terça-feira, 17 de janeiro de 2012

SC saúde: O que começa errado não acaba certo

Recebi da médica Maria Cristina Pacheco da Costa Fortuna, o seguinte esclarecimento sobre o suspeitíssimo contrato entre a Secretaria de Estado da Administração e o Consórcio SC-Saúde que pretende atender mais de 180 servidores do estado. Um texto claro que vem trazer mais luzes sobre essa tramóia feita pelo governo do estado, amplamente denunciado aqui, que só trará prejuízos para os servidores e médicos de Santa Catarina. Políticos e grupos privados serão os grandes beneficiários da falcatrua:

     O que começa errado, não acaba certo...O plano SC saúde tem a sua \"gestão\" através do consórcio Santa Catarina, empresa formada pela Saúde Suplementar Soluções em Gestão ( da ex-assessora do secretario de saúde), pela Federação das Unimeds de Santa Catarina e pela Unimed Joinville.
    Não entendo o discurso do secretário de administração, quando se refere que o término do contrato com a Unimed foi porque a \"Unimed não queria a renovação , porque causava prejuízo.\"
    Como assim, se a Unimed Federação faz parte do consórcio que ganhou(?) a concorrência? E repasse que será realizado, mensalmente a este consórcio, é superior ao que era feito à Unimed Federação.
    Os valores propostos para os médicos é referente a valores de 2009, com REDUTOR de 20%! Imagine, em 2012, uma remuneração/salário de 2009.Agora, aplique um redutor de 20%.Inviável, não é? Para piorar, publique uma minuta de contrato, com 78% de sinistralidade, ou seja, de custos assistenciais.Se a \"gestão\" do plano não conseguir cumprir esta meta, o que ocorrerá com a remuneração dos médicos? Diminuirá? Para se ter uma idéia, a sinistralidade (custos assistenciais ,inclusive os administrativos...), está em torno de 94% para a maioria das operadoras de planos de saúde, patamar este, extremamente elevado e de alto risco.
    O plano de saúde precisa de equlíbrio econômico e financeiro. Certamente. Mas, os médicos TAMBÉM precisam deste mesmo equilíbrio, para que possam prestar atendimento com qualidade, que inclui qualificação profissional, pagamento de tributos ( inclusive para o governo estadual, federal e municipal), instalações
higienizadas,confortáveis, funcionários capacitados, eficientes,materiais, equipamentos, etc,etc,etc....
    Os médicos precisam, no mínimo, de valores de 2010, reajustados para 2011, sem nenhum redutor, para trabalhar em 2012. Como exemplo, a consulta passaria a R$65,00 para todos os médicos de Santa Catarina.
    Não é muito, para remunerar o médico.
    Se o secretário de administração pensa diferente, fica a pergunta:

    Quanto vale o trabalho do Médico?
    
    Sem este equlíbrio, os médicos estarão pagando para trabalhar.


Paulo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "SC saúde: O que começa errado não acaba certo": Rubim,
Então porque a doutora trabalha para UNIMED, GEAP, CORREIOS, PETROBRAS, Etc, por metade deste valor?
Será que ela sabe que é crime contra a economia popular o cartel que fixa preços minimos na economia brasileira?
Um abraço,
Paulo Cunha

Um comentário:

Anônimo disse...

O problema é que muitos reclamam... reclamam..., mas esquecem que muitas consultas duram 10min e vezes 65,00 dá 390,00 por hora, tudo bem que existem raras exceções que realmente fazem jus ao seu título de médico, mas a grande maioria é isso. Então não vem se fazer de coitadinho dizendo que estão ganhando mal, que a classe está decadente, quem está e sempre esteve em péssima situação é o povo que é atendido dessa maneira. Esses dias mesmo, estive em um consultório em que o médico cobrou 250,00 a consulta e que pelo que cronometrei durou 12min, quanto ganha por hora??? E agora ainda mais esta situação desse plano para contribuir com o caos, isso que não teremos direito nem para reclamar, porque este plano não tem nem registro na Agencia Nacional de Saúde.