sábado, 16 de março de 2013

O papa é brasileiro, nasceu em Quaraí


   Falei várias vezes a respeito da minha antiga amizade com o novo papa Francisco. Ninguém me deu bola, nem a "grande" imprensa local me procurou para uma entrevista. Bem feito, tomaram um furo do Clarín!
   Na verdade o papa nasceu em Quaraí! O "Chiquinho", como o chamávamos lá na fronteira com o Uruguai, onde também nasci e me criei, era um guri muito esperto, criativo e gostava de mexer com os elementos químicos. Certa vez misturou uma bebida gasosa uruguaia - acho que era uma Mandarina - com outros líquidos e acabou causando uma grande explosão no pátio do Colégio Brasil, onde estudavamos. Dessa aventura "científica" herdei uma marca de queimadura na mão esquerda e o Chiquinho quase perdeu um dedo, o mindinho da mão direita.

   - Chê, Canguita, quase apanhei do meu pai, ontem. Me disse no outro dia, com a mão enfaixada. A diretora do colégio havia ido lá na casa do "seo" Mário Bergoglio, fazer queixa do Chiquinho.

    Depois deste incidente, os Bergoglios desapareceram misteriosamente da cidade. Nunca mais se soube que fim haviam levado e nem para onde haviam ido. Eu senti muito a falta do amigo. Éramos muito apegados, chegamos a ser coroinhas juntos. Ajudávamos o padre Carlos, um alemão severo, terrível, a rezar as missas de domingo.
   Alguns anos atrás, quando eu andava de passeio por Quaraí, bateram na porta da casa da mãe. Ao abri-la quase caí para trás! Era o meu querido amigo Jorge Bergoglio, o Chiquinho. Vinha a Quaraí rever os amigos e a sua cidade natal. Chiquinho, nessa época, já era reitor do Colégio Máximo de San Miguel e das Faculdades de Filosofia e Teologia, na Argentina.
   Saímos pela cidade, conversamos, rimos muito lembrando do "episódio explosivo", me mostrou até um cicatriz no dedo mindinho. Tomamos umas Norteñas em Artigas e, na volta para Quaraí, fiz essa foto do amigo mateando na Ponte Internacional da Concórdia que liga Quaraí a Artigas, no Uruguay.
   Nunca perguntei porque haviam ido embora da cidade e porque ele se assumia como argentino de nascimento. Também não me falou nada sobre isso.  
Chiquinho e sua inseparável cuiazinha de chimarão (bem de argentino) na ponte da Concórdia, em Quaraí
(Foto Sérgio Rubim)

  • Jurandir Pires Camargo Camargo Sou testemunha desse encontro. Foi em 1982. Era verão. Tinhamos acabado de voltar de Rivera com a edição do Jornal da Fronteira, impresso lá na A Platéia, do Elmar Bones, o Bicudo. Foi uma surpresa saber que o Canga era amigo do arcebispo de Buenos Aires. Por isso, não estou surpreso, agora, com o abraço caloroso que ele ganhou do papa. PS. Canguita: arruma uma boquinha pra mim lá no Vaticano.
    há 6 minutos · Curtir


    Maria Fatima Rosa Canga, lamento decirte que estás equivocado. El Papa nació en Tranqueras un pueblo del Departamento de Rivera.Su familia era amiga de unos parientes lejanos míos que dicen que eran muy serviciales y buenos vecinos. No se sabe bien porque, en forma inexplicable él y su familia se fueron un tiempo a vivir al Matogroso. Cuando quisieron volver al Uruguay también no se sabe porque no los dejaron entrar y por eso se quedaron a vivir en Quaraí que fue cuando yo lo conocí cuando nos lo o presentaste a mi y a Toninho allá en el Ponto Chic. ¿ te acordás? Cuando desaparecieron de Quarai hay gente que dice que estuvieron viviendo en la clandestinidad en los montes del Río Uruguayy parece que hasta hay registros de que entraron Argentina por Concordia. Se ve que ahí no tuvieron más problemas o les gustó Argentina y se quedaron a vivir en ese país. ¿ Quien iba a decir que llegaría a Papa " el Chiquinho"? Cosas de la vida.


    Saint-Clair Monteiro viu, se vc tivesse seguido a sua vocação religiosa, "tava feito", virava cardeal! kkk. muito boa a historinha, fez justiça a Quaraí
  • Pedro Paz Canga véio eu vi falar nesta história ocorrida no colégio Brasil. eu estudava no Dartagnan. Coisa de loco aquele guri que um dia tyu me mostrartes na síada da missa das 10 lá na praça.
    • Iara Quadros Puxa Canga, eu não tinha me dado conta que o Chiquinho era o Papa, ahahaha bjs...




8 comentários:

UBERFIL RODRIGUEZ disse...

BUENISIMO CANGA MIS SALUDOS PARA TI Y FLIA PRECIOSOS TRABAJOS DE PERIODISMO.UBERFIL

UBERFIL RODRIGUEZ disse...

MUY LINDO RECUERDO QUE HOY TIENE SU HISTORIA SALUDOS CANGA...UBERFIL

Anônimo disse...

QUE ISSO? TAO TUDO BORRACHO TOMARAM UM FLITE SÓ PODE

Anônimo disse...

Gostei do conto! Se fosse verdade eu iria ficar “loka de facera”, como se diz na fronteira. Mas... Até agora a única semelhança que vi do periodista e jornalista foi só o nome. Um se chama Sergio Rubim e o outro Sérgio Rubín, e por foto são muito diferentes (rsrsrs).
Bem que eu gostaria que o Papa fosse da minha cidade. Tava bem feliz.
Um grande abraço,
Paty do Quaraí

Anônimo disse...

Não estou entendo nada. É ou não é o Chiquinho de Quaraí?

Anônimo disse...

Tomaram agua da placenta... essa foto foi montada, "
miren bien"

Canal ocho Rivera disse...

Muy buena la "brincadera". Inteligente. Saludos de un artiguense.

Anônimo disse...

Grande Canga!!!! Parabéns pela história e pela velha amizade também.