quinta-feira, 3 de maio de 2012

Carta aberta ao ministro Ricardo Lewandowski

Carta aberta ao ministro Ricardo Lewandowski 
 Foto: Montagem/247

A publicação pelo 247 do inquérito da Operação Monte Carlo deu fim aos vazamentos seletivos e permitiu que a sociedade tivesse a visão completa da floresta. Nesta quarta, quando novos documentos serão entregues à CPI, abra mão do segredo de Justiça. Até porque ele não será respeitado


Exmo. Ministro Ricardo Lewandowski,
Como o senhor bem sabe, na última sexta-feira, quando o Supremo Tribunal Federal tomou a decisão de compartilhar documentos com a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito instalada para investigar as atividades do contraventor Carlos Cachoeira e do senador Demóstenes Torres, nós, do Brasil 247, trabalhávamos freneticamente para tornar públicos todos os arquivos. Eram pouco mais de 18h, quando conseguimos subir, em nossos servidores, a denúncia apresentada contra o senador Demóstenes Torres pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, acrescida de sete anexos.

Graças à publicidade que demos ao inquérito, foi possível saber, por exemplo, que Carlos Cachoeira, em telefonemas gravados com seus assessores, tratou de depósitos de R$ 3,1 milhões para o senador Demóstenes Torres. Foi também possível ter acesso a boa parte do material produzido pela Polícia Federal sobre as relações entre o esquema Cachoeira e alguns meios de comunicação. Uma relação, se não criminosa, no mínimo, perigosa.

A divulgação do inquérito mereceu espaço no Jornal Nacional, da Rede Globo, e em vários sites, jornais e portais. Depois disso, soubemos, também pela imprensa, que o Supremo Tribunal Federal pretende acionar o Ministério Público e a Polícia Federal para apurar os nomes dos responsáveis pelo vazamento de informações sigilosas do inquérito, que tramita em segredo de Justiça.

O autor do furo de reportagem foi o jornalista Vassil Oliveira, um dos nossos mais conceituados profissionais, que hoje responde pela operação do Goiás 247 – uma das sete afiliadas da rede Brasil 247, que pretende levar informação de qualidade aos brasileiros, 24 horas por dia, sete dias por semana, num modelo online e gratuito de jornalismo.

Vassil Oliveira obteve cópia do inquérito e, evidentemente, não lhe fizemos qualquer pergunta sobre a procedência dos arquivos digitalizados. Apenas comemoramos o fato de que tenha sido ele, e não um concorrente, o primeiro a conseguir algo que fatalmente seria tornado público em algum momento. Leia tudo. Beba na fonte.

Um comentário:

Anônimo disse...

Nao comento com ministros do Lula