sexta-feira, 14 de junho de 2013

Tio Bruda e a (i)mobilidade urbana

- Alô, tio Canga!!!!! Mas o senhor tá sumido! Anda mais quieto que guri cagado! Tá mais devagar que interro diapé!!! Tá preocupado com a tal de hepatite, aquela?

- É, tio Bruda, to na correria para resolver essa parada que tá meio preocupante.


- A água tá batendo na bunda, tio Canga?


- Hehehehe...é mais ou menos isso aí, tio Bruda, mas "tamo na lida", como o senhor diz. Mas me conte as novidades, o que o senhor anda fazendo?


- Tio Canga de deus! Tá tudo mais caro, agora! Nem o Bolsa Família da Dilma e muito menos a Santa Renda do governador Raimundo tão dando jeito na carestia. Agora, até pra visitar a minha Pinguanxa ali na Pinheira eu tenho que pagá o pedágio! Tô mais quebrado que arroz de quinta!


- É, tio Bruda, o dragão da inflação taí de novo. 


- Pois é, tio canga. Tá pretiando os zóio da gatiada pra presidenta Dilma. Eu vi que até a popularidade dela tá despencando. Tá ficando mais baixa que vôo de marreca!

- Tio Bruda, mas o assunto do momento é o calote que a conssessionária da BR-101 está dando no governo. 

- Pois é, tio Canga, que coisa feia isso. Essa Autopista Litoral Sul se comprometeu de fazer um monte de obras, pegou o nosso dinheiro e deixou todo o mundo na mão. E tudo combinado com a agência do governo que cuida das estradas, a tal de ANTT. As obras tão mais atrasadas. que bola de porco, tio Canga!

- Isso aí está cheirando a corrupção grossa, tio Bruda!

- E aquela senadora gritona que defendia os mensaleiros do PT, a Ideli Salvati? Essa andava sempre metida com essa gente da concessionária, tio Canga! Tava mais gruda que bosta em tamanco de leiteiro, lembra?

- É verdade, tio Bruda. Lembro até que ela prometeu diversas vezes retirar o pedágio da Palhoça. Fez vários factóides nos jornais e na TV e não aconteceu nada. Continua a mesma coisa no mesmo lugar.

- Aí tem, tio Canga! Será que essa gente da Litoral Sul não deu uma mãozinha na campanha da Ideli?

- É uma pergunta, Tio Bruda! É uma pergunta!

- O tio Canga, já que estamos no assunto dessa tal de mobilidade ou imobilidade urbana, o que o senhor me diz daquele monte de caixa de abelhas que colocaram ali na beiramar norte, tio Canga? 

- Ah! Os radares, tio Bruda? Isso aí são aqueles caças-níqueis do tempo do Dário Berger. Servem pra arrecadar dinheiro com as multas por excesso de velocidade.

- Nossa, tio Canga! Que decepção! Coitado do povo de Florianópolis! Tão que nem tartaruga de poço: esperando o golpe do balde! Vão tê que metê a mão no bolso prá pagá murta!

- É, tio Bruda, aquelas câmeras não perdoam. Fotografam e já mandam a conta!

- E eu achando que aquilo era caixa de abelha, tava até esperando um vento sul mais friozito pra tirá uns favos de mel, tio Canga! 

- Tio Bruda, quando vier a Florianópolis aparece por aqui que a gente sai pra tirar uns favos de mel por aí!

- Bom, tio Canga! Vou desligar que a conta já tá ficando...tú...tú...tú

Ainda bem que caiu a linha senão o véio não para de falar!

Nenhum comentário: