sábado, 16 de maio de 2015

Deter: roubo e sucateamento


   Após a criação de uma comissão de sindicância para investigar o "desaparecimento" R$ 550.000,00 referentes à cobrança de 9 meses do estacionamento do Terminal Rita Maria. O Departamento de Transportes e Terminais (DETER), agora enfrenta o abandono e sucateamento de sua infraestrutura.

   Nicho político e eleitoreiro do PMDB, as diversas direções do Deter, tudo indicação política, praticam um processo de total abandono da empresa com o desprezo da sua infraestrutura física e de seus funcionários de carreira. 
A má gestão e exploração eleitoral do Deter está chegando a um ponto tal que está virando caso de polícia. 

   Agora a diretoria deu mais um passo para o desmantelamento da empresa. Há dois dias o sistema informatizado está fora ar, devido à pane em um computador que já deveria ter sido substituído há muito tempo. Não há previsão de retorno. O nome disso: incapacidade administrativa. Com isso, todo o sistema de emissão de licenças de viagem especial, emissão de guias de recolhimento, faturamento e operações, está literalmente parado. Prejuízo na certa! Parece que ninguém no Governo e no Ministério Público estão preocupados com isso. 
   
   É o fim!

Leia também:
DETER: O mistério do sumiço dos R$ 550 mil 


DETER investiga sumiço de R$ 550 mil

Um comentário:

Anônimo disse...

Caro Canga, taí um post sobre o DETER que traduz a realidade. Primeiramente, meus parabéns pelo post. Como funcionário de carreira do órgão, sou obrigado a dizer que nós, cidadãos, somos vítimas de nossa própria falha. Deveríamos nos unir em prol de uma grande mobilização para ACABAR de uma vez por todas com essa FARRA ESCRACHADA na cara da sociedade que é a "reserva"de cargos comissionados de gestão para "apadrinhados políticos". Em sua grande maioria, aqui em SC, são os conchavos políticos e da maçonaria que colaboram pela destruição do serviço público. Indicações de pessoas completamente desqualificadas e descomprometidas com o órgão em questão só gera prejuízo a todos e desestímulo constante e crescente nos servidores de carreiras que não possuem qualquer chance de ascender na carreira/órgão. Tem coisa mais desestimulante que você se deparar com um gerente indicado que muitas vezes não tem nem nível de escolaridade condizente com o cargo?
Como cidadão deveríamos nos unir, divulgar, espalhar e sensibilizar a opinião pública de que nos manifestássemos contra esta prática imoral de se conceder emprego para indicados políticos. Quer entrar pro serviço público nos dias atuais? Vai esquentar a bunda na cadeira e estudar para passar num concurso. A prática política neste país RI da cara de todos nós que assistimos esses absurdos e somos coniventes com lamentável prática. As consequências? O DETER está aí para nos mostrar o que anos de indicações políticas inconsequentes resultam...