sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Tiroteio: Advogado é preso na Beira Mar Norte


Delegacia da Mulher da Capital prende homem foragido que cumpria pena por roubo à ex-mulher e lesão corporal à filhaA prisão preventiva foi efetuada após perseguição e tiros no centro da cidade

Rogério Luiz Dias Moraes
Florianópolis – Uma perseguição policial chamou a atenção das pessoas que circulavam no Centro de Florianópolis nesta tarde (27). A equipe da 6.ª Delegacia de Polícia da Capital cumpriu Mandado de Prisão Preventiva contra o advogado Rogério Luiz Dias Moraes, 51 anos. Ele estava foragido desde o dia 24 de dezembro do ano passado, da casa do albergado, onde estava preso em razão de roubo cometido contra a ex-mulher e lesões corporais contra a filha.

Após diversas campanas nos imóveis do advogado, incluindo a estratégia de distribuir fotografias do foragido em estabelecimentos comerciais frequentados por ele, os policiais da 6.ª DP da Capital conseguiram localizá-lo. Na manhã de hoje, o gerente de um supermercado localizado em Coqueiros, teria reconhecido o foragido no interior do estabelecimento, realizando compras tranquilamente, quando acionou a equipe da Polícia Civil.

Iniciou-se perseguição ao veículo, com auxílio da Polícia Militar e da Guarda Municipal, quando localizaram o foragido na Avenida Rio Branco, Centro da Capital. Mesmo cercado e com ordens para sair do veículo, Moraes tentou jogar o carro contra a equipe de policiais, que chegaram a efetuar três disparos no pneu do veículo. A perseguição terminou na Avenida Othon Gama D'eça, quando o foragido enfrentou engarrafamento, impossibilitando sua fuga.

Com Moraes foi encontrada uma faca e uma chave de um veículo Corolla, com registro de furto há uma semana.

Após a prisão, ele foi encaminhado para a 6.ª DP da Capital, onde foi realizado os procedimentos, presididos pela Delegada Ana Silvia Serrano, e, posteriormente, encaminhado à Casa do Albergado, onde ficará à disposição do Juizado de Violência Doméstica da Capital.
 
Isabel Muniz Corradini
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil de Santa Catarina

3 comentários:

Fernando Cravo disse...

Canga, esta história é um pouco diferente: foram cinco tiros disparados, e quem disparou os tiros foi a policial Ana Silvia Serrano, em plena Av. Rio Branco, em uma hora de muito movimento. Apenas por acaso nenhuma bala perdida atingiu quem circulava por lá. Diga-se também, que não havia necessidade de disparar estes tiros, uma vez que o perseguido não tinha para onde fugir. A sensação muito forte é a de que a policial agiu intempestivamente, colocando em risco a vida de muitas pessoas.

Anônimo disse...

Canga, nada, absolutamente nada, justifica a polícia civil abrir fogo em uma esquina movimentadíssima da Capital para parar um carro. Por sorte, e apenas por isso, nenhum inocente morreu.
Marcelo

Anônimo disse...

Parece brincadeira...

Disparos de arma de fogo realizado por autoridade policial contra suspeito desarmado e a poucos metros de supermercado localizado no centro de Florianópolis. E a segurança pública em segundo lugar, é isso mesmo?

marcelo sieczkowski