terça-feira, 27 de novembro de 2012

Caro Canga!

   Se forem confirmados os boatos da rádio corredor, nos primeiros dias de dezembro o Sr. Sandro Silva estará voltando à Presidência do DETER. Confirmando a volta do Sr. Sandro Silva, confirma-se um dos maiores casos de corrupção política, jogo de influência e improbidade administrativa do Governador. Este cidadão esteve na Presidência do DETER até abril deste ano, se afastando para assumir uma vaga na Assembléia Legislativa onde, como Deputado Estadual, tentou alinhavar a sua indicação como candidato à Vice-Prefeitura de Joinville. Sem obter êxito, retorna ao cargo de Presidente do DETER que ficou vago todo este tempo, esperando pelo seu insubstituível titular. O DETER ficou, e está, 8 (oito) meses sem Presidente, porque os padrinhos do Sr. Sandro Silva bateram pé com a coisa pública, com a vaga que lhes pertencia, e determinaram ao Governador que guardasse a vaga para a volta de seu afilhado. Ordem dada, ordem cumprida.
   Até entenderia essa reserva de vaga para o Sr. Sandro Silva, se nos pouco mais de 12 (doze) meses que esteve a frente do órgão tivesse implantado uma administração moderna, eficaz, que possibilitasse a consecução de objetivos e conquistas de forma automatizada, como deveria, independentemente da vontade política, mas apenas pela gestão profissional da equipe. Só que isso não ocorreu. Muito ao contrário, o DETER foi invadido por oportunistas fisiológicos, sem qualquer capacitação e comprometimento com o bem público, preocupados apenas com os seus objetivos políticos. Como resultado de tudo isso, da incompetência administrativa instalada no ógão, pelo segundo ano do Governo Raimundo Colombo e da Administração Sandro Silva, o DETER vai devolver aos cofres do Tesouro Estadual, praticamente todos os recursos destinados a investimentos, como construção de terminais rodoviários e hidroviários e abrigos de passageiros. São perto de R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais) por ano, ou 6 milhões em dois anos, de dinheiro arrecadado do usuário do transporte coletivo que não lhe proporcionou nenhum benefício ou retorno. Em resumo o DETER ao longo destes dois anos existiu por existir. Arrecadou para pagar a sua folha de funcionários que batem cabeça diariamente sem ter o que fazer, sem administração, sem chefia e sem rumo.
   Será que isso é indicativo para a recondução de uma pessoa à Presidência de uma autarquia? Será que isso não seria suficiente para caracterizar improbidade administrativa de um Governador que permitiu que isso acontecesse ? São R$ 6.000.000,00 suprimidos dos usuários do transporte rodoviário e hidroviário intermunicipal de passageiros! 
   Depois as coisas acontecem, como está ocorrendo na saúde, na educação e na segurança, e as pessoas não sabem como a situação chegou a esse ponto. É bem fácil, olhem o que está ocorrendo no DETER e entendam. Bom se o Ministério Público existisse! Bom se alguem reponsável estivesse no Governo!
   Saudações!

3 comentários:

Anônimo disse...

Com ou sem Presidente, o Deter não serve para nada mesmo, a não ser para desvio de verbas públicas.

BV

Anônimo disse...

Com certeza, vão para o DETER para fazer caixa2 para a campanha eleitoral. Achacam os empresários das empresas de transportes que preferem pagar propina para, em contrapartida não recolher a TA (taxa de administração) devida ao sistema.
Fiscalizão corrupta, recebem estadias e trocam notas frias por dinheiros com os empresários.
Empresa REUNIDAS é a maior devedora.

Anônimo disse...

O pior é que parece que quem podia fazer alguma coisa(senhor governador e assessores) está com problema e audição e visão.
Também não entedemos poque as emissoras não tem coragem de publicar nada sobre o assunto.
Será que o senhor Luiz Henrique mandante da triplice aiança é sócio das emissoras também.
O DETER pede socorro