quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Somos todos cúmplices!!!

  Por Eduardo Guerini

Na marcha cívica, marcando o passo e batendo continência para autoridades corruptas e corrompidas. Com toda máscara, a democracia brasileira ruiu...

   Nos festejos cívicos de setembro, a sociedade brasileira se reúne anualmente para festejar sua (in) dependência. São anos de repetida paz, com avenidas lotadas de escolares e militares que marcham tranquilamente ostentando um sonho republicano e de uma grande nação. Na toada do hino nacional, penhoramos nossa igualdade (!), e, com raríssimos momentos históricos tivemos um sonho intenso com liberdade (!). Na iluminada manhã de setembro, em todos os cantos do Brasil, redobrada toda segurança, assistimos um desfile esvaziado por motivos claramente defendidos por uma presidente republicana em crise de identidade, na cadeia de rádio e televisão repete “todos tem direito de se indignar e de se manifestar...”.
   O aparato bélico e de segurança preparado para recepcionar os cidadãos em seu doce civismo - esvaziou avenidas e arquibancadas do desfile comemorativo dos 191 anos de (in) dependência.
   Noutro lado da avenida, cercados por policiais militares e do exército, milhares de manifestantes mascarados eram perseguidos pelo desejo de um País melhor - impávidos colossais na sua indignação, erguendo a flâmula de filhos que não fogem à luta, não temendo a morte de uma república que insiste em prestar péssimos serviços de educação, saúde, saneamento nas cidades brasileiras.
   Na miragem democrática de nossas autoridades corrompidas em sucessivos escândalos de corrupção e desvio do erário público, as glórias do passado são soterradas, o futuro é cada vez mais incerto.
   O sonho está mais distante. As hordas de jovens em geral, não temendo a própria morte, erguem clavas artesanais, clamando por justiça, fugindo da mão forte do Estado policial que se instalou diante da republiqueta tupiniquim governada por alianças interesseiras e interessadas em se perpetuar no poder.
   Esqueçamos o “projeto de nação”. O Brasil foi tomado de assalto por uma canalha política que insiste em saquear todos os desejos e sonhos de um país melhor.
   A máscara democrática entoada em discursos ruiu. Os mascarados são tachados de vândalos e baderneiros, pelo simples fato de lutarem por igualdade e liberdade entoada no hino nacional. Noutro lado, militares e escolares obrigados pela disciplina e hierarquia marcham silenciosamente e batem continência para autoridades corruptas, sorrindo de nossa desgraça cotidiana.
   Assim, seguimos estarrecidos no presente, indignados por uma republiqueta periférica que nos furta até os sonhos...

Nenhum comentário: