terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O apagão e a privatização da Celesc

    Depois do apagão ocorrido na virada no ano em Jurerê e outras áreas, uma comissão de sindicância instalada por Colombo, apresentou o relatório secreto, cuja leitura será feita a bordo do voo para Miami. 

As principais conclusões são:

1. Houve excesso de terceirização nos serviços de cobrança das contas de luz, em atraso, com a empresa Monreal.
2. Terceirização descabida na manutenção de redes e no atendimento dos pequenos reparos.
3. Secretamente, Colombo e Pinho Moreira planejam a venda da CELESC para uma empresa concorrente no setor, a POMBOCA LINHAS ELÉTRICAS, que cuidará da distribuição de energia em Santa Catarina.

    Agora os catarinenses já podem dormir em paz, no escuro e de preferência com a mãos no bolso...

L.A. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O apagão e a privatização da Celesc": 

Sobre a nota de esclarecimento da CELESC:
- Os registros registrados - pobreza vocabular;
- isolados e dentro da normalidade -
normalidade é o fornecimento qualquer outra situação é anormal;
- quatro horas para solucionar um problema -
não pode ser normal;
- 15 mil transformadores, problema em apenas 70 -
ora a estatística, e os proprietários-turistas destas 70 residências terão outra passagem de ano de 2011 para 2012 para viver?
- "nesta época residências que comportam quatro pessoas chegam a ter 15 consumidores de energia" -
então não há sintonia entre a Santur que faz propaganda para atrair turistas e a CELESC que não prevê a infraestrutura?
- vento, chuva e sobrecarga no sistema de baixa tensão -
não há como contornar estes fatores com planejamento, revisão das instalações?

Por fim a pérola, "a operação foi um sucesso" -
Menos, muuuuuiiiiiito menos!
 

Nenhum comentário: