quinta-feira, 14 de maio de 2015

O nivel do senador Dário Berger

   Mensagem chula do senador (PMDB) Dário Berger para o jornalista Paulo Alceu, mostra o nível do representante de SC no senado federal. 
   
   Mais contrariado que gato a cabresto, Dário Berger se auto elogia com virtudes que diz ter, mas não tem.
- Não sou traidor. Devo muito ao PMDB, blá...blá...blá...blá...blá
   Dizendo-se fiel partidário, Dário esqueceu de agradecer ao PL, PFL, PSDB, partidos que entrou, usou, abusou e se mandou, deixando um rastro pelo caminho.

   A fidelidade partidária do senador Dário é tanta, que pode ser medida pelo seu salto do PFL para o PSDB em setembro de 2003, que coincidiu com a assinatura de um contrato milionário entre a empresa Casvig, da família Berger, com o governo do estado presidido por Luiz Henrique da Silveira. Eduardo Pinho Moreira, vice-governador de LHS, à época, assinou o contrato fruto de uma licitação dirigida, que tem ação popular se arrastando na justiça até os dias de hoje.

   Sobre esta tramóia do senador Dário com o governo de LHS, publiquei extensa matéria no Cangablog de dezembro de 2012. Leia aqui.

   Se até aqui ainda paira o mínimo de dúvida com relação a lisura da Concorrência 105/2003, coordenada pela Secretaria de Estado da Administração, essa dúvida se dissipará com a leitura do anúncio publicado nos jornais O Estado e Diário Catarinense, respectivamente dias 12/12/2003 e 14/12/2003, intitulado Oração a São José com o seguinte texto: 


A mensagem do senador Dário:

UM SENADOR CONTRARIADO (Paulo Alceu)
As notas em colunas anteriores, que abordei temas envolvendo o senador Dário Berger, foram sustentadas em declarações de peemedebistas da alta cúpula, que revelaram até certo constrangimento, diante da insistência do senador Berger em impor o nome do irmão Djalma Berger ao vice-presidente Michel Temer para o comando da Eletrosul. A pressão aconteceu, inclusive, nas cerimônias de despedida do senador Luiz Henrique. Entre o sim e o não, o senador Dário Berger revelou toda sua contrariedade em mensagens enviadas por celular na noite de terça-feira pra mim:
- Cara, não sei qual o teu propósito.
- Fala a verdade, cara.
- Quando cheguei em Joinville o Michel Temer já tinha ido.
- Só pra vc perceber o quanto está faltando com a verdade.
- Eu sou daqueles que não trata do mesmo assunto duas vezes.
- Para teu conhecimento informo que nunca saiu na minha boca que poderia sair do PMDB.
- Pelo contrário, estou muito bem, obrigado, no PMDB.
- Não sou traidor.
- Devo muito ao PMDB.
- Sou muito grato ao PMDB.
- Será que você entendeu?
- Fala a verdade, cara.
- Eu não trato do mesmo assunto duas vezes.
- Por tanto faz um tempo que não falo com o Michel Temer.
- Se tens alguma dúvida podes, por favor, em nome da verdade me consultar?
- Recebeu?
-Podes corrigir essas informações?


Diante de tudo que foi exposto pelo senador do PMDB, que representa Santa Catarina no Congresso, respondi, que iria colocar na coluna suas manifestações, o que estou fazendo agora, ainda intrigado porque todo esse esforço para colocar um irmão numa estatal...mas essa é a política que convivemos nos dias atuais.

3 comentários:

Anônimo disse...

Este é o "bem" que Luiz Henrique nos legou!

Anônimo disse...

Por certo, quando chegar a boa hora para este nobre homem dirão que foi um grande articulador político.

Anônimo disse...

O tal do LHS tava pouco se lixando pra população de Santa Catarina, portanto só viajava pra Europa.
Chegou até trazer de lá uma Escola de Administração Pública Francesa, como se aquí não existisse a nossa prestigiosa ESAG.