quarta-feira, 9 de julho de 2014

A tragédia brasileira no Bar do Abel

   Quando saí de casa no final da "tragédia" dos 7 a 1 ainda tive de aturar as caras de deboche do Bakunin e da Flora Tristã, meu casal de Pastores Alemães.
   
   Caminhava atordoado em direção ao meu laboratório sociológico, o Duart's Restaurante, conhecido popularmente como Bar do Abel. Ía em busca de explicações e como "a voz do povo é a voz de Deus" fui lá encontrar essa voz. 

   Ela estava alta! Altíssima! A profusão de decibéis dobrava a esquina! O que era para ser uma discussão civilizada já havia virado gritaria, era um tal de todos gritam e ninguém se entende...as vozes alteradas se faziam ouvir à distância! Todos tinha uma tese. Todos tinham uma explicação. Só não tinham justificativas. O ambiente era de revolta e frustração!


   Eu mesmo não conseguia entender o que havia acontecido com a nossa seleção, com o Felipão, com a "pátria de chuteiras", e mais um monte de babozadas que haviam nos incutido através da mídia e dos anúncios ufanistas do governo, da Fifa, dos bancos e das operadoras de telefonia. Só gente que ferra com a nossa gente! Misturavam jogo de futebol com Pátria. Uma verdadeira patriotada!


- Faltou técnico, futebol nós temos, dizia o Amauri.


   Com um copo de cerveja na mão, a espuma seca já amarronzada debruando as bordas do vidro, o Ursinho Gami (nome carinhoso de um paulista petista que arribou pelo Campeche recentemente) caminha atônito pela nave principal do recinto. Tentava desesperadmente encontrar um interlocutor. Não encontrou. Todos conhecem o seu discurso petista e já não o levam mais em consideração.


- O Brasil não tem futebol! Gritou um recém chegado ao bar. 


 Silêncio total! Logo, gritos de impatriota e ignorante vieram da varanda onde um grupo mais concentrado tentava fechar todas as probabilidades de explicações possíveis para tamanha derrota.


- Não se pode culpar os meninos da seleção! A culpa é do técnico que deixou as grandes patrocinadoras escalar o time, disse Fernando, conseguindo alguns comentários de concordância. 


   A coisa já se encaminhava para a política! Para desatino do Ursinho Gami, entra um nativo, grandão, e grita: 


- O grande vencedor desta copa é o Lula. Ele, a Fifa, a Odebrecht e as grandes empreiteiras que construiram os mega estádios superfaturados!


   A pecha de ladrões carimbada no governo petista estava instalada e, a partir daí, a discussão se tornou mais violenta e ofensiva.


   Arrisquei um palpite e levei um "gaúncho viado" pelos cornos! Me recolhi a minha insignificância futebolística e fiquei assisindo aquele teatro de celerados bebendo e gritando, era a nau dos desesperados!


   Quando a coisa já estava tomando o rumo do descontrole, chegando naquele ponto sem retorno, o Abel se puso los pantalones, bateu no balcão com violência e conseguiu o silêncio total. Fez então a sua preleção:


- Não sou a psicóloga da seleção, mas estou percebendo que estamos todos tristes e desesperados. Buscamos uma explicação para o inexplicável. Não chegaremos a lugar nenhum assim. Portanto decreto aqui a reposta para a nossa ansiedade, espero que vocês a aceitem, acabem com essa discussão e voltem a ser pessoas normais:


"Foi tudo uma grande fatalidade!"

   Enquanto ticos e tecos conversavam para entender a solução final do Abel, ambiente baixando a temperatura, os mais rápidos já começavam a ouvir e falar pausadamente, acontece o inusitado: 

   Cláudio, o nosso argentino, vaticina: 


- Nada é tão ruim que não possa piorar. Só falta o Brasil conquistar o  honroso quarto lugar perdendo para a Argentina!


   O bar veio abaixo. Saí pela porta dos fundo e, no caminho para casa, ainda ouvia o grito dos traídos desesperados do Brasil!



Um comentário:

Bruzundanga disse...

Pão & Circo na Bruzundanga

O desempenho pífio desses muito bem pagos jogadores e comissão técnica é reflexo direto da falta de seriedade, compromisso e nível organizacional típicos nessa Bruzundanga. As opções (Mano e Scolari) para substituir o fracassado Dunga foram simplesmente risíveis. Aliás, esse último deve estar dando grandes gargalhadas! Sete anos, a partir das "bem sucedidas" manobras do nefasto Lula para garantir pão & circo na Bruzundanga, não foi tempo suficiente para os corruptos e incompetentes dirigentes da CBF organizarem um time e comissão técnica para ganhar em casa (em um estádio que custou centenas de milhões de reais para ser reformado) de um time que suou para empatar com Gana, último colocado do seu grupo, e precisou de prorrogação para ganhar da Argélia e dos EUA por um único gol de diferença. Essa é apenas a primeira parte do golpe aplicado pela administração da Bruzundanga para com seus habitantes, pois o desfecho ainda está por vir. E ele virá em 2016 com mais obras criminosamente superfaturadas, pagas com dinheiro público garantido pelos porcos no poder.