quinta-feira, 12 de março de 2015

DETER: O mistério do sumiço dos R$ 550 mil

   Na sede do Departamento de Transportes e Terminais (DETER), em Florianópolis, não se fala de outra coisa: onde foram parar os R$ 550.000,00 referentes à cobrança de 9 meses do estacionamento do Rita Maria.

   O Terminal Rita Maria, a nossa rodoviária, trabalha com estacionamento e tem cerca de 400 vagas ofertadas para mensalistas e diaristas. Isso gera uma média de R$ 2 mil, por dia, em dinheiro vivo.


   O dinheiro é contado no final do dia e depositado em uma conta no Banco do Brasil. O depósito gera uma guia DARE, que gera um número indicando o valor do depósito. Isso acontece diariamente por muitos anos. Só que de repente, a partir de julho de 2014, as guias começaram a rarear no sistema do financeiro do DETER. Ou seja, os depósitos do Rita Maria pararam de entrar no Banco do Brasil.

   O montante do valor não depositado chega, hoje, a R$ 550.000,00 e ninguém sabe que fim levou esse dinheiro. O presidente, Fúlvio Rosar Neto, afilhado do deputado Valdir Cobalchini (PMDB), eleito na última eleição, pressionado por funcionários, prometeu abrir uma sindicância para apurar o paradeiro do dinheiro.

   Até agora, a sindicância ficou na promessa.

   A suspeita que rola no meio dos funcionários do DETER, é de que o dinheiro foi para turbinar a campanha política de um deputado que se elegeu na última eleição.

   Alô Ministério Público!!!!!!

4 comentários:

Léo disse...

Em Criciúma é igual. Teve até licitação anulada. E a empresa dos radares é a Kopp... Vejo diariamente o Diário Oficial de Criciúma, e são milhares de multas que vão para???

Léo disse...

Em Criciúma é igual. Teve até licitação anulada. E a empresa dos radares é a Kopp... Vejo diariamente o Diário Oficial de Criciúma, e são milhares de multas que vão para???

Anônimo disse...

Canga, encaminha isso para a ouvidoria do MPSC.

Anônimo disse...

Antes de criticar o MP e ficar fazendo sensacionalismo, comunique e faça a sua denúncia a ouvidoria da instituição! Não adiante ficar criticando se você não o comunica.