sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Um editorial

   Por Marcos Bayer
   O Diário Catarinense, jornal do Grupo de Comunicação RBS, num surto de espírito privado e atento aos ensinamentos do católico John Fitzgerald Kennedy convida seus leitores a participarem da elaboração de seu editorial de final de ano.
   Baseado na pergunta do presidente norte americano, “Não pergunte o que a América pode fazer por você, mas o que você pode fazer pela América”, a intenção de ambos, a pergunta e o editorial, é diluir a responsabilidade pela construção de uma nação.   Então eu digo, como grupo de comunicação, é preciso dar oportunidades aos novos talentos que surgem na política, nos esportes, nas artes e no jornalismo.   Como pode ter em seu principal colunista político, um empregado de tribunal público, cujo ingresso ocorreu em troca da liberdade de expressão, em 1979?
   Como podem dar voz, imagem e razão aos novos ventríloquos políticos, cuja ação e opinião são invariavelmente mentirosas?
   Como podem aceitar auxílio financeiro do governo em curso para shows de artistas internacionais e de desfiles de moda?   Como podem noticiar a inverdade de que a viagem à banca internacional em New York resultará em efetiva economia?   Como podem veicular um programa de obras de R$ 7 bilhões de reais que ainda não aconteceu?
   Como podem aceitar participar da verba anual de publicidade no valor de R$ 109 milhões, enquanto hospitais e escolas vivem na sucata?   Como podem estampar nas colunas sociais, risonhos e de copo nas mãos, parentes dos principais anunciantes? O que eles têm a dizer para a comunidade que lhes compra seus produtos?   Por que o jornal não publica opiniões dos que fazem parte da comunidade em que ele circula?   Por que o jornal não denúncia a parte podre do poder?
   A isenção tributária, garantida constitucionalmente, já não é o suficiente?
   Uma empresa de comunicação é também responsável na construção de idiotas com função social ou de pessoas capazes que organizarão, politicamente, a cidade, o estado e o país onde vivem.   Se não souberem como fazer, deem menos espaços aos ladrões, aos cínicos e aos hipócritas de plantão. Já é um bom começo...

16 comentários:

Anônimo disse...

28/12/2012 | 00:00
Boquinha garantida

Do Cláudio Humberto:

A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), esperou as festas de fim de ano, quando poucos lêem Diário Oficial, para se aposentar como ex-senadora. O ato foi publicado ontem pela diretoria-geral do Senado.

Anônimo disse...

Caros Marcos

Esta foi a melhor síntese que já li a respeito deste câncer que se instalou em nosso estado.

Anônimo disse...

Infelizmente o texto bem escrito relata uma situação que não é somente privilégio da RBS, mas de todos dos grupos editoriais do país, mas do mundo. Sempre há os que são mais e os que são menos alinhados com o grupo que está no poder. O mote da boa impressa é a impressa que luta por liberdade porém na verdadeira a liberdade é ganhar mais por baixos dos panos e parecer livre. A caravana passa...

Anônimo disse...

"Se é Bayer, é bom", já dizia antiga propaganda do produto com essa marca. Marcos mirou no alvo e acertou na mosca. O grande mandatário chama-se errebeesse e o seu preposto instalado no governo deixa a empresa jornalistica em boa saúde, sempre com anunciação dos melhores negócios. No início do ano, este blog denunciou que o famigerado pretinho básico recebeu seiscentos mil reais para percorrer o estado, atrás de atreções para o tal planeta, projeto supersucedido, pois bancado com alta grana que vaza do cofre do governo catarinense. Tudo com respaldo no imposto pago pelo povo desta terra, e que não é pouco.

Anônimo disse...

é verdade, a instalação do grupo RBS foi a coisa mais nefasta que aconteceu para Santa Catarina.
uma imprensa hipócrita que mina a liberdade de expressão e a cidadania,vetor de uma colonização cultural avassaladora.
em paises civilizados as grandes fortunas e fundações fazem doações importantes para a educação e a cultura.
essa só faz veicular, com seus locutores melosos e graves,mensagens inócuas enquanto suga do estado o dinheiro dinheiro que deveria ser aplicado justamente em educação e cultura.
triste estado devastado pelo vanto dos pampas...

Anônimo disse...

Tá me cheirando a lamento de um magoado por nunca ter tido espaço no jornal. Porque, então, o blog reproduz o Moacir Pereira e o Cacau Menezes?

Anônimo disse...

RBS são os TONTONS-MACOUTES das comunicações. Depois dos atentados do PGC, que assolaram o povo, esse poderoso grupo de Comunicações chamado RBS, que opera através de concessão do Estado, vem com esse PLANETA ATLÂNTIDA e com EMICIDA e PLANET HEMP, em pleno "Sapiens Park", área Pública, diga-se de passagem. E o Estado ainda autoriza os Shows...

Skull

Anônimo disse...

O Canga sozinho fez mais denúncias documentadas do que todos os funcionários juntos daquele papel colorido que se distribui de graça em postos de gasolina.

Anônimo disse...

Por motivos similares aos que te fazem ler o Cangablog. Mesmo sendo pelego, tu lê o anarquista.

Anônimo disse...

Esta é precisamente a diferença. O blog do meu amigo Canga, de quem não tenho procuração, fala e deixa falar. "Reproduz" [dá o link], mesmo que concorde ou não com o conteúdo do que os colunistas do jornal chapa branca dizem. Moacir e Cacau são muito bem informados. Informação não se despreza, se avalia a forma como é dada, enquanto Blog é opinião, como diz o Prof Cesar. O resto é babaquice de quem não sabe discernir entre a excelência do texto do Bayer cujas virtudes residem nos fatos, daquilo que lhe move as paixões: parece que a vesícula ou fígado. Feliz Ano Novo, mas dá uma espiada em um excelente texto no Noblat sobre a POBREZA que assola o jornalismo impresso. Ao tentar correr como a mídia eletrônica sem conseguir, faz um pastelão rasteiro e baldio. Les Paul

Anônimo disse...

O Cangablog já é o mais apurado "jornal" de SC.
Nele podemos ver tudo, todos e os tolos que representam a vida política desta terra.

Luciano Vidal Lyra Pereira disse...

Gente, não vamos demonstrar tanta ingenuidade. É sabido que rádio e tv são concessões governamentais. Concessões estas distribuidas ou não a bel prazer do governante de plantão em Brasília. É certo que o estado -na forma de poder executivo- seja o único com poder dedar ou caçar concessões? Eu acho e acredito que a maiora dos que lêem este blog também! Contudo, não há previsão para que isto mude ou seja ajustado a um mundo democrático. Informação/conhecimento é poder, então, é melhor que os meios de comunicação sejam confiaveis do ponto te vista do governo. Claro que o governo como não é santo -tanto faz se o governo é de esquerda ou direita, se é que isto ainda existe- e faz presão para conter moderar ou calar a mídia atendendo seus interesses. Por isso é que não dá para exigir ou questionar a independencia nestes casos. Vez por outra a midia faz alguma denuncia, em seguida fazem um auê danado, repercutem um pouco e depois cai tudo no esquecimento e isto acontecendo em pleno exercicio democrático.
Agora, não dá para pensar que o negócio é ser independente, montar um blog e ficar escrevendo o que se pensa. Bloqueiro também é gentte e para sobreviver tem que trabalhar -a não ser que já esteja aposentado. Mesmo assim não é fácil, pode se dizer que dá para ganhar algum dinheiro com banners de publicidade em blog, mas mesno assim depende do conteúdo do blog. Como exemplo dá para citar o caso do finado Mosquito. O blog dele enquanto ativo era um dos mais acessados, seu conteúdo era nitroglicerina pura, lhe rendeu popularidade, postou noticias quentes como o caso do estupro daquela menina que estuda/estudava no Colégio Catarinense, questionou a honesteidade do Dário Berger com dados e o chamava de coisas de conhecimento público que não vem ao caso repetir. Mas também pagou um preço altissimo por isso, como estava peredendo processos e estava na iminencia de ser preso, surtou e pôs fim a sua vida. Mas eu pergunto: Qual é a empresa de nome que teria coragem de fazer publicidade no blog dele? Caso alguma destas o fizesse, certamente teria sua vida fiscal revirada de cabeça para baixo e se lidasse com poder público deixaria de ganhar licitações e por ai vai!
No fundo a tal independencia tem preço e se não se cuidar o preço pode ser impagável.
Quanto a vinda da RBS para o nosso estado, é bom puxar pela memória e lembrar como é que era a mídia ainda nos anos 70. A retransmissão do sinal da Globo era feita pela tv Coligadas de Blumenau, que retransmitia o sinal em Floripa pelo canal 2. Recordemos que nos anos 70 as atividades da Globo cresceram muito e a Coligadas não acompanhou. A consequencia foi a liberação de uma concessão para Santa Catarina e a "vencedora" foi a RBS que começou a transmitir a Globo a partir de 1979. Em consequencia disso, a tv Cultura e a Coligada se uniram depois da derrocada da tv Tupi e começaram a retransmitir o sinal da rede Bandeirantes. Como a situação não melhorou muito para a tv Coligadas, depois quese 10 anos ele foi adquirida pela RBS e o Jornal de Santa Catarina também o foi depois de mais alguns anos. Mas o caso do Santa foi outro, a RBS montou sua estrutura jornalísitica mas não conseguia penetrar no mercado de midia impressa no vale do Itajai, mercado praticamente cativo do Santa na época. Depois de muito dinheiro, o jornal foi vendido a RBS. O grupo gaucho antes de montar seu jornal próprio em Floripa tentou comprar o jornal O Estado, mas depois de ver a situação contábil e de dívidas desistiu porque sairia mais barato criar estrutira própia a partir do zero. Este retrato da mídia local não é algo definitivo nem exaustivo, é algo puxado da memória.

Anônimo disse...

Eu lembro de que , nos idos 80, lia-se nos muros da cidade: RBS é PDS. Agora, com a eleição da Ana Amélia Lemos senadora pelo PP, a a profecia - ou constatação? - se materializou. E, de passagem, no que deu aquela ação do MPF contra o monopólio de imprensa do grupo gaúcho? A imprensa é livre, mas não é justa. Enquanto as editorias rezarem a cartilha dos interesses político-financeiros das famílias proprietárias, toda esta conversinha mole de liberdade de imprensa fica relativizada
Paquistanes

Anônimo disse...

Esse é o Marcos Bayer. Direto, profundo, inteligente, provocador e verdadeiro. É verdade, depois que a RBS veio p/ SC, as coisas mudaram muito, e p/ pior. Colocaram a faca no peito dos governantes e começaram a extorquir de todo jeito, em troca sabe-se lá do que.Começou a epoca do denuncismo barato, com o único objetivo de criar dificuldade p/ vender facilidade. Com reportagens mentirosas, furos que não existem e barrigadas mil, é um jornalismo que vive em criar medo em quem decide, calar quem não aceita o jogo da publicidade a todo custo, tanto nos governos como na iniciativa privada. Nunca conseguiram se inserir na cultura local, não pq são Gauchos, mas pq não olham além do próprio umbigo. Por isso, estão fadados a serem sempre carimbados como forasteiros e "grupo de fora", apesar de estarem por aqui ha um bom tempo. Isso inclusive, merece estudo por parte dos entendidos. Como não conseguem identidade se já estão aqui ha tantas décadas? Simples: pq não pensam como Catarinenses nem como gauchos, e sim como Sirotskis....

Anônimo disse...

Muito interessante. Tá me cheirando a autoelogio !!! Não confunda competência com jornalismo barato. Reportagens mentirosas, furos inexistentes e barrigadas mil existem em toda a midia. O que dizer do ND da família Petrelli?

Anônimo disse...

Competencia? só se for em extorquir dinheiro dos governos; aí sim concordo com vc. Além do mais " o seu jornal" DC, não dá p/ ler, ou melhor, lê-se 10% do que está escrito. O resto, joga fora. Coincidência ou não, o que deve ser lido é Sergio C.Ramos e Moacir Pereira, dois jornalistas da "terra". Percebeu ? - não receba isso como algo pessoal, ou algo que vc, sendo pago pela RBS tenha que rebater e citar outra família e outro veículo de comunicação p/ eventualmente defender algo que é apenas constatado facilmente. Eu, nem jornalista sou, muito menos empregado de quem quer que seja.