terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Público/privado: uma visão lusitana

    João Francisco de Azambuja* para o Cangablog

   Aqui, nestes poucos dias, vejo que algumas putas e muitos de seus filhos estão a trabalhaire no poder público. Eles usam o Estado para fazeire negócios privados. Montam empresas que fornecem ou servem-se do poder estatal.
    Vejo um novo tipo de capital no Brasil. O capital misto, onde 70% vem do Estado e 30% do empresário. Depois, na apartação dos lucros, o empresário fica com 70% e os outros 30% distribui aos interessados.
     O Romário, vosso grande jogador de balão de couro, explica numa entrevista, se verdadeira, o argumento:

    "Você não tenha dúvidas que a ignorância é parceira da corrupção. Os gastos previstos para o Pan do Rio eram de, no máximo, R$ 400 milhões. Foram gastos R$ 3,5 bilhões. Vou dar um testemunho que nunca dei. Comprei alguns apartamentos na Vila Panamericana do Rio como investimento. A melhor coisa que fiz foi vender esses apartamentos rapidamente. Sabe por quê? A Vila do Pan foi construída em cima de um pântano. Está afundando. O Velódromo caríssimo está abandonado. Assim como o Complexo Aquático Maria Lenk... É um escândalo! Uma vergonha! Todos fingem não enxergar. Alguém ganhou muito dinheiro com o Panamericano do Rio. A ignorância da população é que deixa essa gente safada sossegada. Sabe que ninguém vai cobrar nada das autoridades. A população não sabe da força que tem. Por isso que defendo os professores. Não temos base cultural nem para entender o que acontece ao nosso lado. E muito menos para perceber a força que temos. Para que gente poderosa vai querer a população consciente? O Pan do Rio custou quatro vezes mais do que este do México. Não deixou legado algum e ninguém abre a boca para reclamar".

*João Francisco de Azambuja Bueno Faria Carvalho Pereira é portugues, de Portugal e o mais novo contratado do Cangablog

Nelson Jvlle deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Público/privado: uma visão lusitana": Alguém se habilita a comprar um apartamento do deputado?  

Nenhum comentário: