quarta-feira, 30 de maio de 2012

Troco no TCE

    Interessante de ver o cuidado de certos funcionários públicos com o nosso dinheiro. O caso é interessante por se tratar de um colega representando contra o outro por utilização indevida de veículo público.
    O conselheiro do Tribunal de contas, Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, denunciou o auditor Gerson dos Santos Sicca por estar usando carro oficial indevidamente.
     Em 2010, Gerson dos Santos Sicca teve negado no Superior Tribunal de Justiça recurso que questionava a escolha do auditor Adircélio de Moraes Ferreira Júnior para conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina. 

    Adircélio foi o primeiro funcionário concursado do TCE a assumir uma posição no plenário como conselheiro. Tomou posse em 13 de maio de 2010, no cargo.

14 comentários:

Anônimo disse...

Canga, não sei se já ouvistes falar do livro "O Chefe", que fala do Lula/mensalão? Estou enviando o link da livro que não foi publicado como foi o caso do livro do Nei Silva... segue o link
http://www.escandalodomensalao.com.br/indice.php

Anônimo disse...

No Brasil é assim mesmo. Tá cheio de Demóstenes Torres. Cambada de falso moralista. Fiscalizam os outros, mas fazem, escondido, o que cobram das pessoas. Um absurdo um auditor do Tribunal de Contas ficar usando veículo público idnevidamente. Se o MP instaurou inquérito é que o "bafo" deve ser forte. Conta aê, Canga, como foi mais essa farra com o patrimônio público.

Anônimo disse...

Isso me lembra um comentário que foi postado no blog do nosso saudoso Mosquito, que tanto nos faz falta:

“Buenas e me espalho. Nos pequenos dou de prancha; nos grandes dou de talho”!
Aqui em Pedro Osório não conhecíamos este sítio bagual e valente, que pelea contra a corrupção pública. Por isso, apenas agora trago a contribuição do povo de Pedro Osório para esclarecer o episódio envolvendo o filho do ex-vereador Gilberto Sicca na disputa da vaga de conselheiro do TCE/SC.
Virou anedota contada nos bolichos da cidade que o Gerson Sicca seria um dos maiores “combatentes da corrupção” de Santa Catarina, porque aqui em Pedro Osório, ele é mais conhecido por defender os atos de improbidade do pai. Leiam abaixo a decisão unânime dos juízes do valoroso Tribunal de Justiça do Rio Grande na ação civil pública em que Gerson dos Santos Sicca atuou como advogado na defesa do pai. Na época, o caso gerou uma grande repercussão e muita indignação entre os cidadão pedrosorienses, já que os bens públicos foram desviados para a construção da casa de veraneio da família, na praia do Cassino, onde todos os anos, nos meses de dezembro e janeiro, os Sicca, inclusive o Gerson, podem ser encontrados usufruindo do patrimônio desviado do guapo povo de Pedro Osório.
Pois bem, nos meses de janeiro a abril deste ano, houve uma intensa movimentação do baixo clero da política riograndense que, acionando políticos graúdos, pediram para o governador de Santa Catarina indicar o filho do Gilberto Sicca para a vaga de conselheiro. Mas desta vez, ele se estropiou, pois alguns políticos sérios da região, estes sim, verdadeiros gaudérios, inconformados com a possibilidade de um defensor da corrupção chegar a um cargo no qual deveria justamente fazer o contrário, ou seja, defender o patrimônio público, fizeram chegar aos ouvidos do governador de Santa Catarina o passado do advogado Gerson Sicca.
Conhecendo a maneira de agir dos Sicca, não me surpreende essa campanha que o Gerson Sicca encampou para desqualificar o conselheiro escolhido. Tenho muitos mais contos envolvendo os Sicca, em especial, o advogado Gerson, mas aí, meus amigos, a prosa se alongaria por demais. Só a novela sobre o processo de cassação do vereador Gilberto Sicca merece um tópico específico. Caso queiras, valente blogueiro, podes entrar em contato comigo que repasso mais informações.
Espero que este blogueiro aporreado e corajoso com nome de inseto tose este “lobo pelegado de cordeiro” e pare de dar abrigo a ele. Afinal, como dizemos por estas bandas: “Filho de gato, apanha rato”. Só que neste caso, os gatos estão mais para ratos..."

Anônimo disse...

Ih... Era só o que faltava. O Gerson Sica ser condenado por improbidade administrativa como foi o pai dele em Pedro Osório/RS, por desvio de recursos públicos para construção da casa de praia da família. O Gerson foi advogado do pai nessa causa perdida. (Processo número themis 70001933498 em http://www1.tjrs.jus.br/busca/index.jsp?tb=proc)

Anônimo disse...

Se como auditor fica usando carro público irregularmente, imagina se tivesse ganho a vaga de conselheiro na marra como ele tentou. A investigação do Ministério Público seria por uso indevido de helicóptero, Canga!!! Acho que a pena era mais grave. Kkkkkkkkk

Anônimo disse...

Não me surpreende esta notícia. Não faz muito tempo, um servidor "da turma do andar de baixo" do TCE foi flagrado indo para motel com carro público. Felizmente, o Tribunal apurou os fatos e aplicou uma pena de suspenção. Quero ver agora, com um "peixe graúdo", se o Tribunal vai punir exemplarmente ou se vai abafar o caso.

Anônimo disse...

O Ministério Público abriu investigação e o Tribunal de Contas, o que é que fez? Ah se fosse com um prefeitinho do interior. Rejeitava as contas, cassava o mandado e ainda aplicava multa.

Anônimo disse...

A corrupção e a criminalidade começa com pequenos delitos e desvios de conduta. É o uso indevido de carro público aqui, um presentinho recebido de um fiscalizado ali. Daí para a propina e grandes desvios é um pulinho. Uma pena isso.

Anônimo disse...

sobre o serviço público podemos perguntar quanto está custando para os cofres públicos a publicidade (eleitoral?) massiva do Procon de Florianópolis. essa atitude macula, ou quase invalida, uma trajetória de trabalho bem feito naquele orgão.

Anônimo disse...

Grande Canga! Acho estranho esse tipo de "denúncia", pelo que eu sei esse Adircélio usa o motorista (que não é particular) como se assim fosse, inclusive para atividades domésticas. Que feio Doutor Adircélio, isso é "picuinha"ai ai ai! Sem falar no resto do pessoal que usam os carros oficiais para pegar fulano e beltrano nos lugares. Isso tá com cara de dor de cotovelo, já que a posse desse doutorzinho no carguinho que ele tanto queria foi um tanto quanto precária. Sem falar nos Desembargadores e outros poderes que chegam a levar os carros oficiais para casa. Vamos ficar de olho!!! Sinceramente, esse Ilustríssimo Doutor Conselheiro (é assim que ele gostaria de ser chamado) não tem moral para falar de ninguém ! Vão trabalhar bando de desocupados, tá faltando o que fazer, agora começa as campanhas eleitorais, vamos ficar de olho para onde vão esses carros oficiais!!!

Anônimo disse...

Esse Adircélio não estava em Estágio Probatório quando foi indicado para Conselheiro????? Parece que sim!!! Realmente o padrinho do cara é forte!!! Tem as costas quentes, ao contrário do outro, pelo jeito!!!Eu ainda acho que esse Adircélio tem o telhado de cristal, cuidado que daqui a pouco pode quebrar!!! Seguimos na luta Canga!!!

xaxa disse...

O Ministério Público que funciona dentro do TCESC é uma piada! Virou um anexo do governo e da Alesc!
Fui ontem no TCESC ver no gabinete do Júlio Garcia(PSD), o porquê uma denúncia de uma empresa de propaganda e publicidade (PUBLIMARKTING) fantasma, aberta aqui em Grão-Pará, ainda não tinha sido colocada em plenário. O MPSC ( promotor Márcio) e o auditor resolveram apenas aplicar uma multa no prefeito Amilton Ascari (PSD) e na comissão de licitação.
O secretário de fazenda e administração da prefeitura à época(Joselito) não recebeu nenhuma condenação. O dinheiro desviado (uns R$117.000,00), ficou sem a comprovação dos gastos no processo.
Apenas sumiu e fica assim nesta republqueta de bananas!
E agora Júlio Garcia vai por em votação a condenação mixuruca? Está parado em seu gabinete desde 11/2011!!!
Valeu canga, abraço do pessoal de Grão-Pará!

Anônimo disse...

O Gerson Sicca está completamente desmoralizado. Na época da disputa do cargo, ele revirou a vida do Adircélio do avesso. Não encontrou nada, aí saiu espalhando boatos de que ele tinha "padrinhos fortes", essa baboseira do estágio probatório. Perdeu todas no judiciário (TJ, STJ), por unanimidade. Os desembargadores do TJ avacalharam com ele na sessão de julgamento. E para completar, para o seu desespero, viu seu passado em Pedro Osório ser revelado.

Anônimo disse...

Se o outro usa "motorista para serviços particulares" você deveria representar como ele fez contigo, Gerson. Se é verdade e você não representa, você está prevaricando. Talvez você não represente pois sabe que é mentira. Então é melhor ficar plantando esse tipo de boato no ambiente de trabalho contra o outro como você costuma fazer.