sexta-feira, 6 de julho de 2012

Vingancinha

      O presidente da Ordem dos Advogados/SC, Paulo de Borba, não gostou nada nada da notícia sobre o lançamento da candidatura de Tullo Cavallazzi Filho à presidência da Ordem publicada neste blog e reproduzida no blog do Sindicato dos Advogados de Santa Catarina (Sindalex).

    Só pode ser piada
    De Borba notificou a presidência do sindicato dizendo que haviam praticado propaganda eleitoral antecipada. Veja a bobagem abaixo:


   Dois dias depois do comunicado Paulo de Borba resolveu despejar o Sindalex do prédio da OAB. Só pode ser outra piada! Veja abaixo:




19 comentários:

Anônimo disse...

Sem palavras para comentar esta arbitrariedade, o prazo de 05(cinco) dias só serve para decisões interlocutórias (rsrsrsr), para o despejo, no mínimo uns 30(trinta) dias de antecedência. Feio, muito feio sr presidente!

Anônimo disse...

A este ato denomina-se "democracia" interna e convencimento "sutil". O despejo da sala caracteriza posse pessoal de coisa coletiva.
Imagina como não estão os números da contabilidade.

Anônimo disse...

Socorro ! Cão raivoso !

Anônimo disse...

Gente, é muito pessoal...

Anônimo disse...

O próximo pleito precisa ser muito bem fiscalizado, pena de fraude. Aliás, está na hora de o Conselho Federal instituir o voto aberto, o que permitiria fiscalização eficiente a impedir qualquer tentativa nesse sentido.

Anônimo disse...

e por acaso a reunião que eles fizeram com os presidentes das subseções na quinta 28/06 para pedir apoio ao Vicari, onde a OAB bancou a vinda dos presidentes com a desculpa de uma reunião sobre a defensoria dativa, que se encerrou no Hotel Mercure, onde a gestão pediu apoio deles ao Vicari, campanha com o dinheiro da OAB pode?? vergonha

Anônimo disse...

De presidente pra presidente. Alto níveu kkkkk

Anônimo disse...

Estamos voltando ao coronelismo? Esse cara é o dono da OAB/SC?

Ta parecendo o dono da bola sabe? Aquele pereba que começa a perder, pede a bola e acaba com o jogo.

Bom, a responta deve ser dada nas urnas.

Anônimo disse...

O presidente Paulo Borba perdeu totalmente a compostura.
Primeiro inventou números de uma pesquisa e divulgou-os na coluna do Cacau Menezes, inflando-os para favorecer seu candidato oficial, o atual vice-presidente Márcio Vicari. Desmentido pelos números verdadeiros da pesquisa, publicados no site jurídico Migalhas, não teve a hombridade de corrigir a informação falsa.
Depois resolveu atacar pessoalmente o Conselheiro Federal Paulo Brincas, ao invés de responder as críticas feitas por este em artigo publicado no jornal Notícias do Dia. Ao invés de debater as críticas, preferiu atacar os críticos.
Agora vem com este ato autoritário e antidemocrático, despejando sumariamente o Sindalex tão somente por ter reproduzido uma notícia em seu site.
Paulo Borba, Márcio Vicari e Oscar Juvêncio Borges (o candidato oficial do grupo à vaga de desembargador pelo Quinto Constitucional) lideram um clubinho fechado, que pensa que é dono da OAB.
Todos cansaram deles, inclusive aqueles que outrora os apoiaram.
A ALTERNÂNCIA, ANTES DESEJADA, HOJE É INEXORÁVEL. É o que justifica tantos atos de desespero.
Agradeço desde já pela oportunidade de expressar minha opinião.
Att.,
Fernando.

Anônimo disse...

Simplesmente lamentável. O presidente da OAB/SC está se comportando como um tirano.
Por este e outros motivos, ele e seu candidato oficial, o vice-presidente Márcio Vicari, serão “despejados” da OAB/SC em janeiro de 2013. Mas seu despejo será democrático, legitimado pelas urnas.
Por este e outros motivos eles perderam a base de sustentação política que os elegeu. Aliás, convém destacar que eles foram eleitos com apenas 31,3% dos eleitores aptos a votar e com menos da metade dos votos válidos (45,25%). Ou seja, governam com o aval da minoria dos advogados de Santa Catarina.
O desejo de mudança foi comprovado pelo resultado das eleições de 2009, quando as duas chapas de oposição, que hoje estão unidas, obtiveram 54,75% dos votos válidos. Outro fato importante ocorreu recentemente: o “racha” do grupo de situação. Dissidentes importantes, como os conselheiros federais Paulo Brincas e Rafael Horn, por exemplo, já manifestaram apoio ao movimento de oposição e às bandeiras por ele defendidas.
E testemunhamos ainda o recente episódio em que o vice-presidente Márcio Vicari negou ao presidente da subseção de Joinville, Miguel Teixeira, o acesso aos autos da sindicância sigilosa que foi aberta contra ele no âmbito da seccional. Sim, sindicância sigilosa! E dentro da OAB!!! Para piorar, Vicari desprezou a histórica luta da OAB contra processos sigilosos e autoridades que impedem que advogados tenham acesso a processos. Se Teixeira não fosse um opositor, existiria uma sindicância sigilosa? Fosse ele do grupo de situação, o acesso aos autos do processo teria sido negado? A insatisfação com a postura de Vicari é geral.
Nos momentos de dificuldade extrema transparecem a índole e a verdadeira face dos nossos dirigentes. É o que está acontecendo na seccional catarinense da OAB.
Não é mais segredo que o desespero tomou conta do grupo de Borba e Vicari. Espera-se que terminem seus mandato com o mínimo de dignidade.

Anônimo disse...

Arrogância, prepotência e autoritarismo. Uma vergonha para a nossa instituição.

Anônimo disse...

Em março deste ano foi publicada, em jornais e blogs, a notícia de que no Colégio de Presidentes de Laguna Márcio Vicari foi referendado como candidato da situação à presidência da OAB/SC. Tudo certo se a realização de "referendos" de natureza eleitoral em Colégios de Presidentes não fosse proibida pelas normas da OAB. O mais grave, porém, é que A ASSESSORIA DE IMPRENSA foi utilizada para divulgar o resultado do tal "referendo", conforme informou o jornalista Moacir Pereira em seu blog.
Por acaso foi "despejada" a assessoria de imprensa da OAB/SC? Se foi comprovado "uso da máquina da OAB/SC", porque não se "autodespejaram" o presidente da OAB e seu vice, Paulo Borba e Márcio Vicari?
Se o Sindalex tivesse reproduzido as notícias sobre o "referendo", os dirigentes da OAB/SC teriam "despejado" sumariamente o sindicato, como fazem agora?
Trata-se de um desavergonhado e triste exemplo de ataque à liberdade de expressão.

ROSANE MAÇANEIRO disse...

Lamento apenas que tantas manifestaçcões de inconformismo tenham que ser anônimas, afinal porque os advogados tem medo de assinar em baixo do que falam???????

Anônimo disse...

Borba, o Bárbaro.

Anônimo disse...

Arrogância, prepotência e autoritarismo deve ser o legado que o cargo de presidente da Ordem deixa em quem passou por ele, pois aqui na PGE passou um ex e que hoje está em outro Órgão também estadual, que também fez e tá fazendo misérias em termos de perseguições a humildes funcionários. Um dia a justiça será feita.

Anônimo disse...

Muito interessante, a luta pela permanência também pode decorrer da possível devassa (não é a cerveja) que a nova gestão pode fazer nas contas da Instituição, incluindo-se as contas da defensoria dativa.

Anônimo disse...

É por esta e outras que no futuro o presidente da OAB/SC será lembrado como BORBA, O TIRÂNICO.

Anônimo disse...

Bom dia,

É incrível que o Presidente da OAB (Justiça) faça tanta injustiça. Pior, utilize do Podes, do Dinheiro e das ligações com Políticos para prejudir simples mortais.
Dr. Paulo Borba, merece uma denúncia no CNJ.
Só espero que a´lguém o faça. Tá mais do que na hora de acabarmos com tanta arrogância e desmandos.

Anônimo disse...

O anonimato as vezes é pura proteção pessoal, quando se lida com pessoas inescrupulosas e dispostas a tudo para manter seu "status quo". O atual presidente e sua "turma" já se mostraram vingativos e injustos em diversas ocasiões, portanto, a cautela é justificável nesse caso.