segunda-feira, 28 de outubro de 2013

DIA DA DEMOCRACIA

   Por Jaison Barreto

   A data da morte do jornalista Vladimir Herzog, em 1975, é considerada o ponto de partida para a retomada do processo democrático no Brasil.
   Por isso, o dia 25 DE OUTUBRO, é considerado por muitos o DIA da DEMOCRACIA.
   As redes sociais podem decididamente ajudar e estão ajudando a transformar o Brasil e o mundo.
   Apesar de todos os riscos do “mau caratismo” e da desconfiança que nós temos pelos episódios que estão ocorrendo, continuemos participando, falando com sinceridade, criando amizades e um mundo melhor.
   Estamos atravessando um período interessante do mundo moderno contemporâneo.
   Quando o nosso Presidente Ministro do STF Joaquim Barbosa ousa, ouvindo até mesmo outros magistrados, dizer que a Justiça Brasileira é confusa é importante, um gesto valente, corajoso.
  Pouco importa as incompreensões.
  Coisa igual faz o Papa Francisco, de uma instituição secular como a Igreja Católica, quebrando tabus e falando franco, usando termos como “Vaticanocracia”, e demitindo bispos deslumbrados, como o bispo alemão irresponsável.
   É o mundo mudando.
   Que essas coisas ou cousas, possam ser aprendidas e apreendidas por nós todos e que a gente, independente de pequenezas, façamos a nossa parte.
   Continuaremos amigos e faremos das redes sociais um instrumento de discussões honestas, esclarecedoras e por isso libertária.
   Sujeitas à chuvas e trovoadas;
   · Voto, infelizmente nem sempre é atestado de honradez ou certificado de competência.
Os exemplos estão aí, desnecessários citá-los.
   · Sigla partidária não é carimbo da Vigilância Sanitária. São heterogêneas. Vai desde a Madre Paulina até o Fernandinho beira-mar. Vamos regenera-las.
   · Algumas de nossas melhores ideias andam também infelizmente pela boca de alguns de nossos piores homens. Daí a confusão em distingui-los.
   · Eleição não é doença é remédio.
   · Carteira de identidade, os suínos, os bovinos e até os galináceos tem (chip). Titulo de eleitor só os cidadãos.Exige inteligência, raciocínio, livre arbítrio, responsabilidade social.
   · Coletivo não é só sinônimo de ônibus. Pensar o coletivo é ser cidadão, é ser solidário.  
    · Se interessar pela politica não é só exercer um direito, é uma obrigação de cidadania.
Embora não pareça, os apátridas, os traficantes, os criminosos se preocupam, e muito.  
    · Lobista é uma coisa, deputado é outra. Deputado lobista desserve a democracia. São agentes da corrupção. O Brasil precisa se livrar deles.
   · A Reforma Tributaria não sai, não acontece, porque a falta dela é que mantém a vassalagem, a subserviência. Transforma o direto em um favor.Temos que fazê-la.
   · Essas observações fazem parte do contexto da democracia. Em verdade, se constituem numa homenagem simples ao jornalista Herzog.
Pensemos a respeito.

Qualquer dia tem mais.

Saudações democráticas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Palavras...