quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

A Viagem (The Trip)

   Por William Ear Long* 

   Raimundo Colombo preparou-se arduamente, junto com Teca e dois assessores, que o acompanham na viagem aos EEUU. De dentro do avião da American Air Lines, voo AA-370, entusiasmado, ele ligou para o Bira quando sobrevoava Miami e disse:
-The air plane has windows. And my computer also has windows.
   O Bira riu muito do outro lado da linha e disse envaidecido: - Muito bem. O avião tem janelas e o seu computador é uma janela. Você apenas deve cuidar para não confundir a janela por onde se vê com o programa de computação
   
   Aí, Colombo rebateu: 
   - I know Bira. Knowledge is fundamental. (tradução: conhecimento é fundamental).    Foi neste clima absolutamente eufórico que Colombo finalizou a conversa telefônica dizendo: 
- Let us visit the big ear. 
   Bira perguntou: 
- big ear? What do you mean? 
   Colombo respondeu: 
- President Obama. 
- No, no, no... disse Bira. 
   Neste caso, big ear serviria para um chefe indígena. Chief Big Ear ou Chief Seating Bull (tradução: Chefe Orelha Grande ou Chefe Touro Sentado). 
   Bira voou para Nova York a fim de encontrar Colombo e comitiva hospedados no Waldorf Astoria. No outro dia, ele e Teca, de mãos dadas, caminhavam pelo Central Park quando Colombo cantarolou: Help, I need somebody. Help I need anybody...
   Teca disse:
   - você está cantando Beatlles?
   E Colombo respondeu: - John Lennon morreu aqui no Central Park quando era jovem como eu e cabeludo. 
   E ela disse:
   - Então eu sou Yoko, a única, confundindo Ono com one.
   Belmiro, assessor que veio de São José do Cerrito olhou para aquelas pequenas fogueiras dos home less com as quais se aquecem no inverno nova-iorquino e disse: - Mas bah governador, aqui eles também sapecam pinhão no chão. Maravilhado, Colombo exclamava: - Leiges (Lages) - a pronúncia é Leiges em inglês - é universal. E não pode conter suas lágrimas. Após o almoço no The Tavern on the Green que Belmiro traduziu por Grill da Taverna, onde comeram picanha e entrevero, voltaram para o hotel. 
   Na cama, deitado, ele confidenciou: - Teca, se não fossem as vacas da Coxilha Rica eu viria morar em New York. 
   - Por que? perguntou ela. 
   Colombo respondeu: 
- The cold, o frio, reminds me of Leiges. Teca sorriu... Apaixonada.
- Trim Trim (som de telefone) e do outro lado da linha uma voz feminina diz: 
   - Raimundo? 
   Ele responde: 
   - Dilma?
   Teca constrangida trancou-se no banheiro. (continua na próxima edição).

*William Ear Long é jornalista desempregado do New York Times e free lancer mundial, faz a cobertura para a SECOM do governo estadual com recursos do PACTO da DILMA por Santa Catarina.   


   Repórter Especial Doa Beira (dá a versão oficial da viagem): 
   Nesta manhã aqui em Nova York, o governador Raimundo Colombo depositou flores ao Cristovão, seu primo genovês, descobridor das Américas. Teve importantes encontros na sua agenda de trabalho.
   Visitou o CEO do City Bank para tratar da conclusão do financiamento da BR 282. Depois, concedeu entrevista na NBC, a maior rede de televisão norte americana, falando inglês perfeitamente, explicando a aliança com o PT, PMDB e o PP nas eleições governamentais. Almoçou com o prefeito de Nova York para tratar do programa Violência Zero, oferecendo a experiência do programa Fome Zero que em Santa Catarina paga R$ 14,00 reais mensais ao cidadão. 
   À tarde visitou a biblioteca pública na 5ª Avenida, onde leu os discursos de Lincoln; e, finalmente depositou flores no túmulo de John Lennon, onde também está enterrado o bebê de Rosemary, explicou Belmiro, o assessor de São José do Cerrito.

Doa Bera especial para RTS TV.

Nenhum comentário: