quarta-feira, 21 de novembro de 2012

A imagem perfeita do Fisiologismo deste país

   Por Armando José d’Acampora *

   Acabado o julgamento do núcleo político do mensalão, pela mais alta corte do país, com a consequente punição aos infratores, súbita e repticiamente se descobre que o sistema judiciário e carcerário federal é medieval.
   Representante maior do asssunto, o Ministro da Justiça, refere que “prefere morrer a ser preso no Brasil”.
   Um dos ministros da Corte, Gilmar Mendes, pergunta: “Só agora?” 
   Coincide com uma série de atentados à sociedade como um todo e a bens públicos como ônibus e outros veículos, além da intensa agressão à vida, como em São Paulo.
   Imediatamente o Governo Federal toma a atitude de enviar uma comissão dos direitos humanos para averiguar in loco, a Penitenciária de Segurança Máxima de São Pedro de Alcântara em Santa Catarina, pelo razão de ali haver relatos de anormalidades em relação ao tratamento humano que deveria ser dispensado aos internos.   Dai se pergunta: a conveniência do Sr. José Eduardo Cardozo em perceber que, agora e só agora, os presídios são medievais.   Porque? Afinal de contas, essa é a terceira gestão, ou será temporada, deste mesmo governo.
   Será pelo simples fato de não haver prisões de alta complexidade no país? De alto luxo como estão acostumados com os hotéis onde costumam se albergar alguns dos sentenciados?
   Ou será que gostariam da mesma alternativa dos governantes, naturalmente utilizada quando precisam de cuidados médicos?
   Enquanto o povo se ferra nas filas do SUS para mendigar umatendimento ou um exame ao qual tem todo o direito, garantido pelo mesmo Estado, os governantes se internam em Hospitais de alta complexidade, como o Albert Einstein e o Sírio Libanês?   Porque e, com a mesma agilidade, o Ministério da Saúde também não envia uma comissão de direitos humanos, para fiscalizar os Hospitais, desta vez perfeitamente coerente, pois seria a favor dos usuários do SUS?
   Atualmente, na mesma Santa Catarina, o Sindicato dos Servidores da Saúde determinou greve, que com exceção dos Médicos, os outros funcionários da Saúde estão de braços cruzados. Onde está a agilidade do mesmo Governo?
   Pois é. A população se pergunta: Se as penitenciárias são para que se mantenha afastados os agressores da sociedade e para isso se designa uma Comissão proveniente de Brasília, porque o mesmo tratamento não é dado a quem é agredido pela mesma sociedade em não poder ser atendido nos nossos Hospitais?
   Os impostos não somos todos que pagamos? Não deveria haver o mesmo peso e a mesma medida para ambas as situações? Porque as Penitenciárias são prioridade e os Hospitais não?
   Quem sabe um dia obteremos alguma resposta condizente com a inteligência da sociedade.

* Médico, Cirurgião, Professor Universitário

Um comentário:

a disse...

Aberta uma Escola se fecha uma Prisão. Um brasileiro sagaz já disse isso outrora. Hoje soube que o desgoverno anterior de SC (e o atual é deveras estúpido e conveniente ao anterior também!) foram fechadas OITO Escolas públicas em Florianópolis. Mais prisões, definitivamente, NÃO! Sem Educação não há solução. E a criminalidade parece ser mais bem organizada que o desgoverno que supostamente deveria fazê-lo. A bosta chama-se Capitalismo e é este o inimigo real que flagela a Sociedade por inteiro. "Grana", a qualquer custo, é o objetivo da casta dominante e nesta sanha mórbida por dinheiro, direitos fundamentais são ignorados; aliás, inclusive àqueles aprisionados. Nesta atmosfera surreal vejo como natural a rebeldia de delinquentes mal tratados. Até parece revolucionária, pois conseguiram seu intento: mostrar o descalabro dentro de um presídio desqualificado e definitivamente não tencionado a reabilitação social dos apenados. O caos em outras áreas é similar, inclusive na Saúde, aonde o dinheiro é desviado para outros fins. Culpa do Governo Federal? Sei lá, mas por aqui devemos ações de cidadania que independem dele. A culpa é nossa mesmo, por aceitarmos passivamente descalabramos de toda sorte.