quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Crime ambiental

Prefeitura de Palhoça faz macrodrenagem de banhados e áreas úmidas da Baixada do Maciambu no limite direto do Parque Estadual da Área de Proteção Ambiental do Entorno Costeiro 

Carro da Prefeitura presente no local da obra
    No dia 15 de agosto de 2012 ás 9 horas, uma retro escavadeira a serviço da Secretaria de Obras da Prefeitura de Palhoça (SC) abriu uma vala de cerca de 2 km de comprimento e 2 m de largura com objetivo de drenar banhados, cursos de água e áreas úmidas que abastecem o sistema fluvial da região da Baixada do Maciambu. 
Máquina expõe o solo de banhado
Polícia ambiental ajuda carro da prefeitura
    A área corresponde ao sul do município de Palhoça, fronteira direta com o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro e está dentro da APA do Entorno Costeiro.
    Essa obra, segundo o funcionário da prefeitura que estava presente no local, tem a licença ambiental apenas da Prefeitura de Palhoça, e disse que não tinha essa autorização em mãos. Portanto, essa drenagem mesmo impactando diretamente o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro está sendo executada sem estudos prévios e autorização legal da Fundação do Meio Ambiente. Além disso, essa obra ocorre dentro da APA do Entorno 

Costeiro, Unidade de Conservação que não tem conselho deliberativo, consultivo e plano de manejo.
    A drenagem ocorreu a 500 metros da policia ambiental, próximo a guarita do Centro de Visitantes do Parque do Tabuleiro, os policiais afirmaram estar sem efetivo para fiscalizar a obra no momento em que a denúncia foi realizada, embora estarem 
cientes da drenagem que já ocorre há alguns dias. Inclusive um carro da policia ambiental que estava a caminho de uma audiência no ministério publico de Santo Amaro da Imperatriz ajudou a desatolar o carro da prefeitura no momento em que acontecia a escavação.

3 comentários:

Marisa disse...

Canga, o que esperar do MP, se sua Associação recebeu R$ 500.000,00 do FUNTURISMO para realizar uma reunião de seus membros e para piorar as coisas, apresentou uma nota fiscal de R$ 140.000,00, gastos em decoração.

Anderson Alexandre disse...

E ninguém na Prefeitura de Palhoça é preso, isso é surpreendente.
Enquanto comunidades estão abandonadas à própria sorte na periferia, enquanto a bandidagem corre solta, a infra estrutura que nunca chega às ruas da periferia, completamente abandonadas, o sistema de esgoto sequer é pensado; a prefeitura prioriza colocar máquinas para fazer drenagem na área de preservação ambiental. Isso é um contrassenso muito grande, isso é debochar da população do município, isso é uma "palhoçada" que não tem tamanho.

Morgana disse...

Continuamos esperando que a prefeitura de palhoça se manifeste e se justifique. Isso faz parte de um plano (diretor) para implantar uma zona industrial nessa área que não tem nenhuma vocação para tal. Esse plano também contempla a verticalização da região sul do município e e degradação total da área. Para saber mais, basta buscar no google "projeto de lei nº 1006/2012 palhoça". Já existe até petição pública contra ele... claro que os mapas são difíceis de achar e até mesmo de conseguir, pois as primeiras solicitações feitas na câmara de vereadores por associações da região já têm mais de um ano!!