sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Baile infantil e lança-perfume


    Começou o Carnaval. Aliás, já começou há tempos. No Brasil é assim, é Carnaval o ano inteiro. Essa época de festas "momescas" (boa essa, heim?) me trazem belas recordaçãoes da infância e adolescência.
    No carnaval em Quaraí, minha cidade de nascimento, esperava ansioso pelos dias do Baile Infantil no Clube Comercial. A ansiedade comoçava já nos reparativos dos bailes pré-carnavalescos que meus irmãos mais velhos curtiam. O agito de fantasias e de amigos em casa era algo fantástico.
    Acompanhava atento a todo aquele frenesi de cores, lantejoulas e fantasias. Lembro que uma fantasia tradicional dos homens era de marinheiro. Calças branca, camisa listrada, um quepi branco e uma faixa vermelha em volta da cintura amarrada do lado.

    Lança-perfume
    Um óculos de matéria plástica flexível grampeada em forma de cone e com um elástico de borracha para prender na cabeça era acessório obrigatório. Protegia os olhos de algum jato maroto de lança-perfume.
    O lança-perfume era produzido pela fábrica da Rhodia na Argentina e importada aos montes para o Brasil. Na fronteira então era artigo de casa. A combinação de cloreto de etila com gás e perfume liberava um fino jato de gás congelante.
    Um barato!!!!!!
 
Com a minha amiga Bolita
    Baile infantil
    Lembro de um dos primeiros bailes-infantis que fui. Me fantasiaram de palhaço. Maquiagem e roupa colorida. Nos pés, as idefectíveis maria-moles. Saí de casa e fui mostrar a fantasia para a Tia Nena, costureira e muito amiga da família. Ao dobrar a esquina pisei em uma madeira com ém prego. Maria-mole, como o nome diz, é mole mesmo. Furei o pé e fui direto para o hospital tomar antitetânica. Comecei mal o carnaval!
    Mas recuperei a fantasia e a usei em outro baile infantil, foi um sucesso!

    Mais tarde, já mais taludinho, descobri o carnaval de Artigas, Uruguay. Tinha o "corso" de carros alegóricos na Avenida Lecueder. Íamos com a família para ver os carros e depois vinham Las Murgas. As Murgas eram blocos carnavalescos onde se tocam somente intrumentos de percussão e que agregaram elementos do candombe, gênero musical uruguaio. Eram blocos de bairros com letras de críticas à administração municipal.
     No Uruguay o carnaval dura um mês a  mais que no Brasil. Como país laico, não tem problemas com a igreja Católica e não tem Quaresma. Daí então que na fronteira o Carnaval dura mais 4 fins de semana. Um baile em cada clube de Artigas.
     Aqui em Florianópolis o meu Carnaval é em casa com amigos e família.

MARCIO DISON deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Baile infantil e lança-perfume": Coisa mais querida a tua amiga Bolita. meu caro Canga. Brincadeira à parte, excelentes tuas memória sobre o carnaval das antigas, em especial o uruguaio - uma aula de história. 

Nenhum comentário: