quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Indicados de César vão responder inquérito...tá bom!


   A prefeitura Municipal de Florianópolis instaurou inquérito para "descobrir" o que seus dois guardas municipais, Júlio Machado e Jean Carlos Viana, andavam fazendo com a mala de um Hyundai i30 cheia da dinheiro (cerca de R$ 100 mil) em Porto Alegre e acabaram presos pela Polícia Federal.
   Não é necessário muita investigação para descobrir o que realmente estava acontencendo. Em período eleitoral o que mais circula pelas rodovias brasileiras é dinheiro vivo, normalmente acompanhado de santinhos e propaganda depolíticos. Como dinheiro vivo não fala, é esse mesmo que os falcatruas usam nos caixa 2 dos candidatos.
   
   César Junior
   A prisão dos funcionários deixou o prefeito César Junior bastante abalado. Dizem que ficou mais contrariado que gato a cabresto. Notícias que leio nos periódicos aqui de Lisboa dão conta que teria demitido os servidores...até a conclusão do inquérito. Dizem que o que mais irritou o prefeito teria sido o amadorismo da equipe do presidente da Câmara, Cesar Faria, padrinho dos funcionários nos cargos de Diretor da Guarda Municipal e Diretor de Operações do IPUF. 
   
   Monreal
   Que o vereador Cesar Faria não é fraco todos sabem. Comentam que mantém uma rede de indicados em importantes cargos de mando em vários setores da administração municipal e estadual e manteve uma relação estreita com o proprietário da masinada Monreal, empresa responsável pelo rombo de R$ 50 milhões da Celesc durante a administração de Eduardo Pinho Moreira, atual vice governador. O assunto está sendo investigado pela imprensa. Leal Roubão estaria na pista de "alguma coisa" em São Paulo e Goiás. 
  
   O causo
   A três semanas os guardas municipais Julio Pereira Machado e Jean Carlos Viana Cardoso deixaram Florianópolis rumo a Porto Alegre. Eram direitor da Guarda Municipal e direitor de operações do IPUF respectivamente. Apadrinhado por Cesar Faria, Julio que já havia sido secretário de segurança na gestão de Dário Berger, foi seu coordenador de campanha em 2012. 

   A cana dura
   Quando voltavam para Florianópolis, no i30 de propriedade de Julio, foram parados pela Polícia Rodoviária Federal. A PF encontrou uma bolsa com cerca de R$100 mil reais e levaram os dois para a sede da PF em Porto Alegre onde ficaram cerca de 5 horas prestando depoimento.
   Os santinhos encontrados junto com o dinheiro eram do candidato a deputado Wanderlei Agostini que tem o apoio do presidente da Câmra César Farias.

   Aditivinho
   O flagra dos dois funcionários de César entrando na sede da empresa Copi, encarregada da exploração de radares em Florianópolis, e a aprensão de um Termo aditivo de R$ 600 mil para a empresa começa a botar luz no que realmente estava acontecendo.
   A Copi, inclusive já sofreu denúncias de corrupção em várias cidades brasileiras e está sendo investigada pela Polícia Federal. Um dos presos era diretor de Operações do IPUF, casualmente o órgão encarregado de cuidar dos radares.
   
   Alguma Dúvida?

Nenhum comentário: