: Isto é fruto do meu trabalho. Como não lhes soa falso existir.

Tua dor é a dor da luta. É a dor da vitória, do esforço, do sonho e da coragem.
Tua dor eles não conseguem sentir.

Tua dor é a dor do guerreiro. A dor de quem sabe combater.
Nem por um segundo, nenhum, pense que não valeu a pena.

Tu entras para a história da cidade por uma porta. 
Eles, pela outra.

Força.
Um abraço, Marcos Bayer.

Kiko deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Caro Mosquito,": Matou a pau! Excelente!
E sendo, sim, repetitivo (já disse isso para o Mosquito assim que ele anunciou a decisão de parar, já repensada, inclusive), quero citar de novo algo que li num curto e contundente comentário sobre a morte (possível assassinato) do vereador de Chapecó um dia antes da decisão do Musca, assim... "se calarem a vóz dos profetas as pedras falarão".
Sabias palávras, que em poucos dias, na verdade poucas horas se confirmaram nas diversas manifestações de amigos, conhecidos, enfim, seguidores do Musca.
Sinceramente, devo estar com amnésia ou coisa parecida, mas não consigo lembrar se já tinha lido ou ouvido isso onde quer que seja, nem como passagem bíblica, de algum grande pensador, busquei atá Renato Russo e realmente não identifiquei uma outra fonte, senão este comentário que citei acima.
Portanto, mais uma vez - e não vou cansar de repetir - aqui encerrando, ..."SE CALAREM A VOZ DOS PROFETAS AS PEDRAS FALARÃO."
O português fica por conta de cada um. 

Nenhum comentário: