terça-feira, 7 de agosto de 2012

Delay no Tribunal de Faz Contas

Luiz Henrique e Cavallazzi na operação Bocelli
   Em seu artigo de hoje no DC o excelente jornalista político Upiara Boschi revela que existe uma grande discussão entre os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado para decidir se incluem ou não o prefeito Dario Berger no processo do escândalo Bocelli.
    O caso Bocelli, como todos sabem, foi aquele golpe dado na cidade de Florianópolis quando o prefeito Dário, e o governador Luiz Henrique, jogaram, não se sabe onde, a pequena fortuna de R$ 2,5 milhões para realizar um show que ninguém sabe ninguém viu, muito menos o tenor italiano, Andrea Bocelli.
    Ora, os conselheiros do TCE estão, no mínimo, com dois anos de atraso. Existe um baita de um delay na notícia. O prefeito Dario Berger, juntamente com Mário Cavallazzi e Augusto Hinckel, faz parte do processo de Ação Popular que tramita na Vara da Fazenda Pública da capital. Está com seus bens indisponibilizados, em medida liminar deferida pelo juiz Luiz Antonio Fornerolli, desde 18 de março de 2010.
    O que estariam então discutindo, a esta hora da noite, os nobres conselheiros do TCE? Haveria algum viés político na discussão dos conselheiros?

Hummmm....



    Esse é o verdadeiro Tribunal de Faz de Contas. Sempre decidindo mal e atrasado.

3 comentários:

ateu capitalista disse...

CHEIRO PODRE NO AR...
CONSELHEIROS ESTES NOMEADOS POR QUEM?

Anônimo disse...

A Historia de um povo, sua construção no "fazer da sua existência", deve ser uma preocupação de todos.Isto permite apreender os contornos da realidade que envolve o presente de uma comunidade e sociedade.Os bons e maus exemplos, erigidos no real de um povo,ajudam no percurso de um presente em direção a "este" futuro melhor.Para SC iniciativas como a de divulgar a saga do Contestado são de importância vital na compreensão da historia de SC.E ajuda a explicar o porque, também de um certo "distanciamento" cultural e de interesses entre regiões de SC.Primeiro conhecer e valorizar a si e os seus, em termos de cultura/historia e politica, depois nos "expraimos" para as culturas dos "outros".Caso contrario teremos um mundo de aculturados comandados por políticos intelectualoides.Um exemplo de alienação cultural em SC, recentemente entre inúmeros exemplos, foi o caso "Bocelli".São casos típicos de iniciativas de pessoas com o "corpo fora de lugar", explico, gostariam de estar vivendo e respirando os ares de outras sociedades. Sociedade europeia para ser mais exato, onde musica ( "Bocellis"e festivais de dança classica os "teatro Bolshoi"da vida, entre outros).Estes com o"corpo fora de lugar",porque a cabeça já esta la,mas estão aqui saboreando das mordomias que "la " nunca teriam poque "la" as coisas publicas são levadas a serio.Aqui entra a historia, sempre a Historia, serve para ajudar a entender estas cabeças "sem corpo". No seculo 19 durante o "embelezamento"e "higienização" físico/ social/racial da Desterro e da Província por contagio,as "cabeças vazias" e "sem corpo"lotavam a cidade.Os discursos eram no sentido de impor exemplos de "la", o manesinho o nativo com sua cultura deveria sumir , mas continuava sustentando com impostos os devaneios as mordomias e os desvios dos "sem corpo". Voltamos ao presente e podemos ver a mesma "gentinha" com os mesmos sonhos europeizantes.Centro de eventos sem eventos "só custos", "Bocellis"e Bolshois" foram e são impostos aos catarinenses como exemplo "mais profundos e "caros"de nossa cultura( um pouco de historia cultural dos povos deveria ser obrigatório para estes políticos). Nada contra a cultura europeia, mas a cultura local é que deve receber apoio. Os impostos são pagos por quem? O politico que gostar de musica e dança de outras "bandas" que vá assistir as suas custas estes espetáculos.Secretaria de Estado da Cultura de SC é para incentivar, financiar e dar todo o suporte a cultura de SC e do Brasil.Caso contrario estaremos sempre nas mãos destas cabeças "sem corpo" e com a cabeça vazia de cultura e historia de SANTA CATARINA e "fora de lugar".

xaxa disse...

Canga, o processo sobre uma empresa fantasma de publicidade - Publimarkting Publicidades Ltda - aberta na casa de um secretário da fazenda e administração aqui em Grão-Pará e aberta no mandato no ex-prefeito Amilton Ascari(PSD), encontra-se parado no gabinete no Júlio Garcia há mais de 08 meses. O auditor junto com o promotor, proferiu de sentença uma multa pelas falcatrua, que somadas dão R$117.000,00, que ninguém conseguiu comprovar para foram parar.
Aí o TCE-SC serve para quê mesmo?