segunda-feira, 28 de maio de 2012

Associação dos Delegados lança nota sobre envolvimento de autoridades no desvio de peças do depósito do Detran

    Nota da Adepol sobre o roubo de peças do depósito do Detran:

    Hoje às 15 horas no Fórum da Comarca de São José os delegados Alexandre Carvalho e Rodrigo Green encaminham à Justiça o inquérito sobre as investigações do suposto desvio de peças de um ferro velho de Joinville.
        Segundo o inquérito, José Theodósio de Souza Júnior, Sidney Martins, Rodrigo Nascimento e Elton Cesar Gonçalves foram indiciados por formação de quadrilha.
José Teodósio de Souza Júnior – Crime de Peculato
Sidney Martins – Crime de Peculato
Rodrigo Nascimento – Crime de Peculato
Fernando Rodrigues de Menezes – Crime de Peculato
        O artigo 312 do Código Penal tipifica o peculato como: crime de apropriação por parte do funcionário público, de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou privado de que tenha a posse em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio.


Reportagem de Nader Kalil (TV Record) sobre denúncias de desmanches envolvendo a SSP-SC

Share/Bookmark

BUNDÕES DA PSEUDO ESQUERDA

    É impressionante a máquina montada pela petezada nas redes sociais para desqualificar as fontes quando denunciam algum bandido petista. Falo isso porque toda a vez que publico no Cangablog alguma denúncia de petistas recebo uma enxurrada de e-mails, na maioria agressivos, e sempre desqualificando a fonte da denúncia. 
    Foi o caso, agora, da denúncia do ministro Gilmar Mendes na revista Veja. Que o Gilmar Mendes, o Lula e o Nelson Jobim são uns canalhas, isso todos estão carecas de saber. Mas a denúncia do Gilmar Mendes não pode ser desprezada simplesmente porque ele é canalha. 
    A revista Veja, como qualquer empresa de comunicação tem os seus interesses finaceiros e acertos políticos, mas isso não a desqualifica para publicar denúncias com provas e documentos sobre bandidos que roubam dinheiro público.
     Essa ação de desqualificar a fonte e não levar em conta o mérito das denúncias é uma prática facista bem ao gosto desses bundões metidos a esquerdinhas. Tarefeiros, mão de obra manipulada  a serviço de um grupo poderoso que tem como objetivo principal perpetuar-se no poder. 
    Já me encheram o saco!!!!!!

Share/Bookmark

Em entrevista, Gilmar confirma pressão de Lula

Eles se merecem...
    O ministro do Supremo Tribunal federal (STF) Gilmar Mendes passou o dia tentando evitar falar da polêmica causada com a matéria da revista Veja na qual ele contou a pressão que sofreu do ex-presidente Lula para adiar o julgamento do mensalão.
    Fervoroso defensor do julgamento, Mendes não queria polemizar com o ex-ministro Nelson Jobim, que depois da divulgação da matéria negou que a conversa tivesse sido no sentido de interferir no julgamento a ser feito pelo STF. O encontro entre Mendes e Lula ocorreu no escritório de Jobim, em 26 de abril, em Brasília.
    Ao conceder entrevista a Zero Hora no começo da tarde, Mendes demonstrou preocupação com o atraso para o início do julgamento e disse que o Supremo está sofrendo pressão em um momento delicado, em que está fragilizado pela proximidade de aposentadoria de dois dos seus 11 membros.

Confira o que disse o ministro em entrevista por telefone:
Zero Hora — Quando o senhor foi ao encontro do ex-presidente Lula não imaginou que poderia sofrer pressão envolvendo o mensalão?
Ministro Gilmar Mendes — Não. Tratava-se de uma conversa normal e inicialmente foi, de repassar assuntos. E eu me sentia devedor porque há algum tempo tentara visitá-lo e não conseguia. Em relação a minha jurisprudência em matéria criminal, pode fazer levantamento. Ninguém precisa me pedir para ser cuidadoso. Eu sou um dos mais rigorosos com essa matéria no Supremo. Eu não admito populismo judicial.
    Leia a entrevista inteira. Beba na fonte. 

Share/Bookmark

Secretário adjunto da Segurança é indiciado em inquérito policial

Delegado Renato Hendges em entrevista exclusiva para o cangablog relata o caso e levanta suspeitas sobre a participação de integrantes da cúpula da Segurança no desvio dos motores ( foto montagem do rosto do Renatão no corpo de Bat Masterson. É somente audio)
    
    O coronel Fernando Rodrigues, diretor adjunto da Secretaria de Segurança, acaba de ser indiciado no inquérito policial realizado pela DEIC que investigou o desvio de motores e peças do depósito do DETRAN para um desmanche em Joinville.
As denúncias de envolvimento do coronel e de integrantes da cúpula da secretaria de Segurança Pública (SSP) no Estado vieram à tona quando da exoneração do delegado Cláudio Monteiro do comando da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Florianópolis.
     Na época os delegados do Deic, solidários com Cláudio Monteiro, afirmaram que o vazamento das informações do inquérito não estava associada a uma tentativa de explicar a saída do delegado Monteiro da chefia da Deic. Mesmo assim, acusaram autoridades que ocupam cargos de chefia na segurança de supostamente terem dado aval à saída irregular de alguns motores de caminhões que estavam apreendidos no depósito da SSP. Os motores foram parar num ferro-velho em Joinville, onde seriam comercializados com valor bem superior ao que foram pagos numa licitação de sucata.

Share/Bookmark

Judiciário: o escândalo se repete

    Não entendo por que a surpresa de certas pessoas, medianamente informadas, com a notícia de que o ex-presidente Lula teria chantageado o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Segundo Mendes, Lula o pressionou para que adiasse o julgamento do mensalão, a maior roubalheira da história da República que tinha como chefe da quadrilha, o hoje "desesperado", José Dirceu.
    As relações incestuosas praticadas pela república petista nos oito anos de governo Lula não deixam dúvidas sobre a fragilidade do nosso sistema judiciário. O peemedebista Nelson Jobim, ex-misitro da Justiça, aparece sempre como a eminência parda dos grandes conchavos que envolvem políticos criminosos e o STF.

   O rufião
    Agora o nome de Nelson Jobim vem à tona novamente no escândalo envolvendo o ex-presidente e o ministro do STF.  O ex-ministro desempenha sempre o asqueroso papel de rufião toda a vez que uma situação extremamente delicada ameaça a estabilidade de peixes graúdos da política nacional.
   "O diabo faz a panela mas não faz a tampa", já diz o velho adágio popular. É  o caso de Jobim que se atrapalha ao explicar que houve o encontro entre Lula e Gilmar Mendes em seu escritório, mas que teria sido tudo por acaso. Mera coincidência.
      
Conta pro bonequinho aqui Jobim!!!!

    Mudanças na constituição   
    Em Santa Catarina temos dois grandes exemplos de como pressionar o judiciário e atingir objetivos espúrios. Dois casos são emblemáticos: o primeiro aconteceu no impeachment do ex-governador Paulo Afonso Vieira, aquele do escândalo das letras do tesouro do estado.
    Enquanto acontecia sessão especial da Assembléia Legislativa que avaliava o afastamento do governador, Paulo Afonso conseguiu, em menos de meia hora, uma liminar concedida pelo então ministro do STF, Nelson Jobim. Em um ato, no mínimo polêmico, Nelson Jobim tirou da Assembléia Legislativa de SC a competência para afastar Paulo Afonso do governo. Para livrar seu parceiro de partido, o PMDB, Jobim alterou a contituição do estado.
    Simples assim!

    Mega lobby      
    Já o outro caso, esse não menos escabroso, foi o mega lobby desenvolvido por Luiz Henrique da Silveira para livrar-se da cassação do seu mandato por abuso de poder político, abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação. Um processo extremamente substancioso em provas e documentos que incriminava Luiz Henrique e já tinha três votos a favor da sua cassação no Tribunal Superior Eleitoral.
    A partir desse momento o que se assistiu de ações espúrias e explícitas, porque divulgadas pela imprensa, foi algo escandaloso. Luiz Henrique montou uma operação de guerra mobilizando senadores e deputados de todos os partidos para pressionar os ministros do Tribunal Superior Eleitoral.
    Nesse caldo entraram figuras como Michel Temer, Jorge Bornhausen, senador Raimundo Colombo, Ibsen Pinheiro, José Serra, Sérgio Guerra, Arthur Virgílio, José Sarney e, sempre ele, Nelson Jobim. A missão seria influir no resultado final do julgamento através de amigos e familiares dos ministros  do TSE.
    "Vamos empreender todos os esforços políticos e jurídicos para rever este quadro. O TSE é um tribunal político", dizia na imprensa o hoje vice-presidente da República, Michel Temer.
    Na vida mundana se sugere que o advogado procure o padrinho do juiz, quem sabe seus parentes, membros da corrente que o magistrado está perfilado, um pouco de "cooperação" efetiva, amigos que pudessem fazê-lo compreender o caso que está em julgamento. Na ocasião, tudo isso foi feito desavergonhadamente, noticiado abertamente pela imprensa desmoralizando e colocando em chão de fábrica a mais alta corte da justiça eleitoral brasileira.

     O preço
    História contada, sem cerimônia, por um ex-governador catarinense, da conta de que após um chá de cadeira no Congresso Nacional, mais especificamente na ante-sala do presidente José Sarney, um grupo de políticos catarinenses foi atendido em pé, pelo presidente, que teria apenas falado um número: R$ 10.750.000,00, até logo!  
Nada mais disse e nada mais se falou.

    O resultado todos sabemos: Luiz Henrique foi mantido no poder e completou sua nefasta gestão para Santa Catarina.

Share/Bookmark

SC Saúde: só funciona no papel

     Enquanto o plano de saúde dos funcionários estaduais continua fazendo água, o governo aplica o velho golpe do marketing vendendo através de folhetos informativos  bem elaborados e caros um produto horroroso, prática muito comum e útil aos políticos nos últimos tempos: "- Diga que merda é bom que eles acabam comendo".
      Útil porque faturam duas vezes. No próprio plano de saúde e na participação que a empresa publicitária deve pagar aos contratantes.
     A implantação do famigerado SC-Saúde foi denunciada aqui neste blog. A transação suspeita da Secretaria da Administração com o tal Consórcio SC deu no que deu: o plano não funciona e os 180 mil servidores continuam sendo descontados no seus salários e estão desamparados no atendimento médico. O caso está sob investigação do Ministério Público.


Rogério Machado deixou um novo comentário sobre a sua postagem "SC Saúde: só funciona no papel": Olha, eu e minha família temos o SC-Saúde e ficamos totalmente desamparados em relação aos médicos que costumávamos consultar já a vários anos. Agora estamos pagando consultas particulares para estes médicos que não aderiram ao plano, pois não vou trocar os médicos de nossa confiança. Para novos médicos tudo bem, a gente verifica qual o melhor da lista e tenta uma consulta. Apesar destes contratempos, estive internado em um hospital pelo SC-Saude e fui muito bem atendido. Espero que melhore em relação a médicos credenciados.

Share/Bookmark

domingo, 27 de maio de 2012

Fila de espera

Sejamos solidários, compartilhem essa IDÉIA!


Sugestão do JHFontes
Share/Bookmark

A República caiu

    Por Marcos Bayer

    O noticiário dos últimos dias mostra como a República Federativa do Brasil apodreceu. Afora algumas migalhas Keynesianas para conter a asfixia da desindustrialização, entre elas a redução do IPI na aquisição de automóveis, nosso sonho individual depois das carruagens e carroças medievais, as notícias revelam as gravações entre tudo e entre todos.
    Um deputado federal catarinense já disse, em público, que quando alguém é submetido a “escuta” telefônica, descobre-se até o que a vítima não sabia.
    A República está nas mãos de um cidadão chamado Carlos Cachoeira. Ele “grampeou” e foi “grampeado”. Tinha nas mãos um senador aparentemente exemplar. Um senador, antes promotor de justiça, cujo desempenho parlamentar dava esperanças e exemplo à nação.
    De repente, surgem outros fatos de vital importância política. O professor Ildo Sauer, especialista em estratégias energéticas e diretor da Petrobrás, é demitido e anuncia: Lula, com conhecimento de Dilma, deram mais cinco poços à iniciativa privada. Um a mais do que FHC. Aquele da “privataria” como foi chamado então. Dois ministros dele, Pedro Malan e Ropolpho Tourinho foram assessorar Eike Batista, com ajuda de José Dirceu, outro híbrido.
    O Eike Batista ficou bilionário com o que recebeu no pré-sal. E diz que não existe empresário competitivo no Brasil. Na Alemanha não duraria dois anos vendendo salsichas, muito menos produzindo salsichões. Sobre o Zé Dirceu não há o que falar. Um homem que esconde da própria mulher sua identidade, não é fiel nem a si. Logo, a nenhuma outra ideia.
    Por último, estas conversas reservadas entre o Lula e o ministro Gilmar Mendes, no escritório de Nelson Jobim, apontando a necessidade de adiar a votação do chamado “mensalão” no STF, em nome da estabilidade política nacional, usando como argumento Berlim.
    Ora Berlim é capital da Alemanha, hospeda a estudante filha do ministro e é naquele país que nasceu a senhora Jutta Fuhrken, mãe do Eike Batista.
    Estão desviando o foco da conversa com se diz da rotina jornalística. A questão não está em Berlim ou na Alemanha.
    A questão está na Petrobrás, na Agência Nacional do Petróleo, no Senado Federal, no Supremo Tribunal Federal e na Presidência da República.
    Quando os Três Poderes e a maior empresa brasileira se juntam por vias transversas, ou é tudo mentira, ou República caiu.
    Vivêssemos no parlamentarismo, as eleições seriam para daqui a trinta dias.

Share/Bookmark

Ministro do STF acusa Lula de pressioná-lo para adiar julgamento do "mensalão"

      
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse que o ex-presidente Lula pediu a ele para adiar o julgamento do mensalão, previsto para se realizar este ano, quando se disputam as eleições municipais. Em entrevista à revista Veja, ele disse que o petista relatava que o ex-ministro José Dirceu estava “desesperado”. 

     Dirceu foi denunciado pelo Ministério Público Federal como chefe da “organização criminosa” que distribuiu recursos públicos para parlamentares pagarem despesas de campanha pelo caixa dois e garantirem apoio ao governo em votações no Congresso.

    “É inconveniente julgar esse processo agora”, teria dito Lula, segundo o relato de Gilmar Mendes. De acordo com o ministro, Lula lhe disse ter o controle da CPI do Cachoeira. Afirmou que poderia proteger Gilmar da investigação de um suposto encontro em Berlim, na Alemanha, com o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), que é acusado de ter atuado como lobista do bicheiro Carlinhos Cachoeira. “E a viagem a Berlim?”, teria perguntado o ex-presidente. Gilmar considerou a conversa uma insinuação contra si. Lula foi procurado por Veja, mas não quis comentar as declarações.

    Segundo a revista, a conversa aconteceu no dia 26 de abril no escritório de advocacia do ex-presidente do STF Nelson Jobim. Gilmar negou ter motivos para se preocupar, já que tem uma filha que mora em Berlim. O ministro relata ter dito a Lula: “Vá fundo na CPI”.
    Até o fim da tarde deste sábado (26), o presidente Lula não havia se manifestado sobre o assunto. Do Congresso em Foco.
Leia a Veja aqui.

Share/Bookmark

Foto de domingo

Do Milton Ostetto

              Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas ...
              Que já têm a forma do nosso corpo ...
              E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos
              mesmos lugares ...
              É o tempo da travessia ...
              E se não ousarmos fazê-la ...
              Teremos ficado ... para sempre ...
              À margem de nós mesmos...
Fernando Pessoa

Share/Bookmark

Marcha das Vadias em Florianópolis

Em frente ao caça níquel do bispo Edir Macedo


Fotos de Yuri Brah
      A Marcha das Vadias ganhou em 2012 caráter nacional e ocorreu simultaneamente neste sábado (26) em cerca de 20 cidades do Brasil e do mundo.
     A iniciativa busca chamar a atenção da sociedade de que a culpa da violência e do abuso sexual não é da vítima. "É do abusador e do estuprador", salientou Daniela Montper, uma das organizadoras do evento no Rio de Janeiro. "Quando a sociedade fica julgando a vítima, procurando algum motivo para dizer que ela mereceu (a violência), está tirando a culpa do estuprador, do abusador, e jogando em cima da vítima", acrescentou. (Terra)
Share/Bookmark

Depois da chuva...

Do Velho Mamute



Share/Bookmark

sábado, 26 de maio de 2012

Justiça bloqueia bens de Mescolotto

    Janaina Cavalli (DC)

     A Justiça determinou, no último dia 18, o bloqueio dos bens do presidente da Eletrosul, Eurides Luiz Mescolotto. Outros quatro gerentes e nove funcionários da estatal também tiveram seus bens bloqueados. A liminar ordena "a indisponibilidade de bens em nome de todos os réus até o valor de R$ 86.093,17".

    A notícia foi publicada no Boletim Intersul e no jornal Fala! Intersindical, dos trabalhadores da Eletrosul. A assessoria de imprensa da empresa confirmou a decisão judicial.

    Como reportou o Diário Catarinense em setembro de 2009, a Eletrosul havia contratado, naquele ano, a empresa Newfield Consulting para a prestação de consultoria na área de planejamento e gestão. A empresa, então, subcontratou a nora de Mescolotto, Maria Solange Fonseca, casada com Filipe Mescolotto, filho do presidente da estatal com a ministra Ideli Salvatti. Leia tudo. Beba na fonte.

Share/Bookmark

MEMÓRIA


Share/Bookmark

O humor inteligente de Marcelo Adnet

Comédia MTV faz paródia da canção Roda Viva apresentada por Chico Buarque e MPB-4 na era dos festivais.

                                                    Pérolas:
"Um belo monte de artistas
pra gota d'agua não cair
Mas no delta da cachoeira
tucano não pode sorrir"

"Calou-se o prefeito na sombra
o André deu perda total
ai que bom ter o mapa da mina
Paris quem descobriu foi
CABRAL"

Share/Bookmark

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Bancos são obrigados a cobrir cheque voador

    Desembargador Fernando Carioni comprou briga com peixe graúdo. Em decisão pouco comum no judiciário brasileiro, o desembargador catarinense determinou que os bancos têm responsabilidade sobre o comportamento de seus clientes, inclusive com a obrigatoriedade de cobrir cheques emitidos sem provisão de fundos pelos seus correntistas.

    A decisão, relatada por Carinoni na 3ª Câmara de Direito Civil do TJ, é considerada uma guinada jurisprudencial.

“A partir do momento que o banco fornece o talonário de cheques ao correntista sem suficiência de saldo mínimo em conta-corrente, descumpre uma obrigação imposta por lei, que, gerando um prejuízo a outrem, faz nascer a responsabilidade civil para reparar o dano decorrente de sua atividade”, disparou o magistrado em seu acórdão.
     Carione baseou sua decisão nas regras do Código de Defesa do Consumidor, pois vislumbrou uma relação de consumo entre as partes – mesmo que por equiparação, com a consequente responsabilidade civil objetiva da instituição e a aplicação da teoria do risco da atividade.

     Nos dois casos em análise, pequenos comerciantes receberam em troca de produtos e serviços cheques emitidos sem provisão de fundos pelos clientes. Embora não correntistas das respectivas instituições financeiras, as vítimas foram por elas prejudicadas. “Não há nenhuma dúvida de que a devolução de cheques sem provisão de fundos decorre da falha da prestação do serviço das instituições financeiras, pois os correntistas somente podem fazer uso desse título de crédito após autorizados por seu banco, que, antes, deve fazer cumprir todas as normas regulamentares relativas à conta-corrente”, explica o relator.

     Carioni  ressalvou o direito dos bancos, em ações regressivas, buscarem cobrir eventual prejuízo junto aos seus próprios correntistas. Nas duas ações em discussão, as instituições financeiras foram condenadas ao pagamento dos prejuízos materiais registrados com a emissão de cheques sem fundo de seus clientes. A decisão foi unânime. Cabe recurso aos tribunais superiores.


L.A. Eu DUVIDO, em maiúsculo mesmo, que o STJ e o STF deixem passar essa, em detrimento da FEBRABAN patrocinadora oficial de tantas férias judiciais (http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI55249-9531,00-JUIZ+PODE+ACEITAR+PRESENTE.html). 

Share/Bookmark

Curva de Gauss



Share/Bookmark

quinta-feira, 24 de maio de 2012

MP abre inquérito para apurar bandalheiras entre Celesc e Monreal

Finalmente a roubalheira de milhões de reais de dinheiro público acontecida na Celesc durante o governo dos pemedebistas Luiz Henrique da Silveira e Eduardo Pinho Moreira será investigada.
Ponto para o Ministério Público !

EXTRATO DE INSTAURAÇÃO DO INQUÉRITO CIVIL N.06.2012.00003492-5
COMARCA: Capital

PROMOTORIA DE JUSTIÇA: 26ª

INQUÉRITO CIVIL N. 06.2012.00003492-5
N. da Portaria de Instauração: 0017/2012/26PJ/CAP

Data da Instauração: 23/5/2012
Partes: Representante - De ofício; e Representado(s) - Celesc Distribuição S.A., Monreal Corporação Nacional de Serviços e Cobranças S/C Ltda.

Objeto: possíveis irregularidades na contratação emergencial da empresa Monreal Corporação Nacional de Serviços e Cobranças S/C Ltda. pela Celesc Distribuição S.A. para prestação de serviços técnicos após as enchentes que atingiram o Estado em 2008.

Promotor de Justiça: Aor Steffens Miranda


Marcos Bayer OAB-SC 1980 - Parabéns ao Ministério Público. É assim que se constrói uma democracia, uma sociedade mais justa e um norte para a administração pública. Parabéns ao Promotor.



Share/Bookmark

Bolivarianos em ação

    O jornalista e editor Nelson Rolim de Moura (Editora Insular) e o Instituto de Estudos Latino Americanos (IELA), assumem o desafio de publicar a coleção Pátria Grande, a Biblioteca do Pensamento Crítico Latino-Americano.
    Com a publicação de autores latino-americanos, a Insular e o IELA colocam no mercado editorial brasileiro a visão sócio/política de escritores, sociólogos e ideólogos censurados e banidos da nossa literatura por muito tempo.
    Opiniões diferenciadas nos livram da mesmice e estimulam o pensamento crítico e a discussão. 
    Bem-vinda!


Share/Bookmark

“Floods in Saint Louis”

 © Foto de Margaret Bourke-White. População afro-americana vítima de enchentes na fila para conseguir alimentos e roupas. Kentucky, EUA, 1937.

Essa célebre imagem de Margaret Bourke-White (1904-1971) intitulada “Floods in Saint Louis” mostra afro-americanos vítimas de enchentes na fila para conseguir alimentos e roupas, ironicamente em frente a um outdoor exaltando um mundo melhor. A década de 1930 teve o mais baixo padrão de vida para a população negra dos EUA. (Do Fernando Rabelo).

Share/Bookmark

É HOJE !!!!!!!!



Share/Bookmark

Darcy Ribeiro

Por Emanuel Medeiros Vieira

“Fracassei em tudo o que fiz. Quis uma escola para os índios, e fracassei. Quis um país mais justo, e fracassei. Quis fundar uma universidade de qualidade e fracassei. Mas meus fracassos são minhas vitórias. Não estaria de estar no lugar dos vencedores.”
Darcy Ribeiro (1922-1997)

    Internalizando fundamente o denso e tocante inventário do mestre Darcy, fico pensando o que significam “sucesso” e “fracasso”.
    É claro que eu e muitos amigos da minha geração (ou de anteriores ou posteriores) não gostariam de estar do lado desses vencedores.
    Não monumentalizando minha geração (segmentos da parte mais consciente dela, a que tinha 20 anos em 1964 - 20 anos como data simbólica, rito de passagem), creio que, apesar de seus equívocos, foi das mais generosas da História do Brasil. Não falo por mim. Falo pelos outros.
    Sucesso? No modelo capitalista e mercantil, sucesso é ganhar muito dinheiro, mesmo às custas do sofrimento alheio, ter cartão de crédito polpudo e, muitas vezes, ser asperamente individualista, cruel e puxar o tapete alheio para subir.
    Isso é “vitória”.
    Vitória? Não há derrota humana maior que essa.
    Quem conhece a gênese da UnB, fundada por Darcy e outros grandes brasileiros, perceberá que não houve projeto de universidade mais generoso, altamente capacitado, ecumênico, autêntico e profundamente enraizado nos sonhos maiores do povo brasileiro. Não conheço projeto de universidade tão integral (“universal” mesmo) em nossa América Latina.
    Lógico: o “chega-pra-lá” dado na gente pelos gorilas de 64 devastou o sonho. Voltando do exílio, depois de anos de anos de conquistas internas, mas de muito sofrimento, Darcy diria que “sua filha (a UnB) havia caído na vida”.
    Se ela caiu na vida, não caiu sozinha. A degradação da universidade brasileira foi ampla, total e irrestrita. Nem falo das faculdades caça-níqueis, estimuladas pela privatização tucana, e com ensino hediondo.
    Participei como jurado num concurso de literatura aqui em Brasília, em uma universidade desse tipo. Meu Deus! É claro, não esperava nenhum Machado de Assis. Mas os erros de português eram tão crassos que, por exemplo, minha filha Clarice - quando estava no 4ª ano do curso primário (creio que chamam agora de fundamental) nunca cometeu.
    Conheci alguns alunos que faziam mestrados em várias dessas universidades. Sem exagero, o nosso curso clássico (segundo grau) com os jesuítas, era infinitamente mais profundo e melhor.
    Pelo que me falam, as públicas também estão sendo sucateadas rapidamente. Mas para a visão dos “pedagogos” do PT e do PDSB o que vale é a quantidade. Ninguém repete de ano. Não tem mais 2° época. Agora é tudo promoção automática. Muitos alunos chegam analfabetos no 4ª ano. Não sabem ler.
    Reprovar? Nem pensar. “Vai ferir a auto-estima dos alunos”. Esse psicologismo de butique, de segunda categoria, é das maiores pragas da pedagogia moderna.
    A “tigrada” não tem limites, é arruaceira, mal-educada, e os professores acabam levando sopapos, além de ganhar uma miséria (e precisam gastar com remédios de tarja preta). Claro, estou falando de escolas públicas de segundo grau.
    O que acaba com a auto-estima de um povo é a falta de conhecimento e a ignorância. Além da falta de fibra.
    Sinceramente, em muitos segmentos da nova geração percebo intensamente essa falta de fibra, de espírito guerreiro, essa carência de solidariedade, essa obsessão por engenhocas eletrônicas, sem nenhum controle do instinto (já está em Freud: a violência inata do ser humana só pode ser coibida pela “Lei”).
    Infelizmente, as pessoas têm lido muito pouco.
    “Autoridade” não é fascismo. Fascismo é desumanização, é exploração. Estabelecer limites é buscar uma convivência digna e honrosa entres os seres humanos.
    “Coitadinhos. Sofrerão traumas.”
    Fui testemunha. Eu estava com um amigo. Havia uma moça belíssima, aproximadamente 20 anos, de quase dois metros, morena jambo, filha da mulher deste grande amigo, aqui em Brasília, num sábado à noite. Ela estava usando drogas. Chorando, abraçou-nos e disse: “Queria ter tido um pai e uma mãe que tivessem me dado limites. Só fiz o que quis.”
    Sua mãe não queria saber de nada. Era uma hippie retardatária.
    É claro: educar e cuidar exige dedicação, esforço. Mas tem gente que prefere ficar fazendo filosofia de subúrbio em mesa de bar. Estudam pouco, não são inteiros no que fazem.
    Assim, tem gente que, depois de decretar greve na universidade vai tomar banho na Joaquina. Greve é algo muito sério e que exige ética.
    A violência banalizada em todos os lugares, nas escolas, o império do tráfico, a falência da comunicação entre pais e filhos, o sonho de ser modelo ou atriz de TV, vai gerando uma sociedade de sonâmbulos morais. Mas é assunto para abordagem maior.
    Ah, querido Darcy. Se todos os brasileiros “fracassassem” como o tu, o Brasil seria melhor.
    Conversei com ele sobre isso num bar aqui da 109 Sul (já fechado). Tomamos água tônica dietética, enquanto o sol se punha no Planalto Central (Brasília tem o pôr-do-sol mais bonito que conheço), e a noite chegou, e não paramos a conversa.

Share/Bookmark

quarta-feira, 23 de maio de 2012

"Bola de Neve": decretada a prisão preventiva de 10 envolvidos

    O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) pediu e a Justiça de São Joaquim decretou, nesta quarta-feira (23/5), a prisão preventiva de dez envolvidos na operação "Bola de Neve". A ação conjunta dos Grupos de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECOs), força-tarefa composta pelo MPSC, Policias Civil e Militar e Secretaria Estadual da Fazenda,, investiga supostos crimes de formação de quadrilha, fraudes em licitações e crimes contra a administração pública nos municípios de Anita Garibaldi, Cerro Negro, Porto Belo e São Joaquim.
      Durante a operação, que iniciou na semana passada, foram presas 20 pessoas, a maioria agentes públicos. A última prisão ocorreu no início desta semana em Florianópolis. Dos 20 presos, nove já foram soltos por ter expirado a prisão temporária decretada pela Justiça. Eles continuam, porém, sendo investigados.
     As investigações, que iniciaram há oito meses pela Comarca de São Joaquim, apuravam eventuais irregularidades em licitações vinculadas à aquisição de serviços de reparo, manutenção e entrega de peças de veículos e máquinas pesadas. No decorrer das investigações, surgiram indícios da ocorrência dos crimes tanto em São Joaquim como nas Prefeituras de Anita Garibaldi, Cerro Negro e Porto Belo.
Share/Bookmark

SDR - as despesas

Do Temperos & Apimentadas

     Quanto gasta cada uma das secretarias regionais? Bem, vamos começar pela estrutura física: aluguel, condomínio, manutenção preventiva de elevador, energia elétrica, água, telefone, pintura etc. Pela importância dada às SDRs, o cotidiano descentralizado demandaria custos elevados: telefonia móvel, assinaturas de TV, internet e jornais. A turma deve percorrer sua base (região), então necessita de veículos (públicos ou locados), além de passagens aéreas e terrestres. Para tudo isso funcionar, há gastos com combustíveis, lubrificantes, pneus, oficinas mecânicas, pedágios etc. Necessitam de computadores, impressoras e inúmeros periféricos. E as fotocopiadoras, tradicionalmente locadas e muito bem pagas. Leia mais. Beba na fonte.
Share/Bookmark

Diretor da Celesc negligencia segurança


Na semana passada, o então chefe da Divisão Técnica Comercial da ARFLO, em mais uma de suas peripécias espetaculares, decide esbanjar proatividade, enviando para os Setores Técnico e de Construção o memorando 50-2012 que, de forma resumida, permite aos trabalhadores das empresas Oi Telecom e RM Telecom, continuarem provisoriamente descumprindo as NR-10 e NR-35, referentes ao trabalho em altura e trabalhos em eletricidade.   

    Desde a antiguidade, segundo Aristóteles  “Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito”. Partindo desta premissa, nossos atos refletem diretamente nossos comprometimentos, sejam eles sociais, políticos, filosóficos, e ainda a nossa pirâmide de valores, (ou mesmo o topo dela), como propunha a teoria da motivação de Maslow.
    Para Marques (2009)… “Os hábitos humanos determinam a excelência ou a baixa qualidade de tudo o que fazemos no dia-a-dia, seja no trabalho, na família ou na convivência com a sociedade”. Dessa forma, um ato proativo pode ser entendido como um estímulo consciente baseado em valores, previamente concebidos.
    Na semana passada, o então chefe da Divisão Técnica Comercial da ARFLO, em mais uma de suas peripécias espetaculares, decide esbanjar proatividade, enviando para os Setores Técnico e de Construção o memorando 50-2012 que, de forma resumida, permite aos trabalhadores das empresas Oi Telecom e RM Telecom, continuarem provisoriamente descumprindo as NR-10 e NR-35, referentes ao trabalho em altura e trabalhos em eletricidade. E ainda, orienta aos fiscais a chamada “vista grossa” quanto as irregularidades que vêm sendo cometidas pelas empresas já a algum tempo. Leia matéria completa. Beba na fonte.
   

Share/Bookmark

Amanhecer em Copacabana...

Do Milton Ostetto

Hoje as 6 da matina ja estava em Copacabana para ver o amanhecer,
as fotos foram feitas próximo ao Forte de Copacabana e ao lado da estatua de Carlos Drummond de Andrade que todos os dias tem o previlégio de presenciar o nascer do sol. 

 
Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples. 
Nossa dor não advém das coisas vividas, 
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos 
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções 
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado 
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter 
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que 
gostaríamos de ter compartilhado, 
e não compartilhamos. 
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas 
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um 
amigo, para nadar, para namorar. 

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os 
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo 
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, 
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 

Por que sofremos tanto por amor? 
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma 
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez 
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz. 

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um 
verso: 

Se iludindo menos e vivendo mais!!! 
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida 
está no amor que não damos, nas forças que não usamos, 
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do 
sofrimento,perdemos também a felicidade. 

A dor é inevitável. 
O sofrimento é opcional...
Carlos Drummond de Andrade

Share/Bookmark

Secretário de Infraestrutura assume o DETER...interinamente

Valdir Cobalchini (PMDB), deputado estadual e atual secretário de Infraestrutura, assume interinamente o Departamento de Transportes e Terminais (Deter) que estava às moscas após a saida de Sandro Silva
 
   No início da tarde 23) o secretário Valdir Cobalchini reuniu os funcionários do DETER para anunciar que a empresa agora está sob seu comando. Em seu discurso de posse interina, Cobalchini "sugeriu" aos funcionários que esquecessem um pouco os BLOGS pois imagem da empresa estaria muito negativa na mídia.
    Entre outras coisas o secretário comunicou que dispensaria três horas semanais para tratar dos assuntos pertinentes ao DETER. Três horas semanais!
    Mas a grande novidade mesmo foi sobre os carros alugados pela diretoria anterior do Deter, sem identificação, e que estariam sendo usados para fazer política. Cobalchini determinou que os carros alugados tenham a logomarca do DETER e letreiro dizendo que o carro é ALUGADO.
    Um dos diretores se negou, por escrito,  a adesivar o seu carro e teria colocado a negativa por escrito. Mesmo assim o Diretor Administrativo mandou que colocasse os adesivos e, contrariado, o diretor devolveu o carro. omo irá para Joinville toda a semana é a pergunta que se fazem os eus colegas.

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Secretário de Infraestrutura assume o DETER...inte...": muito se fala de transparencia da coisa pública, e isso e aquilo. Esta na hora do sr.Valdir Colbalchini, tirar o DETER da m* que meteram o Sandro Silva e sua turma, passar o famoso rodo, pois nao adianta arrancar a erva daninha e deixar suas raizes ao solo, pois elas cresceram e cada vez mais vistosas e fortes.
1º- tirar o gerente de fiscalizaçao (Paulo Ferreira), que ja se mostrou altamente incopetente,
2º- tirar da gerencia de transportes e registro Sr.Pedro P aulo(o homem do dominó, que fez do Deter um balcão de negócio com os empresários).
Contar com os funcionários de carreira, valorizando sim aqueles que tem capacidade de tocarem este orgão tão importante ao público, e usuários do transportes coletivo, colocar a fiscalização em campo, e começar a fiscalizar os demandos das empresa, pois são de concessão pública, e por isso, dar credito até para ver como este senhor fará para dirigir este orgão.
Chega de estarmos na midia só com denúncias contra estes incapazes, e os funcionários tomando fumo. É isto sr.RUBIM, e jamais podemos esquecer deste espaço, que o sr. nos garante para denunciarmos. 


L.A. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Secretário de Infraestrutura assume o DETER...inte...": Caro Canga
O discurso do Sr. Cobalchini apenas explicita o grau de preocupação do Governo com os usuários do transporte público intermuncipal e as instituições públicas: 3 horas por semana de dedicação. Por não conseguirem resolver os problemas políticos da substituição, impõem a sociedade, como se fosse um favor, o extremo sacrifício do Secretário de dedicar 3 horas ao DETER. Este homem e o Governador deveriam ser presos. Isto é uma irresponsabilidade que o Ministério Público precisa apurar! Alguém que tenha caráter precisa fazer alguma coisa. O DETER chegou ao fundo do buraco.


Share/Bookmark

A imprensa a improbidade administrativa do vice-governador

    Colunista político Roberto Azevedo (DC) publicou ontem que o vice governador Eduardo Pinho Moreira "pela segunda vez em menos de dois anos (...) está envolvido em um episódio com o estouro de pneu de um trem de pouso de aeronave. O último foi sábado, no final da tarde, quando o avião Carajás do governo do Estado teve um dos pneus dianteiros estourados após decolar de Três Barras, no Planalto Norte, onde Moreira participou de um evento".
    Bem, o envolvimento de Pinho Moreira com pneus não é de apenas dois anos. Já vem de longe, desde o tempo da sua empresa, a Triradial, revendedora de pneus que deu um calote de milhões no finado Banco do Estado de SC (Besc).
     Agora, na verdade, Pinho Moreira anda envolvido é com aviões do governo. Aviões mantidos e pagos com o nosso dinheiro. Dinheiro úblico!
    O que estaria fazendo o Sr. Triradial no Planalto Norte catarinense num sábado de sol aboletado nos bancos confortáveis da aeronave do governo do estado? Pergunto eu!
    Logo na edição de hoje (23) o colunista Azevedo apressou-se em explicar o que andava fazendo o vice-governador em Canoinhas: "Moreira assinou convenios e participou de um encontro do PMDB em Canoinhas".

    Ora, ora...conta aqui pro bonequinho!!!!!!

     Em primeiro lugar, vice-governador não tem função administrativa. Não pode assinar convênios. Se assinou é tão frio como as promissórias da Triradial.
    Em segundo lugar, Pinho Moreira estava usando um bem público, o avião Carajás, para fazer política partidária o que é crime de improbidade administrativa!
    Mas isso não é de hoje. Pinho Moreira é useiro e vezeiro na arte de usar avião público em favor do seu PMDB. Vejam o que twitou o seu assessor de imprensa, Rodrigo Comim, em 31 de janeiro de 2012:

@RODRIGOCOMIN1
\"No hangar do governo com o secretario Acélio Casagrande, vamos para Criciúma com o Vice governador\"
\"Presidente do Deinfra (Paulo Meller) e Acélio Casagrande já presentes. Vamos todos para Criciúma, evento do PMDB\"

Será que tinham alguns convênios para assinar também?????
Alô Ministério Público!!!!!! Isto é uma provocação. Bota a mão nele!!!!!
 

Share/Bookmark

terça-feira, 22 de maio de 2012

DIÁRIO DA PROVYNCIA IV

Por Olsen Jr.
olsenjr@matrix.com.br

JACK LONDON, PARTE DO APRENDIZADO

    Acredito que um homem deva seguir a sua natureza. Ele até pode fazer outra “coisa” para se manter vivo desde que não perca de vista o objetivo que tem em mente. Mas que não se demore, pois isso poderá gerar um comodismo e até fazê-lo abandonar o projeto inicial.
    Estou pensando num conhecido advogado que prometeu, na época de faculdade ainda, para outros dois colegas (que pretendiam ser escritores) que primeiro ganharia muito dinheiro e depois iria escrever... Já se passaram quase 50 anos e, de fato, o cara ganhou muito dinheiro (e continua ganhando), só falta a outra parte da promessa. Literatura não é como andar de bicicleta, que você aprende e não esquece mais.
    De outra parte, lembrei de uma entrevista dada por Ernest Hemingway para The Paris Review (num café de Madri, 1954) e, indagado se o jornalismo era importante para a formação de um escritor, não titubeou em afirmar “... O trabalho de um jornal não prejudica um jovem escritor e poderá mesmo ajudá-lo, se ele sair a tempo”.
    Também, o escritor Jack London que aos 11 anos começou o périplo para suprir a ausência do pai em casa: foi entregador de jornais, vendedor de sorvetes e também fazia um trabalho-extra, erguendo paus num boliche; foi pescador, trabalhou em uma fábrica de conservas, às vezes 10, ou 18 e até 20 horas por dia; pirata de ostras, patrulheiro de pesca na Baía de São Francisco, esteve numa fábrica de juta ganhando 10 centavos a hora; foguista de uma usina elétrica, vagabundo de ferrovias, minerador no Klondique.
     Até participar, por insistência da mãe, de um concurso de contos e ganhar o primeiro lugar, auferindo US25 dólares...O que lhe deu a certeza de que a literatura era o caminho.
    Não conheço, em literatura, ninguém mais obcecado que Jack London, mesmo considerando a sua pobreza ou apesar dela: foi indicado orador da turma no colégio, não pode ir por não ter uma roupa adequada, aliás, nesse período chegou a passar fome e só uma dignidade levada ao limite impedia-o de apanhar os restos de carne jogados fora por alguns colegas, depois do lanche; teve de abandonar a universidade, igualmente, por não poder custear os estudos. Mas tudo isso não foi empecilho para que se tornasse um leitor voraz tomando de empréstimo livros na biblioteca pública de sua cidade.
    Sempre contrapondo leituras de obras filosóficas e sociológicas com ficção e literatura. 
    Assim, livros como: “A Origem das Espécies”, Darwin; “A Filosofia do Estilo”, Spencer; “O Capital”, Marx; “O Paraíso Perdido”, Milton; “A Riqueza das Nações”, Adam Smith, “A Teoria da População”, Malthus eram devorados junto com o “Moby Dick”, Herman Melville, Nietzsche, Kipling, Stevenson.
    Depois que começou a escrever, se impôs uma “dieta” de trabalho que incluía 1.000 palavras por dia, fizesse sol ou fizesse chuva, estando doente ou não. Com isso conseguiu escrever quase 50 obras até o seu suicídio em 1916, aos 40 anos de idade, com destaque para obras-primas como: “A Paixão de Martin Éden”, “O Lobo do Mar”, “Caninos Brancos”, “O Chamado das Selvas” e “John Barleycorn – memórias alcoólicas” (onde antecipa a lei-seca em dois anos).
    London foi o primeiro escritor famoso nos EUA em assimilar e divulgar o socialismo como ideologia para mudar a sociedade... Também foi pioneiro em praticar o surf no Hawai onde há até um monumento em sua homenagem.
    O gosto cultivado desde a infância pela aventura também não se constituiu obstáculo e tampouco serviu como chamariz para desviar o fulcro do “fazer literário” quando tinha sempre em mente “medir, pesar, sentir e interpretar o mundo”... E quando indagado por alguém que estivesse começando no ofício, afirmava, “ao invés de narrar... Pinte, desenhe, construa”.
    Jack London influenciou muitos escritores, um deles foi Ernest Hemingway. Conheço a vida e a obra de ambos e fui fortemente influenciado pelos dois, por isso causa estranheza que este não admita o parentesco com aquele.
    Hemingway tinha 17 anos quando London se matou, pelo menos nisso eles foram semelhantes.
    Mas não tenho pressa... E como diria o cínico que habita em mim, talvez nem obras! 

Olá, camaradas, salve!
Há tempos estou pensando em começar algo novo aqui...
Ao leitor atento tal alteração será percebida...
E mais não digo e também mais não me foi perguntado...
Aí já estará um aprendizado consolidado... Maduro, se preferirem...
Aproveitando (infelizmente) a morte de Robin Gibb, da já lendária banda “Bee Gees” , minhas reverências e admiração a uma
Das poucas bandas a se rivalizarem comercialmente com os Beatles...
Vai...


Share/Bookmark