sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Suspeita de fraude pára obras da Rodobens

Empresa que contruiu o condomínio "Essence Life Residence" no Campeche, pode estar envolvida em fraude ao patrimônio público, em Palhoça. 
Decisão judicial determinou, hoje, a posse dos apartamentos do Essence, onde proprietários estavam há 2 anos proibidos de ocupar seus imóveis.

Moradores desmontaram e devolveram a passarela à empresa
Foto: Dauro Veras
    A empresa Rodobens Negócios Imobiliários - a mesma que construiu o Essence, um conjunto de prédios, no Campeche - foi obrigada a interromper imediatamente as obras no terreno da Colônia Penal Agrícola de Palhoça. A decisão foi do Juiz de Direito Luiz Antonio Zanini Fornerolli, atendendo uma ação cautelar preparatória de ação civil pública proposta pelo Pocurador-Geral de Justiça, Lio Marcos Marin. 
    A Rodobens vem enfrentando vários problemas em Florianópolis como ações judiciais e demolições de equipamentos construidos irregularmente em áreas de preservação.
   
   Posse dos imóveis    
   Hoje (5), proprietários de apartamentos no conjunto Essence, ganharam na justiça, decisão favorável ao pedido de posse de seus imóveis. Há 2 anos, estão impedidos de entrar nos apartamentos comprados devido a falta de matrícula individualizada. O prédio que comporta 3 enorme blocos, à beira dunas, à noite parece um transatlântico fantasma. Um monstrengo totalmente no escuro devido a falta de moradores. 
   
   Atentado ambiental
   Em outubro de 2011 o Ministério Público Federal (MPF) instaurou Inquérito Civil Público (ICP) para investigar a existência de passarela pertencente ao empreendimento "Essence Life Residence", supostamente construída sobre dunas e terras de marinha, na Praia do Campeche, em Florianópolis. 
   Moradores da praia do campeche se organizaram e demoliram a passarela construida ilegalmente em Área de Preservação Permanente.
   Proprietários de apartamentos no Essence, estão se organizando para entrar na justiça contra a Rodobens. Venderam o que não podiam entregar. Um deck em área pública e um quiosque no final do deck, onde era o bar do "Seo" Chico.
   A ação revisional do contrato de compra e venda prevê redução no preço final da unidade até 30%.

   Leia a matéria completa sobre a paralização das obras da Rodobens no Porta do MPSC.


2 comentários:

julia583 disse...

Fora, Rodobens! Justiça já!

anamedeiros disse...

beleza......fora rodobens!!!!