domingo, 30 de junho de 2013

O coronel e a cobertura jornalistica da RBS


  Com um pouco de atraso, publico o interessante "olhar" do Tenente Coronel Araújo Gomes (4º Batalhão da PM/SC) sobre a matéria Manifestantes surpreendem a PM ao decidir fechar túnel em Florianópolis.
     Pau puro!

    Imagino que deva ser frustrante acompanhar uma passeata por quase 10 km, sem ter um confronto ou ato violento para a manchete. Talvez na próxima vez, amigo jornalista, pois nossa postura não significa que não utilizaremos a força se for necessário, oportuno e legal faze-lo. Tomara que não!
Até lá, caro jornalista, desculpe o incômodo, mas estamos tentando mudar o Brasil.

    Alguns segmentos mais reacionários da mídia parecem ter dificuldade em perceber (ou aceitar) uma nova lógica de atuação da Polícia Militar (buscando a mediação ao invés da intervenção) ou então escrevem atemorizados pela hostilidade dos manifestantes ao seu grupo de comunicação.

    Além de não relatar aquilo que presenciou em termos de esforço da Polícia Militar para atuar desta maneira cidadã, não fez nenhuma menção ao fato de que ele e colegas de grupo de comunicação, apesar de tentarem trabalhar sem identificação, foram seguidamente identificados e ameaçados pelo movimento: em várias ocasiões precisamos posicionar policiais para protege-los pois iam quase apanhando.

    Desde a edição de sábado, vem tentando empurrar a Polícia Militar para o conflito. Chegou a sugerir em uma matéria que nós infiltrassemos policiais mascarados na manifestação, seguissemos manifestantes após o encerramento dos atos e então os prendessemos quando estivessem sozinhos, prática condenada por instituições de direitos humanos e jornalistas mais críticos. Ainda bem para todos que nós da polícia amadurecemos (talvez mais do que outros atores nesta situação) e não usaremos a força por pressão da mídia. Ela (a força) está reservada ao momento em que for necessária, oportuna e legal.
    Nós somos a Polícia Militar, e existimos para proteger!

   O texto a que o coronel se refere você pode ler clicando aqui.

Nenhum comentário: