terça-feira, 27 de março de 2012

O circo mágico da alegoria

    Por Marcos Bayer

    “Na celebração dos 90 nos do PC do B, José Sarney contou também sobre sua relação com os comunistas desde a infância em sua casa, sua família e na escola, entre outros episódios, com a sua professora, Mãesinha Mochel, da tradicional família Mochel, de conhecidos idealistas e esquerdistas” informa o blog do Décio. Este discurso comprova dois fatos: que Sarney é comunista ferrenho visto que não larga o poder desde 1955 quando foi eleito deputado federal. São 57 anos no poder e ao lado do poder. Nikita Kruschev governou a URSS de 1953 até 1964, apenas. O outro fato, já comprovado, é que Sarney brincava com bolinhas de plástico vermelhas. Inclusive, em suas festas de aniversário, exigia de sua mãe, Dona Kiola, balões e velas vermelhas para a decoração do bolo e das amplas salas de sua morada. Vem daí sua admiração pelo comunismo.
    Além dos tapetes vermelhos, claro. Enquanto isto, um ex-funcionário do Banco do Brasil, que virou ministro da fazenda do Sarney e depois consultor de empresas, especialista na obtenção de recursos de bancos governamentais para empresas abaladas por qualquer razão, diz em manchete de jornal catarinense: “Novo ICMS é ruim para o país e pior para SC”. Posiciona-se contra a unificação das alíquotas estaduais. Além de representar sua opinião, a afirmação é um grande lobby. Noutra ponta, o presidente da FIESC parabeniza e lamenta, com cópia à ministra da secretaria das relações institucionais, o desconvite às empresas catarinenses na reunião sobre a desindustrialização. Ninguém lembra de que foi o advogado Aldo Hey Neto, preso pela Polícia Federal em agosto de 2006, acusado de algumas traquinagens na secretaria da fazenda estadual, entre elas a venda de benefícios fiscais, cujos lucros, em parte, foram encontrados numa maleta, num apto em Jurerê, recheada de dólares, libras, reais e dois vibradores. Presume-se que os últimos fossem para estimular os negócios das partes. Foi ele, um misto de mago e engolidor, quem concebeu o fantástico ralo por onde foi escoada, no ano passado, a quantia de R$ 4,2 bilhões de reais em razão da tarifa especial de ICMS de SC para as importações. Este programa, denominado “Pró-emprego”, antes Compex, foi uma de suas contribuições ao governo de Luiz Henrique da Silveira. Entre os anos de 2003 e 2011, as importações nos portos de Itajaí e Navegantes, aumentaram em cinco vezes. E, dizem os estudos, que os empregos cresceram em 195%, ou seja, 18 mil empregos. Não se especifica que tipo de emprego nem quais os salários. Mas, sabe-se que dentre os setecentos escritórios credenciados para a promoção das importações, estão amigos e filhos de amigos do então governador visionário, que embora oblíquo, foi capaz de contribuir definitivamente para a atual desindustrialização de Santa Catarina. Também não se fala em quantas empresas fecharam e quantos catarinenses foram demitidos em razão desta aventura incestuosa entre Joinville e Curitiba, a cidade do mago engolidor.

    Nada contra as preferencias do mago em relação aos seus objetos lúdicos. Mas, total reprovação aos atos contra a economia catarinense. Vale lembrar que este estado é dotado de uma capacidade fenomenal para produzir. Tem uma indústria exemplar, com padrões similares aos melhores do mundo. Tem um caráter empresarial que emociona e empolga gerações com histórias que vão desde os dois peixinhos até as perdizes do campo. Santa Catarina tem dois tipos de empresários: os que trabalham e sabem fazer e os que sugam, com autorização do governo, recursos que pertencem ao povo. Os primeiros pagam pesados tributos e honram com suas marcas a produção nacional. Os segundos sonegam e vivem de facilidades temporárias, cujo legado e nem o exemplo poderão ser úteis aos seus filhos. Este é o debate que evitam fazer.

ATERRADOR!!!!

Professor da UFSC esfaqueado no pescoço em lanchonete da Agronômica



Do ClicRBS

Beaco, Johnnie Walker e o Gigante Adormecido

    Dia desses me apareceu o Beaco Vieira na Kibelândia. Fazia tempos que a gente não se encontrava. Da última vez que telefonei para o Beaco, estava em Paris.
    Mas desta vez tinha uma coisa interessante para mostrar-lhe. Era sobre um comercial do Johnnie Walker.
   Sempre que nos encontrávamos o Beaco me falava que queria produzir um curta-metragem sobre o Gigante Adormecido. Aquele que continua inerte ali no Morro do Cambirela.

O gigante visto da praia de Itaguaçu
     Segundo o Beaco, de tanto ver a destruição da Ilha, sua ocupação desordenada e sua tomada pelos politicos mercantilistas, o gigante levantaria, caminharia sobre a baia Sul gerando um tsunami que destruiria tudo a sua volta.
    Não realizou o curta-metragem mas falou muitas vezes em vários bares. É bem possível que sua idéia tenha sido chupada e adaptada para um comercial do Joãozinho Caminhador, no Rio de Janeiro. O comercial do Johnnie é o roteiro do Beaco sem a revolta e a destruição, é claro!

Confira abaixo:


Canga, é bem possível que o Joãozinho (de tão ) Caminhador (que é), tenha andado por estas paragens e ouvido falar da lenda do gigante deitado ou do roteiro do Beaco Vieira. Em 1980, num almoço no Veleiros da Ilha, ouvi do Beaco esta história e pela primeira vez vislumbrei aquela imagem fantástica na cadeia de montanhas do Cambirela. Sem dúvida, o vídeo tem muito do que foi imaginado pela mente criativa do nosso amigo. Luiz Carlos Padilha Jornalista em Beaco, Johnnie Walker e o Gigante Adormecido

BENTO XVI NO MÉXICO: ENTRE A VIRGEM, IXIPTLAS E PEDÓFILOS

    Por Janer Cristaldo
 
    Ontem, em sua primeira visita ao México, Bento XVI rezou diante de uma imagem da Virgem de Guadalupe, padroeira da América Latina. O mesmo fez João Paulo II, em suas três visitas ao país. Papas, quando vão ao México, não perdem a ocasião de reverenciar a origem do embuste.

    Em 1990, comentei a segunda visita de João Paulo II ao México. Na época, o vice-Deus de plantão foi até lá, não para degustar tequila ou ouvir mariachis, e sim para beatificar Juan Diego, o índio em cuja túnica as rosas teriam deixado gravada a imagem da Virgem de Tepeyac, mais conhecida como Virgem de Guadalupe, não por acaso a mesma venerada nas montanhas de Estremadura, e muito querida pelos conquistadores. João Paulo, padre astuto, intuindo que a tal de teologia de libertação está em franca decadência com o desmoronamento do fascismo eslavo, investiu no mistério. E conferiu odor de santidade ao coitado do íncola manipulado pelo barroco europeu.

    Tudo começou nos anos 1550, quando na colina de Tepeyac os indígenas mexicanos prestavam culto a um ixiptla, ou seja, estátua ou imagem de uma deidade que, na linguagem dos conquistadores, é traduzida como ídolo. O ixiptla, no caso, é o da deusa Toci-Tonantzin, nome que, traduzido do náuatle, dá - maravilhosa coincidência! - Nossa Mãe. Alonso de Montufar, arcebispo do vice-reino, não vai perder esta oportunidade - como direi? - divina, de sobrepor, como sempre fez a Igreja romana, aos símbolos e cultos pagãos, a tralha católica. Encomenda a Marcos, um pintor indígena, uma obra inspirada em um modelo europeu e a coloca ao lado do ixiptla asteca, gesto aparentemente inocente se visto daqueles dias, mas carregado de conseqüências quando o olhamos com o distanciamento de quatro séculos.

    Pelo período de aproximadamente um século, a imagem da Virgem permanece, sem trocadilhos, em banho-maria, sem que se fale de epifanias ou milagres. Em 1648, com a publicação de Imagen de la Virgen Madre de Diós de Guadalupe, do padre Miguel Sánchez, o culto mariano toma novo impulso.

    "Segundo esta versão destinada a tornar-se canônica" – escreve Serge Gruzinski, em La Guerre des images - a Virgem teria aparecido três vezes em 1531 a um índio chamado Juan Diego. Segundo Juan de Zumárraga, primeiro bispo e arcebispo do México, Juan Diego abriu sua capa sob os olhos do prelado: "em lugar das rosas que ela envolvia, o índio descobriu uma imagem da Virgem, miraculosamente impressa, até hoje conservada, guardada e venerada no santuário de Guadalupe".

    Mas nada surge do nada, muito menos imagens. Antes da publicação do livro de Miguel Sánchez, que oficializa a versão das rosas imprimindo os traços da Virgem na capa de Juan Diego, haviam chegado ao México pelo menos duas levas de pintores e arquitetos, profundamente influenciados pela escola flamenga. Colocando seus talentos a serviço da Igreja, estes artistas transportam ao novo continente o imaginário europeu. Vasto é o mercado. Leia artigo completo. Beba na fonte.

Lançamento Insular


segunda-feira, 26 de março de 2012

Coluna social/cultural

A família Carreirão,Yan,Paulinho e Koca, no lançamento de Poesia enterrada Viva
    50 convidados, 50 anos de Márcio Dison, meio século de poesia, um temporal antes do lançamento, a cidade envolta na maior crise de mobilidade do mês. Este o clima do lançamento do livro Poesia enterrada Viva, realizado dia 22 na Asderlic, na Capital. 
    O poeta levou quase 2 horas para ir da Trindade, onde trabalha, até a Asderlic, local de lançamento. Amigos como o professor Clovis Pires, da UFSC, desistiram de ir -  atravessou o túnel e da frente da Assembléia deu meia volta. 
    Presenças de Oberdan Vilain, Roberto Salum, Benedito Pelachini, Ivan Vilar Rabelo, Jardel Lemos do Prado, Rodrigo Triches, Adalberto Ramos, Marily Dilamar, Manuella Bastos Silva, entre outros amigos, colegas do futebol e parentes de Márcio. 
    Dison recebeu uma surpresa, um bolo todo ornamentado e docinhos em homenagem a seus 50 anos, uma cortesia de seu amigo Pierre, da Claudia Bolos. Na foto, Dison e os amigos Yan e Paulo Carreirão e Koca Dozol. Dison planeja editar mais um livro, Crônicas do Mané, ainda este ano.

Ponta do Coral: ativistas cobrem placa de propriedade particular

    
    O movimento Ilhaverde tapou com uma faixa a placa de propriedade particular colocada na área da Ponta do Coral, na Beira Mar Norte.
     Segundo representantes do movimento o projeto de lei aprovado na Câmara de Vereadores em 2005 além de ilegal é imoral, pois classifica toda a região como Área Turistica Exclusiva - 2 (ATE - 2) que inclui um "recife parcialmente  subaquatico de grande importância  biológica e ecosistemica para a região e cadeia alimentar de cardumes e flora"

Colombo agora tem o seu brinquedinho

    Essa do Raimundo Colombo alugar um helicóptero para deslocamentos do governo tá muito estranho. Depois de fazer toda aquela pirotecnia no começo do governo dizendo que ia economizar R$ 1.200 bilhão, saiu "cortando na carne" e, para provar a boa intenção, não renovou o contrato do viajante Luiz Henrique com a empresa que aluga helicópteros para o governo. O povo achou fantástico!
     Puro factóide! Passados uns dias e apostando na má memória do povo, Raimundo finalmente terá seu "avião de rosca" para bordejar por aí. 
O Tio Bruda ainda outro dia comentou:

 - Mas o Colombo tá sujando a imagem do Lageano aí na capital! Não cumpre nada do que promete, o hôme!

É, até agora só foram factóides. Promessas, choques de gestão, economia de palito...

DIÁRIO OFICIAL - SC - Nº 19.296 DE 20.03.2012 (TERÇA-FEIRA) PÁGINA 05
SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL
EXTRATO DO CONTRATO Nº 006/2012-SCC
CONTRATANTE: Secretaria de Estado da Casa Civil.
CONTRATADA: Helisul Táxi Aéreo Ltda.
OBJETO: locação de uma aeronave de asa rotativa (helicóptero)
monoturbina, com tripulação formada de piloto e co-piloto,
para prestação de serviço de transporte aéreo executivo eventual,
com estimativa de até 500 (quinhentas) horas de voo/ano
ao Governo do Estado de Santa Catarina.
DATA DE ASSINATURA: 15/03/2012.
VIGÊNCIA: da data de assinatura até 31 de dezembro de 2012, podendo ser prorrogado na forma da lei.
VALOR GLOBAL ESTIMADO: R$ 3.175.000,00 (três milhões cento e setenta e cinco mil reais).
DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: 33.90.39 (Prestação de Serviços).
ASSINADO POR: Derly Massaud de Anunciação, Secretário de Estado da Casa Civil e
Edgar Nunesl, Representante da empresa Helisul Táxi Aéreo Ltda.
Florianópolis, 19 de março de 2012.
Vejam o que o Meira colocou lá no blog Temperos & Apimentadas

"Sempre acreditamos que o João Raimundo seria um serrano bonachão e despojado de mordomias. Parecia ser um cara bem centrado, época em que desdenhava das regionais rotulando-as de cabides. João Raimundo também demonstrou grande preocupação com as finanças do estado. Cauteloso, trouxe dos Estados Unidos o amigão Bira para cuidar daquilo que em Lages chamam de guaiaca. Mesmo emaranhado na tripaliança, esboçava ainda não estar contaminado pelos vícios do antecessor. João Raimundo não montava no avião de rosca e preferiu encilhar uma caravana rodoviária para percorre o estado. Em 15 meses de governo provou que não necessitava de um helicóptero. Será que mudou de ideia?"

A Ilha nos passos do Senhor, uma tradição secular

Do Milton Ostetto

Procissão Nosso Senhor dos Passos



Alo? Tio Canga? Alo...

totalgifs.com gaucho gif gif gaucho.gif- Canga véio, to te chamando faz uns dois ou três dias...E tu não atende. Agora parece que tu tá sem sinal aí na capital.
- Me diga uma cousa: E as eleições? Escuitei umas opiniões sobre os candidatos.
- Parece que um tem o sobrenome Rocco. Gean Rocco do Dário Berger. Um italiano depois dum alemão na sucessão.
- Tem os dois guris também. O filho do César Souza e o filho do Amin.
- E tem a Ângela, uma moreninha que é Albino.
- O PT parece que depende da Ideli fazer uns acertos secretos.
- Tu tem alguma recomendação Canga?
- Como é que nóis vai orientar o nosso pessoal que mora aí?

- Oi Tio Bruda! Estive viajando de emergência. Fui convocado para uma missão especial por um velho amigo. Tive que descer até a fronteira com o Uruguai, lá onde moram os gaúchos. Foram três dias de pau e corda que não tive tempo nem de atender o telefone.

- Quanto às eleições da capital ainda é cedo pra gente se decidir. Sabe como é, esses políticos gostam de lançar "balão de ensaio" e não podemos cair nas arapucas deles, né?


- Olha Tio Bruda, a chapa dos guris eu acho uma chapa difícil. Embora com pedigri, são muito novos ainda. O vice, que é o menino do Amin, não recebe voto. De outro lado, o Rocco, que tem o apoio do Dário parece que tá forrado de dinheiro. O Tio Bruda sabe que esses Berger no poder, "trabalham" uma barbaridade!

- Pois é Tio Canga, eu conheço bem os Berge. O Dário é filho do Elias, são ali de baixo, ali do Bom Retiro. Saíram daqui com a roupa do corpo e hoje tão endinheirados. Gente milagrosa essa!

- É...milagrosa mesmo...
- De qualquer forma qualquer uma das duas chapas que ganhar o time do Colombo sai ganhando. Se perder a chapa dos guris o Dário ainda é capaz de sair prepoteando os Amin dizendo que já ganhou da pai, da mãe e agora do filho. É uma coisa complicada Tio Bruda.

- Tio Bruda, o PT o senhor conhece bem, é que nem filho de avestruz: cada um prum lado! Mas parece que a Ideli já acertou o braralho com o Temer, aquele que é vice da Dilma, sabe né?. O PT, no fim das contas, vai apoiar o PMDB aqui na capital e em São José.

- A Angela, aquela que o senhor chama de moreninha, é uma morenona Tio Bruda! Bonita, altiva e ativa na tribuna. Se apresentar respostas inovadoras para dar jeito nesta cidade até pode ser uma novidade. Mas vai precisar de muito caixa, pois aqui quem ganha é o dinheiro.

- É isso a gente sabe Tio Canga...

- A cidade tá uma esculhambação. Nada funciona. Pra ir para casa, lá no Campeche Tio Bruda, é melhora eu pegar o Mula Expressa do Colombo do que ir de auto. Os autos não andam mais aqui na capital. Ta tudo cheio!

- Assim que...de maneiras que ficamos assim mesmo. No golpe do sapo, só esperando. Qualquer novidade eu te chamo viu Tio Pruda. Não se preocupe que está tudo bem por aqui.

- Ah! Eu trouxe aquele doce de leite da Conaprole que o senhor gosta tanto. To mandando pelo motorista da Nevatur. Ele vai deixar a encomenda ali na Santa Clara, no Posto Saionara. Vai entregar pro Salustiano, viu?

- Um abraço bem grande Tio Bruda!

- Outro, vivente!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Nossa Ilha, Uma terra de encantos - 286 anos

Do Milton Ostetto


A USURA BANCÁRIA NO BRASIL

    Por Tico Lacerda
    Em 07 de abril de 1933, Getúlio Vargas, tentou “decretar” o fim da usura, ao editar a lei nº 22.626 (Lei da Usura), que proibia e punia, em qualquer contrato, a cobrança de “juros dos juros” (capitalização mensal), bem como a cobrança de juros acima do dobro da taxa legal (do código civil), à época, 6% ao ano, hoje 12%.

    Passados trinta anos, ou seja, um ano antes do golpe militar, ainda sob o governo de João Goulart, o STF (Supremo Tribunal Federal), editou a Súmula 121, que vedava a cobrança de “juros dos juros”.

    Já no final de 1964, a ditadura militar e seus asseclas, impuseram a lei 4.595, que trazia a competência da limitação dos juros para o âmbito do Conselho Monetário Nacional e do Presidente da República.

    Ainda sob a ditadura militar, o STF, editou a Súmula 596, que excluía da obediência à Lei da Usura, somente as instituições financeiras.

    Com a promulgação da Constituição Federal de 1988, pensou-se que a usura estaria com seus dias contados, pois o artigo 192, parágrafo 3º, proibia a cobrança de juros acima de 12% ao ano. Porém, já havia mais um complô contra o povo brasileiro e no dia seguinte a sua promulgação, em 16 de outubro de 1988, o Sr. Saulo Ramos, Consultor Geral da República, monocraticamente, decidiu que referido parágrafo não poderia ser aplicado e deveria aguardar a edição de uma lei complementar proposta pelos nobres representantes do povo, os senhores deputados federais e senadores, que se quedaram inertes e omissos, sabe-se lá a que preço, até a atualidade.

   O único político que se insurgiu contra o decreto do Sr. Saulo Ramos, foi Leonel Brizola, que determinou a seu partido, que ingressasse com uma ação no STF. O resultado, em 1991, foi de 6 à 4 em favor dos banqueiros e assim, o art.192 continuou sendo mero “enfeite” da Constituição.

    Como não havia Súmula vinculante, e muitos Tribunais Estaduais, incluindo o nosso, não acataram a decisão do STF e continuaram limitando os juros a 12% ao ano, foi necessário a atuação dos mais destacados “representantes do povo”, primeiro, o ex-governador de São Paulo, José Serra, que em 1998, propôs como senador, umaemenda constitucional que revogaria o tal artigo192 da CF. Como não obteve êxito, veio o ex-presidente Lula e aprovou a Emenda Constitucional 40, que conseguiu o que seu adversário político não havia conseguido.

    Vale frisar que, em abril do ano 2000, ao editar pela 17ª vez uma medida provisória, que tratava da administração de recursos de caixa do tesouro nacional, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, entendendo que se tratava de matéria de relevante interesse público, enxertou na referida MP, o artigo 5º, que liberava a cobrança de juros sobre juros somente às instituições financeiras. Tal absurdo jurídico, declarado inconstitucional pela Corte Especial do Tribunal Regional Federal do Rio Grande do Sul e mais recentemente pelo nosso TJSC, está sendo validado pelo sempre benevolente aos poderosos, Superior Tribunal de Justiça.

    Contraditoriamente, o mesmo STJ, que editou a Súmula 297, que confirma a aplicação do Código de Defesa do Consumidor às instituições financeiras, vem decidindo, que os juros abusivos, tão combatidos pelo referido diploma legal, só se caracterizariam se fixados acima da “média do mercado”, e assim, legalizaram o cartel
mais nocivo de nosso país.

    Já no Supremo Tribunal Federal (STF), tramita uma Adin, que analisa a constitucionalidade do art.5 da MP do ex-presidente FHC. O placar parcial é de 4 a 2 em favor dos consumidores e em caso de confirmação de vitória, a cobrança de juros capitalizados seria definitivamente proibida em nosso país.

    Para a felicidade dos banqueiros, a referida ação, que é de fácil resolução, se arrasta há mais de 11 anos na Suprema corte do país.

Urna eletrônica é passível de fraude

UnB quebra o sigilo do voto da urna eletrônica 

    
    Luís Osvaldo Grossmann - da Convergência Digital

    Um grupo da Universidade de Brasília conseguiu quebrar a segurança da urna eletrônica, nos testes promovidos esta semana pelo Tribunal Superior Eleitoral. Eles conseguiram recuperar a sequência dos votos, - o que, ao menos em tese, permite violar o sigilo das opções de cada eleitor.

     Formado por professores e alunos da Faculdade de Ciências da Computação, o grupo 1, dos 9 inscritos para os testes, teve sucesso em desfazer o embaralhamento dos votos e, assim, extrair uma lista que indica quem votou em quem.

     “Conseguimos recuperar 474 de 475 votos de uma eleição na ordem em que foram inseridos na urna”, revela o coordenador do grupo, o professor de Ciência da Computação da UNB, Diego Freitas Aranha, que fez doutorado em criptografia pela Universidade de Campinas (Unicamp).

     Originalmente o plano de teste previa a recuperação de 20 votos, mas o próprio TSE desafiou o grupo a resgatar 82% dos votos de uma fictícia sessão eleitoral com 580 inscritos - percentual que equivale à média de comparecimento nas eleições brasileiras.

     O professor Diego Aranha ressalta, no entanto, que a tarefa de violar completamente o sigilo do voto ainda está incompleta. “Precisamos da lista externa de votação para chegar ao nome dos eleitores”, afirma.

    Como explica o coordenador do grupo, até aqui a equipe conseguiu determinar que o primeiro eleitor votou no candidato X, o segundo no candidato Y, e assim sucessivamente. Com a relação da votação - aquela que fica com os mesários - seria possível associar cada eleitor, pelo nome, ao votado.

quinta-feira, 22 de março de 2012

O outro

Sharon...
    Por Marcos Bayer
    O outro é máximo da possibilidade humana. Um não se completa senão no outro. O quadro pintado será legitimado pelo olhar atento do outro. A música será ampliada pelos ouvidos de muitos outros, assim como o texto será pelos olhos de tantos mais.

    O amor se manifesta somente no outro. Esse tal de amor-próprio que tanto reverenciam, aqui e lá, nada mais é do que cuidado solitário. Uma ficção linguística para esconder a dor. A dor da ausência.

    A inesgotável capacidade humana para criar e dar continuidade à raça se funde na eterna percepção do outro.

Eu te vejo nos meus olhos e me vejo nos teus. 
    
Troca santa de sentidos faz do homem oportunidade monumental. 
    
Tato milenar e industrial.
    
Enfermo e dor recebe compaixão e prolonga a vida.
    
Eu fundamental em quem me sabe e sente existência atemporal.
    
Ondas e curvas físicas ou meta físicas, harmonia conceitual.
    
Ondas do mar que quebram com as ondas cerebrais.
    
Movimentos internos conduzem todas as energias vitais.
    
Talvez por isto cante o poeta: For me there is no one but you...
    
O momento da percepção do outro é o máximo da possibilidade humana.
    
E não há outra hipótese, senão esta...

Crise na base pode sobrar para Ideli Salvatti

Do 247

Depois de substituir o deputado federal Luiz Sérgio (PT-RJ) na articulação política do governo, ministra das Relações Institucionais vira alvo de deputados da base e pode dar lugar ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo

     A história se repete e, depois de Luiz Sérgio (PT-RJ) ter perdido o cargo para Ideli Salvatti (PT-PR) na Secretaria de Relações Institucionais, Ideli pode dar lugar, nos próximos dias, ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Por enquanto, a informação é apenas boato -- desmentido, inclusive, pelo líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM) --, como comentou nesta quarta-feira o jornalista Ricardo Noblat em seu blog, mas o tal “babado forte”, como diz Noblat, confirma a indisposição da base aliada com mais um articulador do governo.

     A troca de Ideli por Paulo Bernardo seria mais uma tentativa de Dilma para se entender com a base sem precisar se render aos caprichos dos deputados aliados – o que não vem funcionando no caso de Ideli. Quando deixou a articulação do governo para assumir o Miistério da Pesca (nem lá ele está mais), Luiz Sérgio já apontava a dificuldade de atuar como uma espécie de garoto de recados, já que é a presidente Dilma Rousseff quem define tudo, sem deixar qualquer espaço para o ministro das Relações Institucionais, que leva apenas a culpa dos fracassos no diálogo com a base aliada.

     Independente dos motivos, o fato é que Ideli vem sendo criticada no Congresso Nacional por seu estilo “truculento”, na tentativa de impor as vontades do Palácio do Planalto. Parte dos ataques é atribuída ao grupo ligado ao deputado e ex-líder do governo na Câmara Cândido Vaccarezza, que perdeu o posto para o colega Arlindo Chinaglia (PT-SP) – Vaccarezza cobiçava a Secretaria de Relações Institucionais antes de Ideli assumir.

     E, no caso de uma substituição, com quem ficaria o Ministério das Comunicações? Segundo os boatos ouvidos por Noblat, com Fernando Pimentel, o atual ministro do Desenvolvimento Industrial, “às voltas com a Comissão de Ética da presidência da República porque ganhou dinheiro como consultor de empresas, mas não consegue provar que de fato prestou consultoria”, registrou o blogueiro.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Voando por sobre o planeta

Fantástico vídeo mostra como é voar por cima da Terra à noite.


        A Estação Espacial Internacional (EEI), que é soma de projetos das principais agências espaciais do mundo, é um laboratório espacial em movimento que dá 15 órbitas no planeta por dia. Atualmente, ela circula em uma altura pouco elevada (340 km da Terra), o que permitiu capturar imagens fantásticas, compiladas em um vídeo com pouco mais de dois minutos.
    A câmera da EEI, que mostra um voo panorâmico feito sobre o planeta à noite, captou imagens com detalhamento impressionante. É possível observar claramente as luzes das cidades, além de fenômenos naturais como milhares de raios estourando em meio às nuvens, como flashes, ou as auroras boreal e austral causadas pelo vento solar e retratadas em magníficos tons de verde próximas aos pólos. 

    De vez em quando, as imagens recebem cortes porque o satélite se aproxima da metade da Terra iluminada pelo sol naquele momento, o que gera um clarão. No canto do vídeo é possível observar também os painéis solares da EEI.

A cátedra e a política

Foto: James Tavares
         Raimundo Colombo, ex-prefeito de Lages e ex-senador da República, assume o governo estadual, gasta o primeiro ano estudando políticas públicas com seu amigo e consultor Bira.
    Depois de 15 meses, vai até sua terra natal, coloca seus auxiliares em círculo e pede ajuda ao Pai Camboim, um xamã do planalto. Despreza todas as teorias de administração pública de Havard, Princeton e Yale sugeridas pelo amigo professor e guru.
    Daqui para frente será tudo na base da vela vermelha, galinha preta e pano branco com cangica. O nome oficial da coisa é gestão estratégica. Em Lages, eles chamam de Obó - Kiri.
   Na língua do mizifiu significa tentando governar.

Farra da "dispensa de licitação" leva justiça a bloquear bens de secretário da saúde

O secretário de saúde Dalmo Claro de Oliveira teve os seus bens indisponibilizados pela justiça. A decisão judicial atendeu ação civil pública do Ministério Público que questiona a dispensa de licitação para a contratação de serviços de análises clínicas laboratoriais.

Dalmo: bens bloqueados
    Este blog denunciou a bandalheira de "dispensa de licitação" (Corrupção na saúde) que se tornou prática comum na Secretaria de Saúde desde o começo do governo Luiz Henrique da Silveira. Ao contrário dos corruptores do Rio de Janeiro que faziam licitações viciadas, denunciados em matéria do Fantástico, aqui em Santa Catarina as licitações eram dispensadas e a última concorrência que houve na secretaria foi em 2002.
    Segundo o promotor Aor Steffens Miranda "por lei, serviços de emergência podem ser contratados nessa condição por no máximo 180 dias, e que na Secretaria de Estado de Saúde isso ocorre há quase uma década"
    Já o desembargador Domingos Paludo, que deu a liminar, considerou que "é necessário determinar a indisponibilidade dos bens para assegurar o resultado útil da ação, que é a reparação dos cofres públicos".
     Paludo em seu despacho disse que "há fortes indícios da prática de simulacros para justificar as contratações emergenciais. Não é crível que, desde os idos do ano de 2008, não se consiga lançar um edital decente e que atenda aos comandos da legalidade necessários para o lançamento de uma justa licitação”.

 Com LHS gastança passou de R$ 500 milhões
Cherem, Zanotto e Coruja: marca do pênalti
     A ação envolvendo o atual secretário é igual a ação contra o deputado estadual Dado Cherem (PSDB), que também teve os bens indisponíveis.
    Três dos últimos secretários de saúde do governo Luiz Henrique foram condenados pelo Tribunal de Contas pela prática ilegal de dispensa de licitação e podem ficar inelegíveis para as próximas eleições. Leia matéria aqui.

Lixo e miséria no centro de Florianópolis

    O centro de Florianópolis foi relegado ao abandono pelo prefeito Dário Berger. As ruas históricas do centro da cidade estão entregues à Guarda Municipal - que só se preocupa em multar o contribuinte - aos consumidores de cracke e moradores de rua.
    A histórica Vitor Meirelles, que sai da Praça XV e vai até a Av. Hercílio Luz, na sua última quadra, em frente a Delegacia Regional do Trabalho, virou a cracolândia de Floripa.
    Jovens dependentes químicos consomem crack à luz do dia, dormem e comem nas calçadas, normalmente acompanhados de cachorros.
    Não existe nenhuma entidade de assistência social da prefeitura que atue na região. O máximo que fizeram foi apagar a iluminação pública naquela quadra para esconder o problema.
Isso tudo é falta de gente, de organização e atitude do poder público.
    Quando surge alguma iniciativa não governamental acaba dando em nada também. É o caso da campanha institucional da RBS "Crack Nem Pensar". Em que deu esta campanha? quais os resultados? Ninguém sabe, mas todos viram. O resultado está nas ruas, a situação piorou e provavelmente esta campanha ainda levou dinheiro público.
    Uma vergonha!

Hercílo Luz em frente ao Clube 12 de Agosto (9h)

General Bittencourt em frente a Del. do Trabalho (10h)

Esquina da Vitor Meirelles com Nunes Machado (21h)

O cabidário do Colombo

    Depois de chamar as famigeradas SDRs, criadas por Luiz Henrique da Silveira, de cabides de emprego o governador Raimundo engoliu o que disse e, eleito, não só manteve as 36 secretarias regionais como tem usado para encabidar seus correligionários. 
    A coisa é tão escancarada que em alguns lugares vira ação de familia como em Curitibanos onde o prefeito é primo do governador. 
    Lá Colombo exonerou o Gerente de Administração Maurício Moreira da Silva e, ato contínuo, nomeou Michel Moreira da Silva.
    Seriam parentes?
 


terça-feira, 20 de março de 2012

Leitor é assaltado duas vezes

     Boa noite Sérgio Rubim,

     Gostaria de relatar o que aconteceu comigo na madrugada do dia 11 de março, num bar próximo a UFSC. Estava em companhia de um amigo tomando uma cerveja no final da noite, quando fomos surpreendidos por quatro indivíduos de moto com capacetes e armados, que entraram no bar e anunciaram o assalto. Como de “costume” todos deitaram ao chão e aguardaram que os mesmos fizessem a limpa, por sorte a intenção dos assaltantes era apenas o caixa do bar e objetos dos clientes que estavam sobre as mesas, entre estes minha carteira.


    Apesar do susto, não fiquei tão bravo, pois na carteira não havia dinheiro, apenas os documentos, que apesar do trabalho de refazê-los não seriam um grande prejuízo, certo? Errado.

    Tudo começou ao tentar realizar o boletim de ocorrência, para isto me dirigi a delegacia mais próxima da região a 5a DP na Trindade, onde me deparei com uma situação inesperada, a delegacia estava na penumbra e com as portas trancadas, tentei bater algumas vezes na porta, porém nada adiantou. Me dirigi a primeira 1a DP para tentar realizar o boletim de ocorrência, mais uma vez foi em vão, o agente de plantão me informou que não poderia realizar o boletim de ocorrência, pois onde o assalto ocorreu não era de responsabilidade da 1a DP. Pedi então uma solução, já que a 5a DP estava fechada, o agente ligou para a 5a DP falou algo e desligou e pediu para me dirigir novamente a delegacia que iriam me atender. Foi o que fiz, cheguei a 5a DP novamente e a porta trancada, porém bati algumas vezes e logo fui atendido e finalmente consegui registrar o B.O.

    Na segunda-feira pela manhã me programei para refazer meus documentos e foi nesse momento que me senti assaltado novamente. Ao chegar no DETRAN para solicitar as 2as vias da carteira de motorista e documento do carro, foi cobrado um total de 140 reais, além dos 15 reais do cartório para autenticação dos documentos e reconhecimento de firma. Na sequência fui ao IGP para fazer a carteira de identidade, lá se foram mais 23 reais e fica pronta em 15 dias, se eu quisesse em 5 dias pagaria mais 6 reais, um absurdo, pois o atendimento no IGP é péssimo, lento, total relaxamento.

    Agora fica a pergunta, quem realmente me assaltou? Os tais bandidos que me levaram ZERO Reais? ou o governo que não me deu segurança, custou a me atender quando precisei registrar o B.O e ainda cobrou o montante de 178 reais para imprimir apenas três pedaços de papel?



Fernando

O poeta bebe blues

Recebi do poeta zé luiz amorim

Olá pessoal,
envio minha primeira letra de música em parceria com Naya Rodrigues.

Evolução?


Ato cultural defende Ponta do Coral

No dia 23 de março, sexta-feira, feriado do aniversário de Florianópolis, será realizado o ATO CULTURAL em defesa da Ponta do Coral. A atividade inicia às 14 horas e encerra-se às 20 horas, ao lado do Koxixos, na avenida Beira-mar Norte.
                                                                                                Alexandro Albornoz/Arquivo/ND
    Florianópolis passou, nos últimos 20 anos, por uma intensa ocupação urbana. A malha viária, os equipamentos e a infraestruturas públicas da cidade não acompanharam esse crescimento. Atualmente, a cidade possui graves problemas de mobilidade urbana e carência de parques e áreas públicas de lazer. É neste contexto que se insere a defesa da Ponta do Coral 100% pública e o projeto do Parque Cultural das 3 Pontas. No Ato Cultural será lançado o Projeto de Lei de Iniciativa Popular para a criação do Parque Cultural das 3 Pontas, para o qual será necessário recolher 1% de assinaturas da população de Florianópolis e desta forma será legalmente protocolado com as assinaturas para debate e aprovação na Câmara de Vereadores de Florianópolis.
    O Parque irá melhorar a qualidade de vida da população de Florianópolis, adequando o uso e ocupação do solo na região, visando preservar a natureza, a história e a cultural local e regional de forma a impedir que os interesses privados e particulares se sobreponham aos interesses públicos e coletivos. Dará suporte para a implantação de atividades nos setores da pesca artesanal e aquicultura, gastronomia, artesanato, lazer, valorizando a paisagem natural como Patrimônio Cultural, gerando trabalho, riqueza e renda, desenvolvendo o turismo ecológico, cultural e gastronômico na região, de forma sustentável e com equilíbrio ambiental. Será forte aliado na educação, salvaguarda e valorização dos ecossistemas marinhos e terrestres que compõem a região das três pontas, Ponta do Coral, Ponta do Lessa e Ponta do Goulart, mantendo a paisagem natural da beira mar e para a população em geral. O Parque Cultural das 3 Pontas  dará forma a parte da Zona de Amortecimento do Parque Municipal do Manguezal do Itacorubi e da Estação Ecológica de Carijós, que são Unidades de Conservação da Natureza.
    O ATO CULTURAL no dia de Aniversário de Florianópolis será uma pequena amostra das possibilidades de uso da Ponta do Coral, mesmo que sem qualquer infraestrura. Nele haverá apresentação de bandas, grupos de capoeira, malabares, perna de pau, teatro, boi-de-mamão e poesia. São cerca de 15 atrações. Está garantida a apresentação dos seguintes grupos:
     Marcelo Muniz do Grupo Engenho e Banda,  Julio Black e Banda,  Jackson Cardoso Alma de Artista,  Joana Cabral e Haini Wahlheim,  JP do Portal do Choro, Raquel Barreto e Banda,  Vicente Piacentine da Banda Damadera, Sueli Ramos e Banda, todos músicos qualificados e reconhecidos na cidade, além da  Bateria do Bloco Baiacu de Alguém, Maracatú Arrasta Ilha e do Grupo Pife na Manga. 
    Serão 6 horas de Ato Cultural com declarações de amor a Florianópolis, sua natureza e nossas futuras gerações

Rede social de corruptos

Veja investe em "rede social dos corruptos" para relembrar fatos da política nacional

    Anderson Scardoelli
    Criada no dia 15 de dezembro de 2011, a ‘Rede de Escândalos’ é mais que uma simples seção, que reúne assuntos de um determinado tema ou editoria, da Veja.com. A página divulga matérias de supostos esquemas de irregularidades desde o governo de José Sarney, passando pelo impeachment de Fernando Collor até chegar ao desenrolar das notícias envolvendo ministros de Dilma Rousseff.

    Ao passar pelos três meses de “experiência”, o site que entrou no ar exatamente no Dia Mundial de Combate à Corrupção segue com link disponível na Veja.com. Quem acessa o site, produzido ao estilo “time line” do Facebook, vai ao encontro de cerca de 300 personagens – a maioria ligada a partidos políticos – e mais de 60 casos de “escândalos”. “Dossiê Cayman” (1998) e “Mensalão” (2005) estão na lista. Saiba mais. Beba na fonte.




SEOVE tem nova diretoria

    No dia 10 de março tomou posse a nova diretoria da SEOVE. A diretoria que toma posse é formada por Esaú Martins Bittencourt como Presidente, Raul A. Pires como Vice-presidente, Hercílio Teske como Tesoureiro, Jorge Marinho como segundo Tesoureiro, Adauto José da Silva primeiro Secretário e Lia Rosa como segunda Secretária.
    Com 40 anos de história no Campeche, a SEOVE – Lar de acolhimento de idosas e trabalhos com a comunidade, tem por fins: O amparo e acolhimento da velhice carente, prestando todo e qualquer auxilio, assegurando seus direitos como cidadãs.
    É uma sociedade civil de caráter filantrópico de assistência social sem finalidade econômica e que serve desinteressadamente a comunidade, sem qualquer discriminação.
    A nova diretoria eleita, tem como meta, modernizar o lar das idosas, uma nova lavanderia e a revitalização dos espaços.

Mula expressa (Tio Bruda)

- Canga véio onde tu anda?

- Oi tio Bruda, tudo bem por aí?
 
- Tu sabe que o sinal de telefonia aqui no planalto caiu nessa semana.
- Mas olha, nem uma conversinha com as prenda da região foi possível.
- Então, pra não fica ilhado que nem voceis aí em baixo, eu fui até o Colombo em Lages.
- Proseia pra cá, proseia pra lá e o homem decidiu: Vai inaugurar agora em Abril a Mula Expressa de Santa Catarina (MESC).
 
- Nos dias par ela desce com as cartas pela Serra do Corvo Branco.
- Nos dias ímpar ele sobe pela Serra do Rio do Rastro.
- Nos sábados ela vai e vem pela BR 282.
- E nos domingos a mulinha descansa um pouco, viu Tio Canga.
 
- Tu começa mandar o teu blog impresso no papel, porque o sinal tá muito fraco...
- Tem gente que diz que a doença é por causa desse novo plano de saúde do governo. Fraquejou todo mundo no interior...

--

Corrupção na saúde não é só no Rio

    
     Há muito tempo a rede Globo não apresentava reportagem com denúncia de corrupção tão consistente como a que saiu no programa Fantástico do último domingo. A matéria mostrou quatro empresas oferecendo propina para ganhar supostos contratos com um hospital da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 
    As quatro empresas denunciadas figuraram com frequência nas licitações de ambos os governos, nas mais diferentes secretarias. Só o estado, de 2008 a 2012, pagou R$ 283 milhões às quatro. E a prefeitura, outros R$ 62,5 milhões, de 2008 até o ano passado.

     A saúde em Santa Catarina
    O que parece ser uma novidade para a rede Globo, para nós aqui no estado já é notícia antiga. Em julho de 2004 a bancada do PP entrou com representação no Tribunal de Contas e no Ministério Público denunciando o grande festival de "dispensa de licitação por emergencia" na contratação de compras e serviços pela a Secretaria da Saúde.
    A quantidade de contratos feitos com empresas fornecedoras ao arrepiu da lei chegou, de abril de 2003 a junho de 2004, à escandalosa quantia de R$ 218 milhões.
     Na verdade, durante o governo de Luiz Henrique da Silveira, esta prática ilegal e altamente suspeita se tornou corriqueira tanto na Administração Direta como na Administração Indireta. Dispensa de Licitação e Inexigibilidade foram adotadas de forma generalizada e escandalosa, se tornando no grande canal de desviu de dinheiro público.

    Xerox
    Em 7 contratos feitos com dispensa de licitação a Secretaria de saúde gastou a bacatela de R$ 1.089.680,00 somente para serviços de fotocópias.
    Bombas de Infusão   Alegando emergência a secretaria fechou 7 contratos sem licitação para a compra de bombas de infusão no valor de R$ 1.920.720,00.
   Passagens
   Somente na compra de passagens aéreas a secretaria da saúde assinou 7 contratos, sempre com a mesma empresa, no valor de R$ 3.035.000,00.
   Fundações
   Usando o mesmo expediente ilegal a secretaria gastou R$ 6.899.384,00 na contratação indiscriminada das Fundações JOSÉ BOITEUX, FUNDAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO – FAPEU, FUNDAÇÃO DE PROFESSORES DA FACULDADE DE ECONOMIA – FEPESE, não havendo conexão entre os serviços contratados e o fim para que foram criadas as referidas Fundações.
   Surto de problemas cardíacos
   Em dois contratos sem licitação a secretaria comprou os serviços do Centro de Cardiologia de Joinville, pelo astronômico valor de R$ 5.454.744,00
   Papel toalha
   Alegando emergência (?) a Secretaria da Saúde autorizou a compra de papel toalha no valor de R$ 1.010.098,00
   Guarda e vigilância
   Outra vez alegando emergência a secretaria contratou a empresa Casvig, de propriedade do aliado politico e prefeito da capital, Dário berger, pelo valor de R$ 4.667.356,20, mas o que é mais escandaloso é que esse valor foi  um gasto adicional" ao contrato já existente.

    Festival de ilegalidades

    A farra dos contratos com dispensa de licitação protagonizada pela Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Santa Catarina se estende pelas mais diversas áreas como: reforma de cemitério; material de limpeza; cirurgia para diminuição do estômago; prótese mamária; confecção de camisetas; construção de muro; adequação de rede elétrica; aluguel do espaço para eventos, e por aí vai...

    Meio bilhão de reais
   Os R$ 218 milhões que tinham sido gastos até julho de 2004, em novembro de 2005 já eram R$ 374.890.185,41 e em julho de 2007, com aditamentos, os valores ultrapassaram a escandalosa soma dos R$500 milhões.


Condenação no TCE pode deixar politicos inelegíveis
Dado Cerem (PSDB), Carmem Zanotto (PPS) e Fernando Coruja (PPS) na marca dpo pênalti
      Em função do festival de gastos públicos com dispensa de licitação três políticos que ocuparam a Secretaria de Saúde correm o risco de ficarem inelegíveis e figurarem na listas dos Ficha Suja.
   Dado Cherem, Carmen Zanotto e Fernando Coruja foram condenados pelo Tribunal de Contas "pela prática reiterada e indevida de dispensa e/ou inexigibilidade para a aquisição de medicamentos e outros serviços. A condenação está no acórdão 0063/2011 de 28 de fevereiro de 2011, publicado no DOE em 9 de março de 2011.
     Mas o que é mais incrível nessa história é que os nossos agentes públicos dão de dez a zero naqueles corruptores do Rio de Janeiro mostrados pela Globo. No governo Luiz Henrique, o método de roubar era muito mais eficaz. A trabalheira toda que aqueles amadores do Rio de Janeiro tinham para xecutar os planos era algo dantesco, extremamente trabalhoso e complicado.
    Aqui, somos mais profissionais. Sem essa de reunir empresas, avaliar preços, ou justificar os motivos da compra. Aqui o negócio é direto tête a tête
    Aqui é no famoso - Quanto você quer levar?
   
    As condenações no TCE se deram por: ausência de razão da escolha do fornecedor, ausência de projeto básico, contratação com efeito retroativo a período anterior à assinatura do contrato na dispensa de licitação, ausência de justificativa na escolha do prestador de serviço/fornecedor nas dispensas de licitação, ausência de justificativa ao preço contrato nas dispensas de licitação, ausência de motivação para prática do segundo termo aditivo ao contrato por dispensa de licitação.
   Ou seja, aqui se chamava o vendedor, se perguntava o que ele tinha para vender, se botava qualquer preço em cima, não se justificava o porque da compra e se acertava o baralho.  
    Muito mais fácil que os negócio do Rio de Janeiro!

E o Ministério Público como fica nisso tudo?