sábado, 4 de agosto de 2012

Uma ilha em meio ao lixo musical produzido no Brasil

Depois que a mídia nacional, de olho na ¨emergente classe C¨, resolveu nivelar por baixo e investir maciçamente em produções de péssima qualidade musical, o surgimento de um grupo de intérpretes como o Sambô, é um alento para os ouvidos mais apurados e carentes de boa música no Brasil.





    Uma roda de amigos, todos músicos profissionais e com a mesma intenção: tocar um samba de primeira, em volta de uma mesa, batendo papo.
    Assim nasceu o Sambô. Uma mistura de muita experiência profissional e de muita vontade de se divertir. Mas essa mistura não parou por aí.
    Aproveitando o conhecimento em outros ritmos, principalmente o Rock e o Pop, e as características diferentes de cada um do grupo, surgiu o que o Sambô chama de "Rock-samba".
    Músicas como "Mercedes Benz" da Janis Joplin, "Rock'n Roll" do Led Zeppelin ou "I feel good" de James Brown, são cantadas por Daniel San (voz e pandeiro) com sua voz característica de rock e acompanhadas por cavaquinho, tan-tan, rebolo...instrumentos típicos de uma verdadeira roda de samba.
    O Sambô ainda conta com Sudu Lisi na bateria, Ricardo Gama no teclado, Sávio Penha no cavaquinho, Júlio César na guitarra e banjo, Max Leandro no tan-tan e rebolo e a alegria e o swing de Zé da Paz no pandeiro.
   Tudo isso misturado com um repertório de samba escolhido a dedo.
   Esse é o Grupo "Sambô".

Nenhum comentário: