quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

A história não dá saltos.


  Por Jaison Barreto
  O que a gente está pretendendo apenas, de uma maneira divertida é dizer que a verdade precisa ser conhecida por inteiro, não através dos vencedores.
  O PMDB que está aí não é o nosso PMDB.
  Nós assumimos a responsabilidade pelas suas virtudes, mas não pelas suas distorções.
   Nós acreditamos, nós sonhamos, nós pregamos, sem financiamento público de campanha, sem sermos patrocinados pela grande imprensa, que aliás, sempre escondeu a verdade naquela época, não estávamos submetidos a nenhum grupo econômico, apenas lutávamos por um ideal que ainda não alcançamos.
   30 anos depois nós não perdemos a coragem nem a ousadia de dizer que o Brasil precisa mudar.
   O fruto do trabalho da classe trabalhadora elevou o seu nível de vida, mas a injustiça social continua a mesma, a manipulação política é a mesma, a falta de caráter e a corrupção predominam e é contra isso que estamos de maneira tranquila, por um novo instrumental que precisamos usar com mais eficiência, praticando.
   Isso foi dito de improviso, mas dá pra fazer um Tratado à respeito de como podemos transformar esse país nesse ano de eleições.
   Perdoem-me. Angela Merkel pela terceira vez se reelegeu como a grande orquestradora da economia da população Alemã.
   Teses bobas contra reeleição não podem prevalecer.
   Cada situação é cada situação. A alternância de poder é sempre importante.
   Amigos que me perdoem, mas temos que avançar.
   Que a gente possa encontrar uma alternativa melhor.
   Tranquilamente digo: Na Dilma e nessa vassalagem e nesse conluio, eu não voto.

Saudações talvez pouco democráticas,

   P.S. A foto e este texto visaram lembrar um episódio importante da vida Brasileira “esquecida ou escondida” como soe acontecer no Brasil.
Nem a chamada grande imprensa estadual e municipal lembrou o fato.
   Na quinta-feira dia 12 de janeiro de 1984 na “Boca Maldita” em Curitiba foi realizado o primeiro comício pelas Diretas com a presença de Ulysses Guimarães, Franco Montoro, Tancredo Neves, Richa e tantos outros.
   O jornal Gazeta do Povo de Curitiba PR lembrou o fato.
   Dois dias depois nas areias de Balneário Camboriú, aconteceu o comício fruto do trabalho de muitos companheiros. Ulysses Guimarães estava conosco.
   É um fato da historia. Não é contra nenhum partido nem contra ninguém.
   É a obrigação moral de contar a verdade, cantar os nossos feitos e reconhecer os nossos desacertos.
   Parafrasiando Ulysses eu diria que o passado não passou e será sempre o nosso presente enquanto nós nos orgulharmos dele.
   Um abraço

Nenhum comentário: