sábado, 7 de março de 2015

Não cabem todos na mesma barca...


   Por Marcos Bayer

   Os jornais de Santa Catarina dão conta de um governo estadual sem oposição. É assim mesmo. Quando a inteligência se omite, quando o brilho fica opaco, quando a voz se cala... Os medíocres se juntam.

    Estamos assistindo a um fenômeno raro na história política catarinense: A união da Arena Jovem com o PC do B, envolvendo PMDB, PSD (PFL, DEM), PP, PSDB e possivelmente o PSB. Todos na mesma barca. Um acinte ao eleitor. Eleitos e refugados, juntos, abrigam-se nas marquises do poder e bem remunerados riem da população que votou pensando em oposição, fiscalização, eficiência e decência. Fazem negócios de diferentes montas. Publicidade enganosa, consultorias inúteis, obras de engenharia capengas, licitações marcadas.

   Há muito tempo que Santa Catarina não tem uma voz consistente de oposição nos cenários nacional e estadual. Jaison Barreto deve ter sido o último. Por isto, talvez, tenhamos que viver das migalhas da República tão choradas pelos nossos falsos profetas-representantes.

   O preço que a sociedade catarinense pagará por este consórcio de vários lances, muitos fraudulentos, será quantificado nas próximas gerações.

   Além da baixa densidade moral que permeia a administração pública, a inutilidade de algumas ações empobrecerá a prática política necessária aos homens.

   O Estado virou uma fonte de negócios. Algum “brazilianista” logo cunhará a expressão “statebusiness” para diferenciar de “privatebusiness”.

   Como citei um político para ilustrar um comportamento de oposição à corrupção e à ditadura, devo citar outro para dar feição ao momento que estamos vivendo na política local. Vem à lembrança o nome do vereador Içuriti Pereira, do velho MDB, que saiu da posição de telefonista de hotel, passou pelo legislativo municipal, virou membro do clube dos gourmets e terminou como diretor de rede de emissora de televisão. Ainda bem que Içuriti é nome indígena. Porque Pereira é nome de novo rico português...

7 comentários:

Rafael disse...

O Brasil já era. Está tudo contaminado pela corrupção e pela falta de vergonha na cara. Juízes, políticos, promotores etc são todos da mesma laia. Buscam acima de tudo tirar proveito de suas posições privilegiadas. Regalias absurdas ou mutretas inconfessáveis, não importa, é tudo farinha do mesmo saco. E aí? A quem recorre o cidadão de bem? O honesto hoje é tratado como otário nesse paisinho de merda. O Brasil apodreceu, está morto. Não há outra opção além de votar nulo e se exilar. E vou além. Não tem essa de manifestação cívica e blablá. A maioria do povo brasileiro é um lixo, rico ou pobre, todos são lastimáveis. A manada não tem educação, respeito pelo outro nem mínimos princípios éticos. Basta andar por aí, viver a vida das ruas, como eu vivo, e olhar bem, para ter absoluta certeza da lama no entorno. Todo dia tenho uma história lamentável pra contar quando chego em casa. E ainda ligo a TV e vejo os poderosos se superando a cada dia pra ver quem é pior. Dá uma mistura de nojo, pena, raiva e impotência. Tô louco pra ir embora daqui e nunca mais voltar...

Anônimo disse...

O Rafael disse tudo! O Brasil já era! Esse 'lixo' que, por opção, deve até as cuecas, e anda por aí achando que é alguém, vai ver no que se meteu.

Anônimo disse...

Fato, é que a Federação ruiu.

Anônimo disse...

Sou telefonista de hotel. Com todo respeito, jamais serei um Içurití; muito menos um Marcos Bayer.

Anônimo disse...

É melhor continuar telefonista...
Com o uso do celular, sua profissão será cada vez mais rara...


att, marcos bayer.

Anônimo disse...

Mas quem ainda lê algum jornal de Santa Catarina?

bonaster disse...

A esperança se firma na máxima de que nem tudo está perdido, ainda existem muitas pessoas de bem e com disposição em combater a situação corrupta, seja ela criada pelo PT ou por qualquer outro partido, exemplo é este blog e tantos outros.
Generalizar não acredito que seja o caminho correto.
Existem muitas coisas erradas, e continuará a existir enquanto não se falar seriamente em educação, enquanto não se mudar a cartilha das escolas. Lula se auto-intitula herói, se enxerga como um "Messias". Dilma deve achar que está convencendo alguém com um discurso pobre, mentiroso e nada esclarecedor. Realmente não sei quem votou por permanecer a situação, já que não consigo identificar nas ruas um do povo que assuma ter votado na Dilma.
O povo tem que entender que a alternância é salutar para a democracia.
Quando elaboraram o sistema político no Brasil não devem ter previsto um mínimo de situações que poderiam ocorrer. Diferente do Código do Consumidor, que permite arrependimento em aquisições feitas por meios eletrônicos, no nosso sistema político não funciona dessa forma. A propaganda enganosa não é o suficiente para que possamos pedir a devolução de nosso voto, embora alguns afirmem que sim, mas é tudo muito complexo. Na atual situação, onde o governo parece estar se alinhando aos governos comunistas, não vai demorar a chegar o dia em que oposicionistas ao governo sejam caçados e mortos, seja por envenenamento, tiro, suicídio (homi), atropelamento, entre outras formas.
Na Rússia a situação caminha desta forma e a passos rápidos. De lá, o mau exemplo se espalha para o resto do mundo, principalmente para os países quedantes ao regime comunista.
O povo tem que se educar, ler mais, não só o que a globo nos entrega, mas ler nos meios de comunicação, muitos informais, como blogs, twitter, jornais alternativos, onde não existem compromissos com os governos, que gera boa parte das receitas das emissoras de televisão e jornais.
Muitas pessoas dizem que não votam na oposição porque não querem jogar o voto fora. Já me deparei com diversas situações, a maior parte, locais. Pensam assim e acabam permitindo que sempre os mesmos, abastados economicamente, perpetuem-se no poder, salvo raras exceções.
É preciso mudar a forma de pensar, é preciso se informar mais sobre o que ocorre no mundo obscuro da política para daí tomar uma decisão tão importante.