sábado, 11 de fevereiro de 2012

Na beira da Lagoa



Por Marcos Bayer

Tuas águas tocam meu corpo

Tuas ondas me fazem absorto

Tu já foste promessa divina

Mulher cristalina

Rosa negra do prazer

Azul fui teu ser

Meu sonho foi tua salvação

Meu riso tua satisfação

Meu corpo tua aflição

E tu dizias: Como é tão bom...

Tu sabias do meu tom...

Do meu som...

Era tudo mato, nato, fato e ato...

Era um pedaço da perfeição

Uma alucinação

Disposição e dor

Bendição e amor

Nenhum comentário: