sábado, 21 de julho de 2012

DENÚNCIA

Funcionário do Deinfra revela bastidores do caso das balanças das rodovias

 Do blog da Olivete Salmória


Funcionário do Deinfra que, obviamente, não quis se identificar, fala a respeito da caso das balanças da SC-425:

Camaradas,
O caso é de Ato de improbidade administrativa, e a quadrilha que se
encontra no Poder (DEINFRA, MP, BPMRV, PC, PMSC), naturalmente, está agindo - no exercício de seus cargos e funções públicas – para sufocar as investigações sob enganosos argumentos fáticos e jurídicos.

Então recorreremos há uma breve evolução dos fatos ao longo da história:

     1. No início do ano de 2003 – quando o então Major PM Moukarzel
reassumiu o comando da então Cia PMRv – os gestores públicos (então DER e Cia PMRv) da administração pública anterior entregaram o comando da PRE, e ES rodovias estaduais sem qualquer equipamento para o controle e policiamento ostensivo rodoviário: As rodovias estaduais
não dispunham de radares fixos (Lei contra os pardais do Deputado Paulinho Borhausen, que pensava ganhar muitos votos para a eleição ao Senado. Isto após encherem as burras de dinheiro com os pardais instalados pela empresa Engebras – cerca de 84 milhões ano. Tanto que nos dois primeiros anos seguintes, 2003 e 2004, as estatísticas de morte nas rodovias foram escandalosas – crime de responsabilidade pública!); nenhum etilômetro (bafômetro) estava devidamente calibrado e aferido pelo INMETRO; nenhum dos seis (06) pares de balanças de pesagem, portáteis, estava devidamente calibrado pelo laboratório de engenharia mecânica da UFSC e aferido pelo INMETRO; todos os radares portáteis, sistema Doppler, foram recolhidos do uso da PRE, etc.; Leia tudo que é bom. Beba na fonte.

Um comentário:

Marcelo Ramos disse...

Mas que coisa gravíssima isso aí... não vai dar em CPI?