sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Cangablog visita o "cofre" de SC

          Gavazzoni, o toca-discos e ao fundo, o "cofre" de SC.
   Depois de pegar o telefone do secretário da Fazenda, Antonio Gavazoni, publicado na coluna do Cacau Menezes (DC), resolvi ligar para cumprimentá-lo pelo seu aniversário. Afinal não é todo dia que se faz 40 anos.
   Alegre no seu dia, Gavazzoni agradeceu os parabéns e insistiu para que eu fosse tomar um café com ele "em palácio". Fazia tempos que não nos encontrávamos. A última vez foi na Celesc, quando presidia a empresa. Eu andava por lá xeretando sobre o Escândalo Monreal, aquele que envolve o ex-presidente da Celesc e hoje candidato a vice governador, Eduardo Pinho Moreira.

   Quem não aceitaria um convite para um café com o homem que detém a chave do cofre o Estado? Estive "em palácio" ao meio-dia de ontem. Horário de almoço. Antonio Gavazzoni, lépido em sua juventude, me recebeu com um abraço e me encaminhou para seu gabinete.

   Logo na entrada, duas coisas me chamaram a atenção: um toca-discos, de verdade, aqueles que toca bolachão de vinil e uma porta de metal com um grande cadeado eletrônico. 

- É ali!!!!!, pensei. É ali que o Gavazzoni guarda equele papagaio milionário (R$ 7 bilhões) que e o governador Colombo pendurou na conta dos catarinenses.

   Gavazzoni, amável, convidou-me a sentar e logo enseguida me mostrou uma coleção de discos de músicos sertanejos. Mas eu não conseguia tirar os olhos do "cofre".  Queria ver a dinheirama! 

   O secretário falava da sua infância no campo com os pais, sobre as dificuldades da vida, sem vitimização, parece que tira tudo de letra. Passa a impressão de que, para ele, não tem tempo ruim. Melhor assim.
   Eu já estava incomodado com o "segredo". Não resiti e perguntei: - Secretário, o que tem atras daquela porta?  É a grana do papagaio, aquele?

Rindo, respondeu: 
- Não, ali não tem nada.

Eu insisti, queria ver, sou pior que sarna.
- É o cofre do Estado de Santa Catarina aqui, bem no seu gabinete? perguntei.

   Ele soltou uma gargalhada e percebendo o tamanho da minha curiosidade, levantou e me convidou a entrar no "cofre". Chegamos juntos à porta blindada. Gavazzoni apertou alguns botões, pequenas luzes vermelhas e verde piscaram, um som de máquina e...voilà! Estava aberta a porta que tanto aguçava a minha curiosidade.

   Ao entrar no "cofre", fiquei decepcionado. Material de limpeza, sacos de lixo e alguns baldes de plástico. Diante da minha decepção, ele explicou que quando chegou ao gabinete essa porta com o cadeado eletrônico já estava lá. Coisas do ex-governador Luiz Henrique, provavelmente.

   Bem, sanada a minha curiosidade, voltamos à conversa amena e Gavazzoni me brindou
Bolachões de vinil
com uma pleiade de artistas sertanejos como Duduco e Dalvan, João Mineiro e Marciano e até Antonio Marcos. Todos tocados executado em um flamante toca-discos que o secretário havia ganho de presente de aniversário dos funcionários da casa e antigos colegas da Celesc.


   Estava feliz e eu constatava, agora, que Antonio Gavazzoni é figura proeminente do grupo político dominante hoje, em Santa Catarina, os "Sertanejos Universitários". Nome cunhado por este blog para políticos do Oeste catarinense que estão no poder estadual.

   Sobre o futuro político desconversou. Disse que está focado em fazer um bom trabalho no governo Colombo, ajudar no desenvolvimento de SantaCatarina e que "o futuro a Deus pertence". 

 ...a Deus e aos sertanejos, acredito. 





Nenhum comentário: