sexta-feira, 1 de março de 2013

O Papa, o Luiz Henrique e o Lula.

   Por Armando José d’Acampora *
   O Papa deixa o trono do Vaticano em meio a controvérsias em uma crise institucional de intensidade nunca antes vista, nas entranhas, no seio, da Santa Madre Igreja.

    Aparentemente, se trata de disputa simples de poder entre os acolchoados Cardeais, que mesmo em toda a sua pompa, e talvez pela pompa, não conseguem seguir os princípios básicos do cristianismo, como humildade, fraternidade e, principalmente, generosidade.   
    A Igreja foi a primeira multinacional que se tem notícia, e a mais antiga, pois dura dois mil anos. Já não ostenta o poder de destituir e homologar reis e reinados ao seu bel prazer, mas também não perde a representatividade, pela pompa e riqueza que continua a ostentar mesmo em tempo de crise econômica mundial.   
   O Luiz Henrique deixou o Governo do Estado de Santa Catarina, estabelecendo como legado, vinte e nove feudos, que não há como reverter por falta de coragem política, ou quem sabe, por compromissos assumidos anteriormente à eleição por quem está no comando.   
    O Lula deixou o trono do Palácio da Alvorada, em Brasília, deixando atrás de si, uma maracutaia que se conhece por mensalão, dentre outras ainda não muito bem esclarecidas.      Qual o elo de ligação entre os três personagens?
   Os três deixaram uma herança para o próximo, boa ou ruim, mas deixaram, sem qualquer sombra de dúvida. Mas as semelhanças entre os três, são ilusórias, e guardadas as devidas proporções, deduzo que:   
   - O Papa deixou o Trono, mas continua Papa, afastado, mas Papa.
   - O Luiz Henrique deixou o Governo, mas continua governando, sem nenhum prurido.   
   - O Lula já deixou o Alvorada, mais parece que ainda não se acostumou com seu novo papel e vive tentando ainda ter o poder da caneta, caneta esta, que não se encontra mais ao seu serviço. E pouco se coça por isso.   
    Para o registro da história, que é o que permanece, aparecerá mais ou menos assim:   
    - O Papa esteja afastado, continuará sendo conhecido como Bento XVI, o Papa que renunciou. O quarto, em toda a história da Igreja.   
   - Já Luiz Henrique, se fará conhecido pela alcunha de Luiz XV.
   - Lula, e já muito se fala, permanecerá na história como Luiz LI.

* Médico, Cirurgião, Professor Universitário

Um comentário:

Rodolfo Schöntag disse...

Muito bom. Com a síntese e eloquência peculiares de sempre. Abcos. Rodolfo Schöntag