sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A farra dos terceirizados na infraestrutura do Estado

    Sou funcionária terceirizada na Secretaria de Estado da Infraestrutura e não posso mais conviver com a injustiça que lá se instaurou: enquanto alguns poucos são cobrados ao extremo, outra grande parte de tercerizados é protegida por suas chefias. Tem tercerizado que passa o dia na internet, que sai antes do final do expediente, que não cumpre o horário ou que aparece quando quer.
    O cumulo é a filha de um gerente, que é contratada como tercerizada (o que se não for ilegal é no minimo imoral) que aparece quando quer, faz o horário que quer e quando vai lá é para vender Natura.
    Este não é meu verdadeiro nome, pois nesse tipo de situação a corda sempre estoura do lado mais fraco, porém, fica a dica para uma investigação de tudo que aqui foi relatado.

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A farra dos terceirizados na infraestrutura do Est...": Não existe em SC farra maior do que a feita na SJC da dona Ada, porém comandada pelo primo que é diretor financeiro (Santo NEPOTISMO Batman!) Mesmo sendo previsto em lei que não pode passar de 20% já extrapolou em muito tanto no operacional como no restante! Empresa da Bahia ganha 1 milhão por mês pra administrar um presídio, na capital a cozinha foi terceirizada pela bagatela de meio milhão e a PM foi trocada por ONDREPSB na razão de 1 PM para 4 terceirizados. Ta triste o negócio por lá! 

2 comentários:

Anônimo disse...

Me diga, o que a Ada de Luca entende de Justiça e Cidadania? Talvez entenda de contratos de obras milionárias... Tem o aprendizado do seu esposo Walmor de Luca.

Anônimo disse...

foi o grevelati só pode!