terça-feira, 16 de julho de 2013

RETALIAÇÃO


   Por Jaison Barreto

   Esse exame REVALIDA feito às pressas por um governo desclassificado pelas suas próprias contradições, precisa ser denunciado perante a nação.
   Incapaz de dar respeitabilidade até mesmo aos exames do ENEM, sempre acusado de irregularidades, convoca os estudantes de medicina do 6º ano para um teste que visa apenas possibilitar e justificar o contrato de médicos estrangeiros de competência no mínimo duvidosa.
   Se credibilidade tivessem, já seria um desserviço.
   Manipuladores que são, cabe a classe médica denunciar o maquiavelismo da proposta, que visa apenas desonrar a classe médica brasileira.
   Os desacertos que todos sabem existir, haverão de ser corrigidos no consenso, no debate honesto, na autocrítica necessária e na condição que falta à setores da elite brasileira: Honestidade intelectual.
   Essa pressa malandra, com data marcada (25 de agosto de 2013), dá o nível moral dessa dupla, autora da proposta.
   Provavelmente, ciumenta do sucesso do “sertanejo universitário”, a dupla Mercadante & Padilha, ou Padilha & Mercadante, composta de ex-pretensos candidatos ao governo de São Paulo, afronta de maneira irresponsável a história digna da medicina brasileira.
   Que o nosso “pessoal paramédico” não se deixe “engabelar”, se iludir.
   Não existe interiorização da medicina sem nós todos, médicos, enfermeiros, auxiliares, laboratoristas, farmacêuticos, fisioterapeutas, motoristas de ambulâncias, etc., etc., etc.
   Que os SINDICATOS médicos e que os CONSELHOS responsáveis pela honradez, pela ética das diversas categorias, reajam com a firmeza e vigor que o momento exige.
“Esse pessoal” não teria coragem de fazer o mesmo com os advogados...

Saudações democráticas, de um médico indignado,
Jaison Barreto.

Um comentário:

Dr. Bonaster disse...

Fazem pior com Advogados. Calote dos precatórios estaduais, agora mais de 10 salários mínimos vai para precatório, antes eram 40, calote das URH'S dos Advogados que tanto trabalharam pelos mais necessitados pela Assistência Judiciária Gratuita, e por aí vai. Se for contar, vai longe.