segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Para TRE Gean pagou por show que não houve

   Os juízes do Tribunal Regional Eleitoral em decisão unânime proferida nesta segunda-feira confirmaram que o candidato Gean Loureiro foi o responsável pelo pagamento do cachê de R$ 2,5 milhões do tenor italiano Andrea Bocelli. O show nunca foi realizado.
   Os magistrados ainda concederam ao candidato Cesar Souza Júnior direito de resposta por quatro dias na primeira página do site oficial de Gean. Isso porque, logo depois das primeiras inserções da coligação Por uma Cidade Mais Humana mostrando a ordem de pagamento assinada pelo então prefeito interino Gean Loureiro, o candidato governista publicou em seu site uma “notícia” com a manchete “Cesar mente”.
   Por unanimidade, os juízes do TRE entenderam que Cesar falava a verdade e confirmaram que Gean pagou pelo espetáculo na condição de prefeito interino.

Bocelli: O show que só Gean Loureiro viu!

   Um dos maiores escândalos envolvendo dinheiro público acontecido em Florianópolis está de volta à mídia: é o Caso Bocelli.
   Uma trama urdida nos gabinetes oficiais do Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Florianópolis, ganhou repercussão internacional, quando um mega-super-show, planejado pelo então governador, Luiz Henrique da Silveira e o prefeito Dário Berger, acabou num fiasco monumental e no desaparecimento de mais de R$ 6 milhões dos cofres catarinenses.
   O que era para fazer a alegria de florianopolitanos e turistas, o show de Natal do maestro italiano Andrea Bocelli, simplesmente não aconteceu.
   A frustração da cidade virou indignação e caso de polícia. Na justiça, os mentores do escândalo, Luiz Henrique, Dário Berger e Mário Cavallazzi, tentam se safar com desculpas e explicações hilárias, que beiram o ridículo.

   A gênese
   Tudo começou numa bela tarde de outono, no requintado gabinete do governador Luiz Henrique da Silveira. Segundo transcrição no voto da relatora do processo (TCE-06/00654848), Sabrina Nunes Locken, estavam no gabinete de LHS, Dário Berger, Gilmar Knaesel, Walter Galina, Mário Cavallazzi, dois representantes da empresa carioca Beyondcomm e Cleverson Siewert, secretário da Fazenda do Estado.

   Ali, em clima festivo, se discutia a magnitude da moderna árvore de Natal de leds, que seriaplantada na Av. Beira Mar Norte, para adornar o que Luiz Henrique batizou de o Natal dos Sonhos!
   Embriagado com tanta modernidade e beleza, Luiz Henrique, em um lampejo de lucidez, comenta:"a árvore ficaria de fato maravilhosa, ainda mais, se o maestro Andrea Bocelli pudesse cantar ao pé da monumental árvore" (sic). A idéia foi recebida com entusiasmo por todos os integrantes da fatídica reunião.
   Luiz Henrique, poderoso, imediatamente dispara um telefonema internacional para a Sra. Milena Perini, amiga de Andrea Bocelli e pessoa de sua relação social em Joinville, ora morando na Europa.
   Dona Mileni fez a ponte e colocou o maestro italiano em contato pessoal com o governador. Segundo relatos de participantes do convescote, Luiz Henrique, naquele momento, elevou o ego às nuvens numa pirotecnia exibicionista em frente aos embasbacados mortais municipais.
   Andre Bocelli sucumbiu frente ao maravilhoso relato da bela árvore que adornaria seu grande show, e disse a LHS: "se a árvore é tão grandiosa e bonita assim, vou fazer o show". (Tadinho!)
   Pronto, estava criado o ambiente que redundaria no retumbante fracasso. O Natal, que seria dos Sonhos, virou o Natal do Pesadelo.

   O show de Gean
   Apesar de toda a divulgação do cancelamento do show em Florianópolis, contrariando a tudo e a todos, uma pessoa afirma, por escrito, que viu o show do tenor italiano acontecer na cidade. Esta pessoa é o então prefeito em exercício de Florianópolis, Gean Loureiro.
Isso é o que consta, em certidão por ele assinada, nos autos do processo que tramita no Tribunal de Contas e na Justiça, e que deve ser julgado por esses dias.




   Em tempo
   Muito comentado nos últimos dias a peregrinação do ex-presidente do TCE, José Carlos Pacheco, no gabinete do conselheiro Salomão Ribas Jr.. Pacheco estaria fazendo loby maçônico a favor de Gean, Dário e Cia. alertando que o show existiu, conforme a certidão do DeMolay Gean Loureiro. Seriam todos irmãos.
(Publicado originalmente em 20 de agosto de 2012)

6 comentários:

Anônimo disse...

Dário ficou revoltado com a má performance de Gean ontem no debate http://imageshack.us/photo/my-images/542/putariadario.jpg/

GAFANHOTO DA MAÇONARIA disse...

DEPOIS ELES VEM COM ESSE PAPINHO QUE MAÇONARIA É PARA AJUDAR OS POBRES E COITADINHOS...

Anônimo disse...

Isso tudo tem que ser divulgado para todos os eleitores! É uma vergonha!

ANNA disse...

ACORDA MEU POVO !!!!

Anônimo disse...

ATE O MOMENTO O JEANLOROTEIRO NÃO FALOU ONDE ESTÁ O DINHEIRO DO SHOW Q NÃO ACONTECEU....O POVO QUER SABER...ESSE DINHEIRO NOS PERTENCE....SERÁ QU FICOU PRO CX 2 DELES ????????????????

Anônimo disse...

IRMAO AJUDA IRMAO MESMO QUE SEJA LADARAO