quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Felipe Mello: secretário da pasta vazia

    Antigamente existia a figura do secretário sem pasta. Hoje existe a do secretário de pasta vazia. É o caso do secretário do Planejamento, Felipe Mello.
    Enfiado goela abaixo no governador  Raimundo Colombo, pelo pai, deputado Jorginho Mello, Felipe teve a sua secretaria totalmente esvaziada. Funciona como cabide de empregos e parece que é comandada pela mãe do rapaz.
    O orçamento do estado sempre foi atribuição do Planejamento, hoje está nas mão de Nelson Serpa da Secretaria da Fazenda.
    O Programa Plurianual de Aplicação (PPA), também era atribuição do Planejamento e hoje está nas mãos do Milton Martini da Administração como também a mensagem de início de ano, quando o governador vai à Assembléia Legislativa presta contas da sua gestão anterior e explanar, em linhas gerais, o seu planejamento para o novo ano.
    Acredita-se que o esvaziamento da pasta de Felipe Mello esteja dentro do plano de aniquilição dos tucanos (PSDB) arquitetado por Luiz Henrique da Silveira e levado a contento pelo atual governador. Vide a fritada no ex-secretário de Educação Marco Tebaldi.

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Felipe Mello: secretário da pasta vazia": Essa situação dá bem uma idéia da bagunça em que está metido esse governo. Imaginem que as Secretarias Regionais, as tais SDRs (que não vão nem pra frente nem pra trás) estão oficialmente sob os cuidados desse Secretário. Será que isso também fazia parte do plano de LHS? 

Um comentário:

Anônimo disse...

AOS DESINFORMADOS DE PLANTÃO: Quem elaborou a Mensagem submetida à Assembleia 2011/2012 foi SIM a equipe da Secretaria de Planejamento.
De acordo com a Lei 534, o PPA é atribuição da Fazenda em parceria com a SPG. Quem coletou todas as informaçoes, em 2011, através de audiências públicas, foi o Planejamento. Isso gerou um relatório de mais de 500 páginas, que, repassado a SEF, organizou em programas e adequou ao orçamento.

Responsabilidade na informação!
O Governo é um só ...