quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Desculpas ao colega Rafael Martini da RBS

   Em primeiro lugar quero me desculpar com os leitores e depois com o colega Rafael Martini, titular da coluna Visor do Diário Catarinense, por tê-lo induzido ao erro inadivertidamente.
   Como todos sabem, Martini é assíduo leitor do Cangablog. Demonstra isso em seu blog e na sua coluna impressa no DC. Mas hoje ele acabou publicando duas informações sobre o "escândalo Bocelli" que haviam sido dadas com exclusividade por este blog e, por não checar as informações, copiou ipisis literes uma notícia errada que eu havia publicado.
   O primeiro furo do Cangablog foi a notícia de que Andrea Bocelli será ouvido pela justiça catarinense em São Paulo, dia 13, quando se apresentará no Jockey Club. A segunda notícia foi sobre o julgamento de um recurso do prefeito Dário Berger que, envolvido no "escândalo Bocelli", teria sido marcado para o dia 11 de dezembro.
   Acontece que este jornalista, inadvertidamente, chamou a matéria como se fosse marcada a data do julgamento do "Caso Bocelli". Não era, era o julgamento de um recurso do prefeito Dário para que seus bens fossem desbloqueados.
   O Rafael Martini chupou até o erro!!!!!

A "barriga" da "barriga"

Coluna Visor de Rafael Martini, da RBS

6 comentários:

GAFANHOTO disse...

POXA CANGA VC DÁ O FURO E ELE QUE FATURA VENDENDO JORNAL??? COBRA ROYALTES DELE!!!

J.L.Cibils disse...

Canga, ve se escreve alguma estória no estilo Orson Welles, fico imaginando, a chupada ia ser monumental, ver que tv,radio,jornais e midias virtuais deste grupo de "rede de baixos salarios", copiando literalmente todas as virgulas.
Seria um bom presente de final de ano, para rirmos um bocado.
Abraços!

Anônimo disse...

Kkkkkkkkkk.
Bizarro.

Anônimo disse...

Canga, vê se não comete mais equívoco para permitir ao pessoal chupar certinho e não derramar inverdades pelo canto da boca.

Anônimo disse...

Ele tbém cita que o Bocceli recebeu da prefa. É vero?

Anônimo disse...

Toda a realidade da informação pela internet e do jornalismo é da mesma forma dúbia. Isto, porque as fontes não são relacionadas aos fatos e a credibilidade dá-se por referência pessoal ou profissional. E o distinto Sérgio Rubim teria acesso privilegiado a informações ou seriam elas sua exclusividade? Se não, muito provavelmente ele mesmo pode relatar noticias que tenha publicado por extração, ainda que dada uma versão personalizada ao tema.