sexta-feira, 2 de março de 2012

Monreal "some" e deixa Celesc no espeto

    O empresário Lírio Parisotto, maior acionista individual da nossa maior estatal, a Celesc, volta a atacar a empresa e denunciar falcatruas, segundo ele, perpetradas por sindicalistas pelegos em conluio com políticos.
    Que a Celesc sempre foi celeiro e trampolim de políticos corruptos todos sabem. O atual vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB), ex-presidente da Celesc, até hoje não explicou o desaparecimento de R$ 51,7 milhões da empresa pagos à Montreal, empresa paulista que, segundo publicou Estela Benetti em sua coluna de hoje no DC, "segue causando prejuízos à estatal. A Monreal “sumiu”, seus empregados estão entrando na Justiça para a Celesc pagar seus direitos trabalhistas e estão conseguindo".

Essa grande maracutaia foi denunciada com detalhes aqui no Cangablog em

 
                                            

3 comentários:

Anônimo disse...

Provavelmente o Gavazoni ta guardando o resultado do inquerito administrativo para entregar a PF, quando o Pinho oficializar a candidatura ao senado, desmoraliza o pinho e assume a vaga.
Isto ja foi feito por ele pra derrubar o Pavan e acender o Colombo.

Anônimo disse...

Estranho que uma ano após, não há nenhuma ação da Celesc contra a Monreal ou da Monreal contra a Celesc. Como se nada tivesse acontecido. Alguém sabe o "motivo"? Quem soube que fale!

Anônimo disse...

Ei amigo Sergio Rubim dê uma passada no municipio de israelandia - goias onde o Presidente da Monreal o Francisco Eider de Figueiredo é candidato a prefeito, acredito que ele e segundo fontes ligadas a ele e o mesmo for eleito quer terceirizar o municipio, veja bem ele ta querendo se contratar através de muitos laranjas que pretende colocar naquele municipio, seu filho foi prefeito entre "." durante tres anos dê uma investigada, pois provavelmente ele tem ligações com o C. Cachoeira.