quarta-feira, 18 de março de 2015

Ecos dos protestos...


   Por Jaison Barreto

   Ainda sob os efeitos do que assisti no domingo, gostaria de dizer da minha alegria. Fui sentir de perto e quase sozinho, a manifestação anunciada.
   Lamento as declarações do Vignatti, que sempre reconheci equilibrado e até mesmo vítima da cúpula petista nacional.
   Falar em BMW e elite burguesa, num governo que enriquece banqueiros, acoberta ladrões e transformou o país em um paraíso da indústria automobilística abandonando o transporte coletivo, internacional, com políticas de "casa comida e roupa lavada”, subsídios, etc, é realmente incompreensível.
   Compreendo também até a postura do Prates, que gostaria de ver mais "sangue nos olhos", comparando a manifestação com o Micareta. Faz parte do seu estilo.
   Do nosso Governador Colombo, fiel aliado do governo de Dilma, apenas o comportamento previsível da sua personalidade.
   Não entra em bola dividida.
   Como um “gandula” prefere sempre jogar a bola pra dentro de campo.
   “Constituinte” é a solução contra a corrupção que assola o país e também setores do seu governo, garante ele.
   Hábil como ninguém, e fruto da “Corrente da Felicidade”, inventou com a assessoria de “experts” conhecidos por toda Santa Catarina, um governo sem oposição: desde comunistas fazendo assistência social, direitistas de todos os matizes, “inimigos em cima mas amigos em baixo”, vai acabar se colocando como o governo central, nas mãos de algum aliado seu, preso pela Polícia Federal, usando a delação premiada.
   É o que eu ouço do barulho que vem das ruas.
   Sem pretender posar de cientista político ou coisa parecida, o que vi me convenceu de que mesmo lembrando que a história não dá saltos, já temos massa crítica capaz de garantir transformações sociais no Brasil.
De maneira consciente, adultos, jovens, famílias inteiras desfilaram sua cidadania com orgulho e altivez.
   Não ouvi demagogos, populistas, políticos ladrões, mistificando, fazendo promessas.
   O principal já existe.
   Agora é ficar alerta.
   A empulhação tem nome é – Reforma Política.
   30 anos atrás na mesma Praça ajudamos a realizar o segundo comício pelas Diretas, dois dias depois do de Curitiba com lideranças nacionais, capitaneadas pelo grande Ulisses.
Postei a foto aqui no Facebook em janeiro.
   Acabamos no Colégio Eleitoral, garantindo empregos pra todo mundo, consolidando a Era Sarney.
   No mesmo local anos depois, com diferentes lideranças nacionais defendemos oParlamentarismo como solução para os desacertos da política brasileira.
   O país vive até hoje pagando o preço pela solução adotada, com essePresidencialismo irresponsável.
   Agora das prateleiras da Ditadura inclusive, estão à procura de solução para os mesmos males que o país sempre enfrenta.
   Mais grave ainda, é a pretensa urgência, para impedir uma discussão honesta e definitiva.
   O besteirol vai desde o voto facultativo, distrital, distritão, distritinho, lista fechada, voto majoritário, circunscrição etc. etc.
   Só falta “circuncisão”!
   Voltaremos ao assunto.

Saudações

Nenhum comentário: