sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Tio Bruda e a virada do ano

Bom Retiro, 2 de janeiro de 2013   
   Caro tio Canga!

   Lhe escrevo estas mal traçadas linhas por que não tenho conseguido linha de telefone para falar contigo. Até tentei buscar uma linha ali pela cadeia de São Joaquim, mas o delegado anda de olho em mim e preferi não arriscar o pelego.
   Eu sei que tu anda meio encolhido com esse tal de tratamento da hepatite C. Mas também já sei que deste uns manotaços no tal vírus. Parece que os bicho se encolheram, né tio Canga? Agora é só mais três meses de reforço nos remédios e tá pelada a coruja! Ando loco de vontade de tomar umas geladas contigo, tio Canga! 
   Mas, tio Canga, andei dando umas vorteada por aí. Fui passar a virada do ano na Ilha! Passei na Palhoça. peguei a pinguancha, os pelego e embarquei na canoa do Ronério, outro garganteador, e me bolheei prá beira mar pra vê os fogos!
   Tudo muito lindo, maravilhoso! Se junta aquela chusma de gente pra vê foguete no céu. Coisa esquisita né, tio Canga? Mas táva todo mundo lá, só não vi o prefeito Dário Berger. O home não apareceu em lugar nenhum. Uns comentaram que ele tinha garrado mato naquela, como tu disse, êxodo dos Berger! Outros falaram que ele tava em casa contando os pilas pra entregar os R$ 100 milhão que prometeu pro César, no dia primeiro.
   Parece que não aconteceu nada disso, tio Canga. O Dário confirmou sua fama de mentiroso, um baita dum trovador! Na verdade, tio Canga, ele desocupou a moita. Pro seu Dário Berger, acabou-se o que era doce, quem comeu se arregalou-se. Gato véio, rato novo! Essa é que é a verdade!
   Mas tio Canga, preciso te contar minhas vorteada que dei pelas praia da ilha. Oigaletê coisa bonita! Essas guria aí das praia são a coisa mais linda de se vê. Tudo linda como laranja de amostra! Não tem feia, tio Canga!
   Tio Canga, andei até ali por perto da tua casa, na tal praia do Riozinho. Nossa senhora! Home do céu, ali mesmo que as a guria ficam se exibindo na areia. Tudo tostadinha, que nem churrasco em bandeja, tio Canga! Tudo guria de se apresentá prá mãe!  Mas é tanta mulher, uma do lado da outra, que prá sargá só com avião agrícola, tio Canga!
   Mas beleza não me impressiona. Prá essas coisa eu sô macaco véio, tio Canga! Conheço muito campo feio que dá boa aguada!
   Óia, tio Canga, fiquei muito imprenssionado com a quantidade de mulher que fumava na praia. Tavam tudo de pito na mão. Prá mim, mulher que pita na rua, se não é francesa é da vida!
   Prá encerrar, tio Canga, não posso deixar de te contar os aperto que passei com esses calorão aí em Florianópolis. Prá deitá nos pelego era um sacrifício. Ficava molhado por baixo. Era suor de enchê as bombacha! Coisa de ficá com as bolas fervendo, tio Canga!
   Bom, tio Canga, quando encontrar uma linha de telefone te ligo prá falá da "dança das cadeira" que o Raimundo andou fazendo por aí. Pelo jeito o abombado, dessa vez, foi o Martini. Não conseguiu cadeira vazia. Tão descarnando a turma do Paulo Afonso. Aquele pessoal do "Escândalo das Letras", lembra tio Canga?
   Bom, já me alonguei demais da conta. Vô botá essa cartinha no correio e gauderiá pela serra, pegá um arzinho mais fresco, tio Canga!
   
    Um feliz 2013 prá ti e prá tua família!

Um comentário:

Anônimo disse...

O tio Bruda é o único verdadeiramente consciente neste blog.