segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Eleições! Ah eleições!


   Por Armando José d’Acampora *
   Muito interessante essa época aonde ocorrem as eleições.

   O país terá o maior canteiro de obras do mundo. Isto já não nos foi dito antes, há 12 anos passados?

   Faz doze anos que espero a transposição do Rio São Francisco, a maior obra do mundo.

   É impressionante. Tudo aqui é o maior do mundo. Mas não vejo o maior desenvolvimento do mundo, num país onde os cérebros privilegiados vão trabalhar na América do Norte ou na Europa.

   Eu vou trabalhar pela segurança. Isto não nos é dito em todas as eleições? Assim como, eu vou trabalhar pela saúde e pela educação?

   Hoje temos no país 75% de analfabetos funcionais, uma fila para atendimentos médicos infinda, e uma segurança virtual e duvidosa, com uma taxa de homicídios que em países desenvolvidos seria considerada uma epidemia.

   Pelo visto todos irão trabalhar pelo que já prometeram trabalhar em eleições anteriores, mas a saúde, a educação e a segurança, continuam piores do que estavam nos 12 anos anteriores. As crianças não conseguem creches, os pacientes não tem acesso aos médicos e os furtos, roubos e a violência de modo geral, aumentou.

   Vou lutar contra a corrupção? Ótimo, mas corrupção de quem? Pois isso parece a praga dos 20%. Acho que estão baseados na Corôa Portuguesa que cobrava o quinto, os 20% de todo o ouro que era produzido aqui e que, obrigatoriamente, deveria ser enviado para a Corôa. Dai surgiu o jeitinho brasileiro, como o santo do pau ôco, ou o que era para inglês ver. Agora o quinto é enviado para contas fora do país, portanto continuamos exportando o quinto.

   Quem mesmo disse que ia trabalhar para diminuir tudo isso?

   Os mesmos que agora se comprometem no horário eleitoral a refazer o que já prometeram e não cumpriram. Não houve melhora de nada. Continuamos corruptos, analfabetos, sem saúde e vulneráveis aos bandidos.

   Sou oposição e falo mal de tudo que ai está. Ótimo. Mas e nos últimos quatro anos, aonde estava esta oposição que só aparece agora? Quais os posicionamentos desta fantasiosa oposição que frutificaram nos últimos quatro anos?

   Por que, nos últimos quatro anos, não realizaram o que já prometeram e agora estão de novo a prometer, exatamente as mesmas atitudes de promessa de antes e que agora se repetem?

   Como sou adepto da alternância de poder e não concordo com a reeleição, sugiro que se mude tudo. Do maior ao menor. Nenhum daqueles que lá já estão, devem permanecer na mesma posição, e que, do meu ponto de vista, não deveriam ser reeleitos. Com uma ressalva: o mérito.

   Devemos optar por aqueles que realmente, embora derrotados, lutaram por nós, por esse povo que paga 40% do PIB de imposto, mas que muitos dos nossos políticos não estão preocupados com esse absurdo que é a cobrança de imposto em nosso pais, no nosso Estado e município. Vide ICMS, IPTU, ISS e uma sopa de letrinhas tão grande que eu não tenho capacidade de memorização para replicar.

   Hoje todos se referem a diminuição dos impostos. O que fizeram para que isso diminuísse nos últimos 12 anos? Agora temos 40%, pactuado pelo Congresso Nacional, portanto os políticos estão gastando mais do que gastavam antes. Em que? Não é na melhoria de vida da população.

   Hoje, e alguém já disse isso, portanto não é de minha autoria, pagamos impostos da Suíça, e temos os serviços da África.

   Num país rico como o nosso, isto não é compreensível para qualquer cidadão que consiga pensar.

* Médico, Cirurgião, Professor Universitário

Nenhum comentário: